O Arrebatamento da Igreja – Pr. Adilson Guilhermel

O Arrebatamento da Igreja – Pr. Adilson Guilhermel

Texto Áureo: “Depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens (1 TS 4.17).

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE – 1 Tessalonicenses 4.13-18

Introdução: O arrebatamento será um evento de glória para os crentes prudentes e um evento terrível para os crentes néscios. Isso envolve a necessidade da vigilância, pois a promessa do arrebatamento dos salvos se cumprirá a qualquer momento. Isso exige que o crente deva estar preparado a cada dia e a cada instante. Isso tanto durante a vida cotidiana, como ao deitar e dormir, o crente precisa estar com sua espiritual pronta, pois, quando a trombeta de Deus tocar no momento da parousia, não haverá mais tempo, nem um segundo sequer, para alguém se preparar. A bíblia diz que dois estarão no campo; um será tomado, e o outro será deixado, Duas estarão juntas, moendo; uma será tomada, e outra será deixada, Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro, Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, e outro será deixado, isso significa que dentre esses estão incluídos entes da família que estão desviados, em pecado, incrédulos, falsos profetas e muito mais. Todos os alertas a respeito da vinda de Jesus deverão ser dados no tempo que se chama hoje, porque no arrebatamento, as coisas acontecerão numa rapidez tão surpreendente, como num abrir e piscar de olhos.

I – SOMENTE OS SALVOS PRUDENTES SERÃO ARREBATADOS

1. Só os salvos que já morreram e os vivos irão para Cristo – 1 Ts 5.23 E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.)

Quando nos convertemos a Cristo fomos justificados, e isso é um ato, ou seja, algo único. Após esse ato alcançamos à salvação, que é um processo condicional a santificação. A santificação deve ser contínua até chegarmos à glorificação, que é um ato único para toda a eternidade. É certo que vivendo neste mundo nunca atingiremos a perfeição, contudo devemos nos esforçar para demonstrar uma vida digna de um nascido de novo. A santificação envolve todo o ser de uma pessoa e ela nos prepara para que estejamos prontos a nos encontrar com o Senhor Jesus Cristo, sem qualquer temor de sermos rejeitados. (Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Hebreus 12:14).

2. Só ficarão os que não andam segundo os preceitos de Cristo – Ap 22.15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.) (Ap 3.12 A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.)
O crente que preserva a sua vida espiritual de acordo com os preceitos bíblicos tem a garantia de estar na nova Jerusalém. A nova Jerusalém estará posicionada numa órbita fixa no espaço sobre a Jerusalém terrena. Esta cidade será um posto de comando avançado do reino celestial. Sua forma é quadrangular, com medidas iguais (é de 2.223 quilômetros em todos os três sentidos). Isso já deixa bem claro pelas suas dimensões que não se trata da Jerusalém terrena que tem medidas muito mais reduzidas do que a Jerusalém Celestial. (E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre. Apocalipse 22:5). (E a lua se envergonhará, e o sol se confundirá quando o Senhor dos Exércitos reinar no monte Sião e em Jerusalém, e perante os seus anciãos gloriosamente. Isaías 24:23). Quanto a conduta do crente deve haver um contraste entre ele e o incrédulo. Na nossa conversão recebemos vestiduras limpas e a credencial de cidadão celestial. Agora se o crente mantiver uma conduta comparada aos detestáveis (cães), assassinos, fornicadores, feiticeiros, idólatras e todos os enganadores é evidente que essa credencial vai ser cassada, pois só habitarão na Jerusalém celestial quem mantém as suas vestiduras limpas.

II – O ARREBATAMENTO E A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS

1. É preciso doutrinar acerca da condição dos que já morreram
(1 Ts 4.13 Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.).
Na parousia os sobreviventes não terão vantagens sobre os que já dormiram. A sua chegada será repentina, tomando todos de surpresa. O problema maior de muitos crentes é a ignorância no tocante às realidades espirituais, o que é algo muito ruim, para o seu aperfeiçoamento espiritual. Quando os crentes tessalonicenses quando ouviram o evangelho e se converteram havia a promessa do breve retorno de Cristo. Porém com o passar do tempo, muitos morreram e passaram para a glória e isso causou confusão entre eles. Não entendendo o porquê dessa situação eles estavam profundamente abalados, pois entendiam que todos os seus entes queridos que houvessem partido estavam perdidos. Por essa falta de clareza a respeito desse fato, começaram a deduzir não haver mais esperança na futura glória dos corpos daqueles que haviam falecido. Os falsos mestres destorciam os ensinamentos bíblicos a esse respeito e para acalmar os receios dos tessalonicenses, foi preciso corrigir essas distorções a respeito do dia do Senhor. Os opositores da fé atacam a doutrina da ressurreição, com intenção de destruir os alicerces do Cristianismo. Ainda bem que não tiveram êxito, pois a doutrina da ressurreição é básica para a nossa fé. A primeira ressurreição acontece na conversão do pecador a Cristo, quando o seu espírito que estava mortificado revive. A segunda é a do corpo daqueles que morrem fisicamente, quando na ocasião do arrebatamento esses corpos ressuscitados voltarão ao espírito que havia ido para o céu e se transformarão em corpos glorificados. O próprio Cristo passou por esse processo como está escrito: (I Co 15.13 13. Mas se não existe ressurreição dos mortos, nem mesmo Cristo foi ressuscitado). Não importa quanto tempo em que alguém morreu mesmo totalmente desfeita a matéria, Deus tem o poder para realizar esse feito. Se alguém negar esse fato, então estão negando que o corpo de Cristo também não ressurgiu da sepultura. Quem prega um evangelho sem a doutrina da ressurreição não tem nenhuma mensagem de redenção. (1 Ts 4.14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele.)

2. A três fases distintas da primeira e da segunda ressurreição
Vamos à questão da ressurreição por três fases distintas. A primeira identifica os santos do Antigo Testamento como as primícias dos mortos (Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. (1 Coríntios 15:20) Antes da ressurreição os que dormem conforme o texto bíblico é os santos do Antigo Testamento, desde Adão até o último morto salvo antes da cruz. Esses santos embora tendo morrido salvos antes da cruz, também são de Cristo e eles são o primeiro molho de trigo colhido. A segunda fase foca a ressurreição dos mortos em Cristo após a cruz, os quais são a igreja prudente que será arrebatada recebendo o corpo glorificado juntamente com os santos mortos antes da cruz. A terceira fase foca a ressurreição daqueles que forem mortos no período da grande tribulação, os quais são chamados os mártires da grande tribulação, quando terão os seus corpos glorificados, os quais são o restolho da ceifa, ou as respingas da colheita. Quanto a ressurreição dos ímpios acontecerá após o período milenar para o julgamento do juízo final diante do trono branco. (E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo. Apocalipse 20:12-15).

3. Os vivos salvos no arrebatamento não conhecerão a morte
Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 1 Coríntios 15:52
O processo do arrebatamento será instantâneo com a ressurreição e glorificação de todos os mortos salvos em todos os tempos e os que estiverem vivos e salvos serão transformados em corpos glorificados. Fica entendido que haverá ressurreição dos mortos salvos e transformação dos vivos salvos. Assim todos conjuntamente seremos arrebatados às nuvens ao encontro do Senhor nos ares. (Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas. Filipenses 3:21).

III – VIGIE ANTES DO ARREBATAMENTO PARA SER FELIZ DEPOIS

1. Antes, é preciso muita vigilância em toda a nossa caminhada.
Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Apocalipse 3:11
Deus está fazendo testes de fidelidade conosco durante toda a nossa caminhada nesta terra. Ele permite perseguições, aflições, provações com o propósito de testar a nossa fé, santidade e caráter. Deus nos testa permitindo que Satanás nos tente. Porém Ele nos deu condições para superarmos todas elas, pois é através das adversidades que nossa fé é provada e crescemos espiritualmente. Provações sempre existiram em todas as épocas, com muitos sendo martirizados, mas protegidos da morte espiritual. Temos que guardar a nossa coroa da salvação conservando a nossa lealdade a Cristo até o fim, para sermos considerados vencedores.

2. Depois, teremos toda uma eternidade de felicidade com Cristo
Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. Apocalipse 19:7
Tempos de felicidade eterna estão por vir para a Igreja do Senhor. Somos exortados a nos regozijar, alegrar e dar glórias a Deus, pois as bodas do Cordeiro são específicas a Igreja Santa. Os convidados são todos os santos salvos de todo o período antes da Cruz, os quais participarão com testemunhas da união da noiva (Igreja) com o noivo (Cristo) onde se selará a promessa da eternidade com Ele. (E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. João 14:3).

Pastor Adilson Guilhermel

Publicado no site Esboços da EBD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *