Eu Sei em Quem Tenho Crido – Pr. Adilson Guilhermel

Eu Sei em Quem Tenho Crido – Pr. Adilson Guilhermel

3 Flares Twitter 0 Facebook 3 Filament.io 3 Flares ×

Texto Áureo: porque eu sei em quem tenho crido e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele Dia. 2 Timóteo 1.12.


Leitura Bíblica em Classe: 2 Timóteo 1.3-8; 2.1-4

Introdução: Esse depósito precioso é naturalmente o evangelho, o qual deve ser conservado puro a qualquer custo. Para isso é preciso defendê-lo e jamais permitir que seja mudado ou modificado. Paulo fala com Timóteo de várias maneiras para que perseverasse no seu ministério anunciando e defendendo o evangelho, assim como ele sempre o defendeu. A carreira de Paulo estava chegando ao seu final e a obra propagadora do evangelho deveria seguir avançando através de Timóteo.

O peso da responsabilidade era grande e Paulo sabia muito bem disso, daí a razão de orientar e incentivar a Timóteo em prosseguir sem deixar que as aflições, perseguições, desânimos, medos viessem impedi-lo naquilo a qual foi alistado. Paulo já havia alcançado um nível de experiência elevadíssimo e isso ele declara na carta aos Coríntios cap.11.23 ss: (São ministros de Cristo? (falo como fora de mim) eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes. Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos; Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas. 2 Co 11:23-28). Dificilmente alguém poderia suportar o que o Apóstolo Paulo suportou, e ele sabia disso, como também sabia que Timóteo não teria essa estrutura para isso. Não é todos que conseguem defender esse depósito guardado em Cristo, mas para o Evangelho continuar se propagando, todos nós devemos ter esse depósito guardado em Cristo e mantê-lo a qualquer custo.
I – COMO DEVEMOS DEFENDER ESSE DEPÓSITO GUARDADO EM CRISTO?
1. Devemos ter um espírito disposto a orar por quem Deus põe em nosso coração – 2 Timóteo 1.3 Dou graças a Deus, a quem desde os meus antepassados sirvo com uma consciência pura, de que sem cessar faço memória de ti nas minhas orações noite e dia;
Embora Timóteo sem ter a experiência de Paulo, era vista pelo apóstolo como um homem que da mesma maneira que ele serve ao Deus verdadeiro com uma consciência pura. Em sua masmorra e prestes a ser martirizado com a morte injusta, Paulo medita e se deleita nas suas boas lembranças em relação ao seu filho na fé Timóteo. Paulo tinha um desejo anelante de ver Timóteo, porém dadas as circunstâncias isso não mais ocorreria. Timóteo ao receber esta carta de Paulo certamente se encorajou grandemente por esse oportuno estímulo dado pelo apóstolo, e um desses estímulos era saber que Paulo orava constantemente por ele. Quem tem um coração sincero e comprometido com o reino de Deus é guiado pelo Espírito Santo em toda a sua vida espiritual e nas necessidades alheias.
2 – Devemos ter um espírito de lealdade com irmãos que nos enchem de alegria – 2 Timóteo 1.4 Desejando muito ver-te, lembrando-me das tuas lágrimas, para me encher de gozo;
Paulo não esquecia as lágrimas derramadas por Timóteo na ocasião da sua última despedida e essa boa lembrança o comovia constantemente aumentando o desejo de ver Timóteo, ou que o mesmo viesse visitá-lo na prisão. Quem tem um espírito de lealdade nunca esquece os verdadeiros irmãos na fé, mesmo quando estão distantes e, em quaisquer circunstâncias que esteja enfrentando. Esta é uma característica que confirma a nossa comunhão sincera sem nenhum tipo de hipocrisia. Tem aqueles que nutrem uma amizade só de aparência, ou quando precisam de favores e depois que conseguem abandona. Uma verdadeira comunhão jamais se acaba, ou é esquecida.
3 – Devemos ter um espírito testificador daqueles que mostram uma fé sincera – 2 Timóteo 1.5 Trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti.
A mãe e avó de Timóteo aplicaram bem o que está escrito no livro de Provérbios: (Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. Provérbios 22:6). Essa educação aplicada na vida de Timóteo foi fundamental para a sua conversão ao cristianismo e para ele ser o crente que era. A autenticidade de Timóteo revelada pela sua fé não fingida estava acima de qualquer suspeita. Paulo sabia que a fé de Timóteo era autêntica e sustentaria o seu testemunho a respeito dele até o fim, com a certeza de que seu filho na fé suportaria todas as dificuldades que tivesse a sua frente.
4 – Devemos ter um espírito incentivador de despertar no irmão dons espirituais – 2 Timóteo 1.6 Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos.
Por meio da imposição de mãos feita pelo apóstolo em Timóteo, foi-lhe concedido o dom espiritual que precisava para o seu ministério. Os apóstolos tinham essa autoridade dada por Deus, e na imposição de mãos para ordenar alguém para o ministério, esse dom era concedido e isso aconteceu na ordenação de Timóteo. Paulo sentia que Timóteo precisava por em prática o dom que havia recebido de uma forma mais abrangente. De nada adianta servir a Deus sem o poder do Espírito Santo. Os dons naturais, o talento, o treinamento e a experiência não podem substituir o poder do Espírito Santo.
5 – Devemos ter um espírito de ousadia lutando para a obra de Deus prosperar – 2 Timóteo 1.7 Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
Estamos num campo de batalha constante e o inimigo a qual combatemos é Satanás. Em qualquer situação que tivermos de enfrentar, não podemos temer o poder de Satanás e, sim confiar na capacidade e disposição de Deus que está sempre pronto a nos ajudar. O Espírito Santo não nos abandona quando falhamos, pois quando isso acontece, Ele nos dá poder para reerguermos novamente. (Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão. Salmos 37:24). Josué havia perdido uma batalha, porém Deus o reergueu e mostrou o que precisaria fazer para vencê-la. (Então disse o Senhor a Josué: Levanta-te; por que estás prostrado assim sobre o teu rosto? Josué 7:10).
6 – Devemos ter um espírito de fidelidade em anunciar o evangelho sem timidez – 2 Timóteo 1.8 Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus,
Timóteo apresentava em certas ocasiões alguns sintomas de timidez e isso poderia fazê-lo esquivar de determinadas situações, a qual ele não poderia deixar de enfrentar. Assim ele precisou ser estimulado e encorajado por Paulo para nunca fugir de qualquer enfrentamento ou situação difícil. É preciso entender que o sofrimento faz parte da vida do cristão que milita e quando sofremos por fazer o bem, participamos dos sofrimentos de Cristo, como também sofremos pela sua Igreja. Nenhum de nós pode alegar qualquer motivo para se envergonhar do evangelho de Cristo, pois quem se envergonhar está negando a Cristo. (Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. Mateus 10:33). Paulo também declarou que nunca se envergonharia do evangelho: (Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Romanos 1:16).
7 – Devemos ter um espírito de exortação para ninguém se esmorecer na graça – 2 Timóteo 2.1 TU, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.
Na ordenação de Timóteo ele assumiu compromissos que não seriam fáceis de serem cumpridos. A carreira apostólica de Paulo estava chegando ao seu final e, ele estimula a Timóteo a dar continuidade a propagação da mensagem cristã, a qual não seria realizada pela sua própria força e sim pela graça de Deus. Precisamos de força para propagar a palavra de Deus e essa força só pode vir da graça de Deus e esse era o segredo do ministério do apóstolo Paulo. (E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. 2 Coríntios 12:9).
8 – Devemos ter um espírito responsável para garantir a autenticidade da palavra – 2 Timóteo 2.2 E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.
Uma forma de fortalecer-se na graça é transmitindo a outros as verdades que o Espírito Santo coloca em nosso coração. Paulo por muito tempo levou com firmeza o seu ministério, mas dali em diante ele põe nas mãos de Timóteo, que por sua vez, tinha a responsabilidade de passar aos outros. Quando na ocasião da ordenação de Timóteo para a obra do ministério foi colocada uma missão séria e difícil para ele, o qual aceitou na presença de muitas testemunhas. Assim todo o conhecimento que apreendeu do apóstolo Paulo, ele deveria transmitir o que recebe a homens fiéis, os quais, por sua vez, os transmitirão a outros para que a sã doutrina fosse preservada na sua íntegra. É nossa responsabilidade garantir a autenticidade doutrinária, e mantê-la intacta, e passá-la adiante aso que vieram depois de nós, sem tirar ou acrescentar nada.
9 – Devemos ter um espírito submisso a Deus disposto a sofrer qualquer aflição – 2 Timóteo 2.3 Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.
Um soldado precisa fortalecer o seu físico para encarar a dura realidade num campo de batalha, porém o cristão precisa fortalecer o seu espírito para encarar a dura realidade de lutar pela causa de Cristo. Temos que ter preparo para enfrentar as dificuldades, privações e perigos com um espírito submisso a voz de comando do Espírito Santo. Tem pessoas que acham que o trabalho no ministério é fácil e não tem idéia do quanto um ministro dedicado tem a enfrentar. Um ministro dedicado encontra-se sempre no meio de uma batalha contra os poderes malignos, e isso exige uma grande resistência espiritual.
10 – Devemos ter um espírito disponível a Cristo priorizando a Ele o nosso serviço – 2 Timóteo 2.4 Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.
Todo aquele que se alista nessa guerra espiritual fica totalmente comprometido com aquele que o alistou. Esse que nos alistou é Cristo, e a Ele devemos obediência irrestrita, como também priorizá-lo acima de qualquer coisa. Um pastor não pode se envolver com ocupações secundárias que dividem o seu tempo com os seus interesses e enfraquecem o seu ministério. Se alguém se envolve com seus negócios pessoais ficando absorvido pelos seus interesses, não será capaz de entregar-se à tarefa designada ao seu ofício. O ministro deve dedicar-se totalmente ao Senhor que o alistou e o designou para a sua tarefa. A tarefa do ministro no reino de Deus consiste em pregar e ensinar a verdade, fazendo-o com amor e dedicação. Se não estivermos agradando a Cristo no serviço do reino, estamos perdendo tempo. (E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus. Lucas 9:62).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Publicado no site Esboços da EBD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *