A Sobrevivência em Tempos de Crise – Pr. Adilson Guilhermel

A Sobrevivência em Tempos de Crise – Pr. Adilson Guilhermel

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE

TEXTO ÁUREO: “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (Jo 16.33)

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Habacuque 1.1-17

Introdução: O cristão só consegue sobreviver neste mundo cheio de adversidades, quando ele tem verdadeiramente Cristo na sua vida e, esse é o segredo para termos tudo que precisamos se estivermos militando a serviço do reino. Em nossa militância contra as oposições da vida, ou somos vencidos, ou somos vitoriosos, pois não existe meio termo, isto porque, para sermos vencedores precisamos ter o essencial para isso, que é a nossa fé. “E esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” 1 Jo 5.4. Todo cristão verdadeiramente convertido é um alvo constante de Satanás, o qual opera diuturnamente para nos derrotar usando todos os meios possíveis para isso. O mundo é usado por ele, com a finalidade de nos adequar aos seus padrões; para que o crente se molde aos costumes mundanos, a fim de que não sejamos diferentes. Assim o crente que não resiste as suas influências acaba caindo nas suas armadilhas intencionais de levar muitos a um declínio espiritual. Jesus conseguiu sobreviver a todas as crises impostas pelas oposições diabólicas suportando todo tipo de sofrimento e conquistou a sua vitória. Em meio às crises a perspectiva correta para manter a nossa disposição frente a todas as adversidades é confiar continuamente na promessa de Cristo de estar conosco todos os dias, até a consumação dos séculos.

I – A CRISE COMO UMA REALIDADE ANTERIORMENTE E ATUALMENTE

  1. DEUS criou um mundo perfeito, mas o homem tornou imperfeito.

Gênesis 3.12  Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.   Gênesis 3.17 E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.

Deus criou um protótipo de lugar perfeito para o homem habitar. Nesse lugar nunca haveria crises de sobrevivência, pois seria suprido de todas as necessidades humanas, tanto materiais, físicas e espirituais. Nesse lugar o homem seria o governante e essa governança se estenderia por toda a expansão desse lugar chamado Éden. Esse homem chamado Adão e sua mulher Eva deveriam coabitar e multiplicar sua descendência na terra. Adão recebeu autoridade para ser o governante eterno da terra. Porém Deus impôs uma condição para Adão manter-se na sua condição de governante por toda a eternidade, condição essa de não comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Adão no seu estado de inocência, isto é sem pecado tinha poder também sobre Satanás, o qual tinha que se submeter a esse poder. Como Satanás não poderia enfrentar Adão diretamente usou de astúcia para Adão descumprir o mandamento recebido de Deus para não comer o fruto da árvore proibida. Satanás sabia que o único meio de Adão perder o seu poder era cometendo pecado e usando Eva a convenceu a comer do fruto e esta comendo também convenceu Adão a comer e, por conseguinte pecar. Ao pecar perdeu o direito de governar a terra, como também o poder que tinha e, a partir daí Satanás passou a ser o posseiro da terra tornando-se seu governante. Esta é a razão porque a bíblia diz que ele é o deus desse século ou o príncipe deste mundo. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 2 Coríntios 4:4 – Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim; João 14:30

  1. Uma sociedade em crise não deve contaminar quem almeja o céu.

Romanos 12.2 E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Com a queda de Adão a terra que estava totalmente sobre as bênção divinas passou a estar debaixo de maldição com crises consecutivas e com isso o homem já na condição pecaminosa começa a ter que sobreviver enfrentando todos esses tipos de crises. A partir daí o mundo passou a conviver constantemente com crises de toda sorte e nós como cristãos devemos depositar nossa toda confiança em Cristo para superarmos todas elas a fim de nunca sermos vencidos por elas. Com a natureza pecaminosa herdada de Adão o homem não se libertando dessa natureza, está queira ou não queira, sob o poder de Satanás e isso exatamente como Adão ficou deixando esse mal como herança para toda sua descendência, da qual fazemos parte. Quando nos convertemos a Cristo, através do seu sangue somos purificados do pecado que herdamos de Adão saindo da condição de velha criatura, para a condição de nova criatura em Cristo Jesus. Nessa nova condição passamos a ter poder sobre Satanás e seus demônios e isso é confirmado pela palavra: (E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Marcos 16:17). Também está escrito: (Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4:7). Significa que o crente fiel a Deus em todos os sentidos é dotado de um poder superior (Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca. 1 João 5:18). Agora, se o crente passa a se conformar com esse mundo, como também se envolver com as coisas que o leve a pecar, então a situação de supremacia sobre Satanás se reverte a favor dele e as consequências são terríveis.

II – A CRISE COMO UMA CONSEQUÊNCIA DO PECADO

  1. As crises na sociedade antediluviana provocaram a ira divina.

Gênesis 6.5  E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Gênesis 6.11 A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência. Gênesis 6.13  Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra.

A sociedade antidiluviana agora sob o domínio permissivo que Deus deu a Satanás acabou cedendo as suas influências corruptivas caindo na mais profunda degradação pecaminosa. Apesar de todas as advertências que receberam, pois não eram ignorantes ao mal que faziam aos olhos de Deus, eles não deram ouvidos no sentido de se afastarem do pecado: (Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, Mateus 24:38). Hoje o cristão verdadeiro deve sobreviver às crises causadas pela apostasia, heresia, falso evangelho, falsos pastores e manter-se firme na sã doutrina, para não cair nos ardis de Satanás que investe pesado no meio evangélico.

  1. As crises na sociedade pós-dilúvio e as suas consequências.

Gênesis 9.20  E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. 21  E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. Gênesis 9.25  E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos.

Deus destruiu milhares de pessoas que não queriam se voltar para ele, como também desacreditavam dos seus juízos. Restaram desses milhares que foram mortos pelo dilúvio somente Noé e sua família totalizando oito pessoas. Porém Satanás não se deu por vencido, pois mesmo a população da terra tendo se reduzido a oito pessoas, ele continuava sendo o governante da terra. Como ele é oportunista viu Noé embriagado com vinho e totalmente fora de si, ao ponto de ficar nu em sua tenda. Sendo oportunista, não perdeu tempo em armar uma confusão quando Cão se depara com o seu Pai naquela condição vexatória. Apesar de Cão não ter culpa por haver encontrado o seu Pai naquele estado, seus irmãos não deixaram por menos e logo que o Pai fica lúcido contam o que havia ocorrido. Assim Noé ainda tonto pela embriaguez precipitou-se em lançar uma maldição sobre seu filho e seus descendentes. Era tudo isso que Satanás queria, pois essa maldição que foi lançada serviria de apoio para a sua obra contra a humanidade.

  1. As crises vivenciadas nos tempos de JESUS e na Igreja Primitiva.

Atos 4.34  Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. 35 E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.

Jesus veio ao mundo num período extremo de sobrevivência nas crises, com um povo subjulgado e oprimido pelo poder Romano. Não bastasse isso, também enfrentavam uma crise religiosa com um serviço sacerdotal totalmente corrupto, como também a obediência aos acréscimos ditados pelos fariseus à lei de Moisés. Jesus precisou vencer todas essas crises até consumar o seu sacrifício e sair vitorioso na sua missão. Ele deixou um legado de amor e comunhão que foi adotado pelos irmãos no início da sua Igreja. As crises de sobrevivência incluindo no sentido material foram amenizadas entre eles, pois se ajudavam mutuamente para que ninguém mendigasse o pão. Essa é uma prática a ser imitada e que não pode ser ignorada entre a Igreja de Cristo.

III – TODAS AS CRISES PODEM SER SUPERADAS COM DETERMINAÇÃO

  1. A crise política deve ser combatida pelo povo consciente dos seus direitos 1 Reis 12.10 E os jovens que haviam crescido com ele lhe falaram: Assim dirás a este povo que te falou: Teu pai fez pesadíssimo o nosso jugo, mas tu o alivia de sobre nós; assim lhe falarás: Meu dedo mínimo é mais grosso do que os lombos de meu pai.

Após a morte de Salomão, Roboão seu filho herdou o trono de Israel. Salomão durante o seu reinado já impunha ao povo pesados impostos, para sustentar os seus luxos e suas extravagâncias. Roboão ao assumir o reino, ao invés de buscar conselhos com pessoas mais idôneas e experientes foi se aconselhar com jovens inexperientes que lhe deram os piores conselhos para reinar sobre o povo de Israel. Esses maus conselhos que Roboão acatou gerou uma revolta entre o povo resultando na divisão do Reino de Israel. Líderes ditadores, tanto no meio secular como no meio eclesiástico, só causam crises de exploração, injustiças, insegurança, saúde e muito mais. Para sairmos das crises de um governo secular que impõe opressão ao povo é preciso um povo mais unido e consciente do seu voto, coisa que os brasileiros ainda não enxergaram, pois muitos ainda se vendem por pouco pelos políticos corruptos. A outra saída para quem pode é mudar para um país onde os governantes são sérios. No meio eclesiástico é mais fácil quando o líder é opressor e corrupto, é só mudar para outra congregação que tenha verdadeiro compromisso com o reino de Deus.

  1. A crise econômica num país é superada quando há bons administradores. Gênesis 41.55 E tendo toda a terra do Egito fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser, fazei. 56 Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José tudo em que havia mantimento, e vendeu aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito.

Quando o governante não é um político de carreira e sim administrador honesto e competente, o país só tem a ganhar com isso. José com a revelação sobre os tempos de fartura e de escassez soube aproveitar bem essas informações para elaborar um plano para abastecer o Egito com grandes quantidades de trigo tanto para suprir o povo local como os estrangeiros que vinham de longe comprar trigo devido o período de escassez que veio sobre a terra de Canaã. Sem usar de falcatruas com o povo, José conseguiu enriquecer o Egito na sua administração ganhando o respeito de Faraó e de todo o povo. O país para evoluir em todos os sentidos e poder suprir o povo naquilo que lhe é de direito, pois o povo paga impostos para que o governo possa administrar com competência e disponibilizar os recursos necessários para atende-los nas suas necessidades prioritárias, que é saúde, educação, habitação e segurança.

  1. A crise espiritual deve ser evitada, pois o que a de vir virá e não tardará. Habacuque 3.17 Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;

Uma grande crise espiritual estava alojada nas autoridades religiosas e políticas no reino de Judá. O povo sofria as consequências dessa crise, pois quando os governantes são indignos da sua posição, o povo é que sofre. Deus falou através do profeta Jeremias para trazer Judá ao arrependimento, mas ao invés de dar ouvidos ao profeta acabaram maltratando e rejeitando o homem de Deus. Dada a dura cerviz das autoridades de Judá, como também do povo, Deus decidiu agir com juízo muito terrível que os levaria a perda da pátria e ao cativeiro em Babilônia. Ao profeta Habacuque, Deus revelou o desenrolar desse juízo que viria sobre a nação de Judá. Esse castigo vindo dos babilônicos afundou Judá na maior crise de subsistência que jamais tinham sofrido. Enfrentaram fomes, pestes, mortes, escravidão e muito mais. (Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. Amós 3:7). Nesses últimos tempos a igreja vem sofrendo crises de identidade, pois diante de tanta apostasia, heresia em várias entidades religiosas fica difícil identificar quem é sério e quem não são. Infelizmente grande parte do povo que se diz cristão prefere as fábulas, porque a sã doutrina causa neles comichão nos ouvidos. O juízo de Deus está para vir a qualquer momento sobre toda face da terra, mas para os que o servem com fidelidade há uma palavra de conforto: (Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Apocalipse 3:10).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Publicado no site Esboços da EBD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *