Jônatas, um Exemplo de Lealdade – Pr. Josaphat Batista Soares

Jônatas, um Exemplo de Lealdade – Pr. Josaphat Batista Soares

2º TRIMESTRE DE 2017

ADULTOS – O Caráter Cristão

Moldado pela palavra de Deus e provado como ouro

COMENTARISTA: Pastor Elinaldo Renovato

———-

Centro Teológico de Educação e Cultura Vida Cristã

Avenida São José Nº 635 Centro Cep. 47.950-000 / Cristópolis / Bahia

Comentário – Pastor Josaphat Batista Soares

 

INTRODUÇÃO

Jônatas esteve à frente dos exércitos em função da lealdade que inspirava nas tropas, embora não fosse o comandante do exército de seu pai que era Abner, primo do rei Saul. Ele é apresentado na presente lição como um personagem bíblico de caráter exemplar.

 

I – TEXTO BÍBLICO

(1 Samuel 18.3,4; 19.1,2,17,17,31,32)

V, 3 E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma.

V, 4 E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.

(1Samuel 19)

V, 1 E FALOU Saul a Jônatas, seu filho, e a todos os seus servos, para que matassem a Davi. Porém Jônatas, filho de Saul, estava mui afeiçoado a Davi.

V, 2 E Jônatas o anunciou a Davi, dizendo: Meu pai, Saul, procura matar-te, pelo que agora guarda-te pela manhã, e fica-te em oculto, e esconde-te.

(1Samuel 20)

V, 8 Usa, pois, de misericórdia com o teu servo, porque o fizeste entrar contigo em aliança do SENHOR; se, porém, há em mim crime, mata-me tu mesmo; por que me levarias a teu pai?

V, 16 Assim fez Jônatas aliança com a casa de Davi, dizendo: O SENHOR o requeira da mão dos inimigos de Davi.

V, 17 E Jônatas fez jurar a Davi de novo, porquanto o amava; porque o amava com todo o amor da sua alma.

V, 31 Porque todos os dias que o filho de Jessé viver sobre a terra nem tu estarás seguro, nem o teu reino; pelo que envia, e traze-mo nesta hora; porque é digno de morte.

32 Então respondeu Jônatas a Saul, seu pai, e lhe disse: Por que há de morrer? Que tem feito?

 

II –  O  CARÁTER EXEMPLAR DE JÔNATAS

1 – Jônatas

Jónatas (em hebraico: יְהוֹנָתָן / יוֹנָתָן), Hebraico moderno Yonatan / Yəhonatan Tiberian Yônāṯān / Yəhônāṯān; foi um filho do Rei Saul e amigo de David. O significado de Jónatas é “Que Javé Deu”, ou “o presente de Deus”. Jónatas (pt) ou Jônatas (pt-br).

O filho de Saul é uma das personalidades mais admiráveis do Antigo Testamento. Ao descobrir que Davi estava destinado a suceder seu pai no trono, Jônatas, corajosamente, defende Davi como um leal servidor do rei. Quando forçado a tomar posição, Jônatas novamente escolhe apoiá-lo, e enfrenta a fúria de seu pai para salvar a vida do amigo. Quando nos lembramos que Jônatas sucederia naturalmente a Saul como rei de Israel, sua amizade por Davi torna-se particularmente comovente. O Antigo Testamento não tem exemplo mais belo de amizade. A história de como Davi correspondeu à amizade de Jônatas é encontrada em 2 Samuel 9″ (RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Génesis a Apocalipse capitulo por capitulo. 9.ed. Rio de Janeiro: CPAD, p. 192).

Saul ordenou a seu filho Jônatas e a todos os seus servos que matassem Davi. Jônatas informou a Davi sobre os planos de seu pai e persuadiu Saul a prometer que não mataria Davi. Contudo, depois que Davi retornou vitorioso de outra batalha contra os filisteus, a inveja de Saul voltou e ele tentou várias vezes matar Davi.

2 – Características essenciais de Jônatas

A – Corajoso e um líder natural.

B – Lealdade é uma das partes mais for­te da coragem.

C  – O amigo mais íntimo que Davi teve.

D – Lealdade a Deus coloca todos os ou­tros relacionamentos em perspectiva.

E – Confiava em Deus.

F – Trabalhador.

G – Leal

H – Grandes amizades são custosas.

 

III – A AMIZADE DE JÔNATAS E DAVI

1 – Inicio

Depois que Davi derrotou Golias, ele se tornou um bom amigo de Jônatas, o filho de Saul. Saul nomeia Davi para liderar o exército. Jônatas poderia ter ficado com inveja do sucesso de Davi, mas em vez disso regozijou-se. Quando Jônatas entregou suas roupas e armas a Davi, ele estava mostrando sua amizade e seu apoio ao fato de Davi tornar-se o próximo rei (ver I Samuel 23:16–17).

2 – “A profunda amizade entre Jônatas e Davi é surpreendente por uma série de razões.

– Primeiro, Deus escolheu Davi e não Jônatas (filho de Saul e príncipe de Israel) para ser o segundo rei de Israel.

– Segundo, o pai de Jônatas, Saul, sentia intenso ciúme de Davi e tentou repetidamente matá-lo.

– Terceiro, Davi era um indivíduo multitalentoso, muito popular com as massas do que Saul ou Jônatas.

Jônatas e Davi deviam ter sido pelo menos cautelosos um para com o outro, senão inimigos declarados. Contudo, eles foram capazes de superar esses obstáculos em potencial e construir uma amizade exemplar. Talvez a qualidade excepcional de sua amizade fosse a lealdade. Aquela lealdade estava fundamentada numa profunda devoção a Deus. Esse maior compromisso foi o que capacitou a amizade deles e não apenas sobreviver, mas crescer em tempos de confusão e conflito.

Em I Samuel Capítulo 20 somos informados que, depois que Davi deixou o Profeta Samuel, Davi encontrou-se com Jônatas e eles fizeram um convênio de amizade. Jônatas fez convênio de avisar Davi do perigo em relação ao pai de Jônatas e Davi fez convênio de cuidar da família de Jônatas, inclusive de sua posteridade. Davi decidiu esconder-se do rei no dia seguinte, em vez de banquetear com ele, e solicitou a ajuda de Jônatas para descobrir o plano de Saul contra ele. Quando Saul não viu Davi à mesa no dia seguinte, ficou zangado e disse a Jônatas que, se fosse permitido que Davi vivesse, Jônatas jamais seria rei. Jônatas enviou uma mensagem para que Davi fugisse a fim de se livrar.

3 – A base da amizade de Jônatas e Davi

-“Esta amizade é uma das mais profundas e legítimas na Bíblia.

(1) Eles basearam este pacto no compromisso para com Deus, não apenas para com o outro.

(2) Não permitiram que qualquer coisa se colocasse entre eles, nem mesmo o interesse próprio ou os problemas familiares.

(3) Aproximaram-se ainda mais quando a amizade foi testada.

(4) Permaneceram amigos até o fim. Jônatas o primogénito do rei, mais tarde predisse que Davi, e não ele, seria o próximo monarca. Mas isso não enfraqueceu sua estima pelo amigo. Jônatas preferia a amizade de Davi ao trono de Israel. Para conhecer mais leia, Bíblia de     Estudo Aplicação Pessoal,  CPAD, p. 394.

OBS: Você é um amigo para todas as horas? Você foge de relacionamentos quando as dificuldades surgem? Se seus relacionamentos humanos são fracos, examine a profundidade de sua lealdade a Deus. Você pode se surpreender com o que vai descobrir” (365 Mensagens Inspiradas em Personagens da Bíblia.12. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 103).

 

IV – SUBSÍDUO HISTÓRICO

Saul, Davi e Jônatas – (I Samuel 20)

Davi afirma, então, com as palavras mais enérgicas possíveis, o fato de que sua vida está em perigo mortal. Sua vida está por um fio. Jônatas agora percebe a seriedade de Davi e como ele se sente sobre este perigo. Ele entende que Davi quer realmente que ele o leve a sério e, assim, demonstra compaixão, garantindo-lhe que fará qualquer coisa que ele queira. Jônatas pode ainda não estar convencido das más intenções de seu pai, mas está convencido de que Davi está aflito e teme por sua vida. Jônatas decide acreditar na palavra de Davi.

No verso 5 e seguintes, Davi propõe um plano que demonstrará as intenções de Saul para com ele. Isto parece ser tanto para o benefício de Jônatas quanto para o benefício de Davi. O plano é simples. No dia seguinte é lua cheia e, portanto, época de Saul fazer o sacrifício e compartilhar a refeição sacrificial. Davi faz parte de sua casa e por isso espera-se que esteja presente. Se Saul de fato pretende matá-lo, ficará muito preocupado quando descobrir que ele não está presente à refeição. Se Saul não planeja matá-lo, sua ausência não será problema. E assim Davi planeja ausentar-se e, com sua ausência, testar as intenções de Saul.

A ausência de Davi precisará ser explicada de tal forma que pareça razoável a ele estar ausente. Davi já preparou a explicação. Uma vez que Jônatas estará presente à celebração, ele pode dar a desculpa por Davi. Se, e quando Saul perguntar sobre sua ausência, Jônatas pode dizer ao rei que Davi pedira sua permissão para faltar à celebração porque sentiu que deveria ir a Belém ficar com sua família durante os festejos.

É uma explicação razoável, que não deverá causar a Saul nenhum problema, a menos que, de fato, ele esteja procurando uma desculpa para si mesmo – uma desculpa para matar Davi. Mas, por que a ausência de Davi seria tão importante para Saul? Penso que Davi não tenha feito muitas refeições à mesa de Saul ultimamente. Duas vezes Saul tentou matá-lo com sua lança enquanto ele estava em sua casa. Davi fugiu da casa de Saul e até mesmo de sua própria casa, acabando em Ramá junto com Samuel.

Durante algum tempo Davi ficou ausente. Esta refeição festival devia ser como o Natal é para nós, um tempo para a família quando se espera que os membros estejam presentes. Não importa que Davi tenha sua própria família e que eles queiram que esteja com eles. Saul espera que Davi fique consigo, o que lhe dará outra oportunidade para liquidá-lo. Se Davi não comparece à refeição, Saul não tem idéia de quando ocorrerá a próxima oportunidade para matá-lo. Portanto, a ausência de Davi deve ser um teste para as intenções de Saul.

Davi apela para Jônatas realizar seu plano e ver se Saul ainda pretende mesmo matá-lo. A base para este apelo é o amor que os dois homens sentem um pelo outro e a aliança que fizeram (ver 18:1-4; 19:1). Davi fala com Jônatas como se ele fosse seu senhor e ele seu servo (20:8). De fato, isto é verdade. Jônatas é, nesse momento, o filho do rei, e Davi, seu subordinado. Davi apela para a aliança que os dois fizeram e pede que Jônatas realize o plano proposto por ele.

Em vez de Davi se entregar a Saul, ele pede que Jônatas mesmo o execute, se realmente for culpado de algum pecado. Jônatas fica apavorado ante tal sugestão. Davi realmente pensa que ele o trairia entregando-o a seu pai para ser morto? Se Jônatas soubesse de qualquer complô de seu pai contra ele, Davi realmente supõe, mesmo que por um momento, que seu amigo não o avisaria em vez de traí-lo? Jônatas deixa claro que avisará Davi sobre qualquer complô contra ele. Se seu pai realmente pretende matá-lo, ele pode ter certeza de que Jônatas o avisará. No entanto, há uma possibilidade do plano falhar.

Suponha que Saul de fato pretenda matar Davi, e que ele mate Jônatas por tentar saber quais são suas intenções contra ele. Se Saul matar Jônatas por tentar ajudar Davi, quem o avisará? Aquilo que expliquei rudemente, Davi diz com toda delicadeza:

“Quem tal me fará saber, se, por acaso, teu pai te responder asperamente?” (verso 10b). A esta altura Jônatas faz algo estranho e totalmente inesperado. Ele não fala mais nada até que estejam no meio do campo (verso 12). Este parece ser o campo onde Jônatas discute com seu pai, enquanto Davi observa (19:1-6). Creio que Jônatas está começando a perceber como a situação se tornou séria. Se Saul está louco de ciúmes e planejando matar Davi, é provável que alguém que, por acaso ouça a conversa entre eles, possa relatá-la a Saul. Os dois não estão indo ao campo tomar ar fresco.

Estão saindo para onde olhos curiosos e ouvidos atentos não possam entender o que está sendo dito entre eles. Uma vez que este também é o lugar onde Jônatas dirá a Davi o resultado do “teste”, eles poderão marcar o lugar onde cada um ficará. Se o teste mostrar que Saul mudou de idéia e que suas intenções são favoráveis, então Jônatas mandará dizê-lo a Davi (verso 12). Mas, se as intenções de Saul ainda forem hostis, Jônatas então levará a notícia a Davi, para que possa fugir. Se for este o caso, e Davi tiver que fugir (como agora Jônatas parece temer), então ele fará Davi saber que vai com sua bênção e com seu amor (verso 13). Agora, se Davi precisar fugir, Jônatas tem um pedido para ele, um pedido baseado na aliança que os dois fizeram.

Se ele sobreviver ao teste, Davi poupará sua vida, da mesma forma que ele procurou proteger a vida de Davi. Jônatas sabe que Davi sobreviverá e se tornará rei de Israel. Quando Davi for rei, Jônatas pede que ele poupe sua vida. Ele sabe muito bem que, quando um rei substitui outro, o rei que está no controle mata quaisquer outros rivais ao trono, incluindo seus herdeiros. Jônatas quer que Davi garanta que ele e seus herdeiros não serão aniquilados, como é de praxe.

Os dois homens aperfeiçoam e reafirmam sua aliança, como manifestação de seu amor. Há uma diferença muito importante entre esta aliança elucidada e aperfeiçoada e aquela feita anteriormente. A anterior era uma aliança entre dois homens, Davi e Jônatas. Esta é um aliança entre duas famílias, entre duas dinastias. Esta é a aliança entre os descendentes de Davi e os descendentes de Jônatas.

Uma mudança sutil, claramente percebida nos versos 18 a 23, aconteceu. Jônatas assumiu o controle da situação. A princípio, a iniciativa foi de Davi. Davi fugiu de Ramá e procurou por Jônatas. Jônatas reluta em acreditar naquilo que ele lhe diz a respeito de seu pai. Depois, percebendo a seriedade de Davi sobre este assunto, ele concorda em ajudá-lo da forma que ele achar melhor. Davi propõe um plano que revelará os planos de Saul com respeito a ele. Depois, no verso 11, Jônatas leva Davi para campo aberto onde continuam sua conversa. Acho que deste ponto em diante, Jônatas toma conta do problema.

Ele não é mais um ouvinte relutante ou um auxiliar complacente de Davi, ele é o líder. Nos versos 18 a 23 Jônatas cuidadosamente explica o plano pelo qual dará o resultado do teste a Davi. Davi deve se esconder por três dias, enquanto o teste estiver sendo levado a cabo. Então, no final deste período, ele deve vir ao campo onde estão neste momento. Ali, Jônatas informará o resultado do teste. Jônatas atirará três flechas, como se mirasse num alvo. Depois mandará um rapaz pegar as flechas. Se Jônatas disser ao jovem para procurar as flechas em sua direção, Davi deverá entender que as intenções de Saul são boas, e dessa forma, poderá sair do esconderijo. Mas, se Jônatas disser ao rapaz para procurá-las além de onde está, então Davi deve entender que Saul pretende prejudicá-lo, e deve fugir.

Uma vez mais, a aliança entre eles é mencionada com relação ao plano. Jônatas garante a Davi que fará tudo o que prometeu, por causa da aliança. O uso do termo para sempre, no verso 23, indica que esta aliança agora é vista como sendo entre Jônatas e seus descendentes, e Davi e seus descendentes. Esta aliança extensiva é a base de sua amizade e confiança mútua. https://bible.org/seriespage/quando-saul-arremessa-sua-lan%C3%A7-j%C3%B4natas-entende-i-samuel-201-42.

 

CONCLUSÃO

Da mesma forma que Jônatas  fez sua aliança perpétua com Davi e esta aliança foi respeitada, mesmo depois da morte de Jônatas, o que se propõe é que você faça sua aliança pessoal com Jesus, aliança eterna, que renderá seus frutos durante toda a sua jornada na terra e no futuro a vida eterna com Deus.

 

REFERÊNCIAS

– Bíblia do Pregador Pentecostal (ARC)

– Bíblia de Estudo Palavra Chave (ARC)

– Apontamentos Teológico do Autor

– Dicionário da Lingua Portuguesa Oline

 

Comentário do Pastor Josaphat Batista – Pr. Presidente da Assembleia de Deus em Ibotirama-Bahia. Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior. Bacharel em Teologia convalidado pelo MEC, Membro do CEECRE (Conselho Estadual de Educação e Cultura Religiosa da CEADEB), Diretor da ESTEADI (Escola Teológica da Assembleia de Deus em Ibotirama). Presidente do Conselho de Pastores e Líderes Evangélicos de Ibotirama (CONPLEI), Conferencista, Seminarista, Escritor e fundador dos Congressos EBD no Campo de Camaçari-Ba.

Publicado no Portal do CTEC Vida Cristã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *