Conflitos Familiares – Sulamita Macedo

Conflitos Familiares – Sulamita Macedo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:

– Apresentem o título da lição: Conflitos familiares.

– Para introduzir o estudo do tema, utilizem a dinâmica “Gotas de óleo”.

– Lembrem-se de que ao trabalhar o conteúdo da lição, vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Gotas de Óleo

Objetivo: Refletir sobre o que origina os problemas familiares e as indicações de como solucioná-los.

Material:

Cópia de texto “Algumas gotas de óleo”(postado abaixo)

01 dobradiça

01 frasco com óleo lubrificante

Nomes digitados: Gotas de Compreensão, Perdão, Paciência, Carinho, Solidariedade, Fraternidade, Amor, Afeição, Silêncio.

02 cartolinas

02 pincéis atômicos

01 rolo de fita adesiva

Procedimento:

1 – Dividam a turma em dois grupos.

2 – Distribuam uma parte do texto “Algumas gostas de óleo”, isto é, somente os dois primeiros parágrafos:

“Num quarto modesto, o doente grave pedia silêncio. Mas a velha porta rangia nas dobradiças cada vez que alguém a abria ou fechava. O momento solicitava quietude, mas não era oportuno para a reparação adequada.

Com a passagem do médico, a porta rangia, nas idas e vindas do enfermeiro, no trânsito dos familiares e amigos, eis a porta a chiar, estridente. Aquela circunstância trazia ao enfermo e a todos que lhe prestavam assistência e carinho, verdadeira guerra de nervos. Contudo, depois de várias horas de incômodo, chegou um vizinho e colocou algumas gotas de óleo lubrificante na antiga engrenagem e a porta silenciou tranquila e obediente.”

3 – Agora, forneçam algumas orientações:

Para o grupo 01: ler os dois parágrafos e fazer uma relação entre a porta que rangia nas dobradiças com os conflitos familiares. Que pontos eles podem apresentar sobre isto?

Apresentar o resultado em uma cartolina.

Entreguem para este grupo 01 dobradiça, 01 cartolina e 01 pincel atômico.

Para o grupo 02: ler os dois parágrafos e fazer uma relação entre o óleo que foi colocado na dobradiça com a diminuição dos conflitos familiares. Que pontos eles podem apresentar sobre isto?

Apresentar o resultado em 01 cartolina.

Entreguem para este grupo o frasco de óleo lubrificante, 01 cartolina e 01 pincel atômico.

Tempo para organização: 10 minutos no máximo.

4 – Os grupos devem apresentar o resultado de forma objetiva, em 03 minutos.

Colocar as cartolinas fixadas no quadro ou parede, próximo aos alunos.

5 – Agora, distribuam o texto completo para os alunos e realizem a leitura de forma compartilhada:

Algumas gotas de óleo

Num quarto modesto, o doente grave pedia silêncio. Mas a velha porta rangia nas dobradiças cada vez que alguém a abria ou fechava. O momento solicitava quietude, mas não era oportuno para a reparação adequada.

Com a passagem do médico, a porta rangia, nas idas e vindas do enfermeiro, no trânsito dos familiares e amigos, eis a porta a chiar, estridente. Aquela circunstância trazia ao enfermo e a todos que lhe prestavam assistência e carinho, verdadeira guerra de nervos. Contudo, depois de várias horas de incômodo, chegou um vizinho e colocou algumas gotas de óleo lubrificante na antiga engrenagem e a porta silenciou tranquila e obediente.

A lição é singela, mas muito expressiva. Em muitas ocasiões há tumulto dentro de nossos lares, no ambiente de trabalho, numa reunião qualquer. São as dobradiças das relações fazendo barulho inconveniente. São problemas complexos, conflitos, inquietações, abalos… Entretanto, na maioria dos casos nós podemos apresentar a cooperação definitiva para a extinção das discórdias.

Basta que nos lembremos do recurso infalível de algumas gotas de compreensão e a situação muda. Algumas gotas de perdão acabam de imediato com o chiado das discussões mais calorosas. Gotas de paciência no momento oportuno podem evitar grandes dissabores. Poucas gotas de carinho penetram as barreiras mais sólidas e produzem efeitos duradouros e salutares. Algumas gotas de solidariedade e fraternidade podem conter uma guerra de muitos anos. É com algumas gotas de amor que as mães dedicadas abrem as portas mais emperradas dos corações confiados à sua guarda. São as gotas de puro afeto que penetram e dulcificam as almas ressecadas de esposas e esposos, ajudando na manutenção da convivência duradoura.

Nas relações de amizade, por vezes, algumas gotas de afeição são suficientes para lubrificar as engrenagens e evitar os ruídos estridentes da discórdia e da intolerância.

Dessa forma, quando você perceber que as dobradiças das relações estão fazendo barulho inconveniente, não espere que o vizinho venha solucionar o problema. Lembre-se que você poderá silenciar qualquer discórdia lançando mão do óleo lubrificante do amor, útil em qualquer circunstância, e sem contra indicação.

Não é preciso grandes virtudes para lograr êxito nessa empreitada. Basta agir com sabedoria e bom senso. Às vezes, são necessárias apenas algumas gotas de silêncio para conter o ruído desagradável de uma discussão infeliz.

E se você é daqueles que pensa que os pequenos gestos nada significam, lembre-se de que as grandes montanhas são constituídas de pequenos grãos de areia(autoria do texto desconhecida).

6 – Após a leitura, perguntem aos alunos quais foram as gotas de óleo mencionadas no texto.

À medida que as gotas forem citadas, coloquem os nomes das gotas( já  digitadas),  no quadro: Gotas de Compreensão, Perdão, Paciência, Carinho, Solidariedade, Fraternidade, Amor, Afeição, Silêncio.

7 – Em seguida, façam uma reflexão entre o que os alunos apontaram para os conflitos(a porta que rangia) e o óleo, que motivou a solução da situação incômoda, com os pontos levantados no texto.

8 – Para, concluir, façam também uma análise sobre este trecho do texto:

“Contudo, depois de várias horas de incômodo, chegou um vizinho e colocou algumas gotas de óleo lubrificante na antiga engrenagem e a porta silenciou tranquila e obediente”. Ao ler, enfatizem a parte em negrito.

Perguntem: o que pode significar “a ação do vizinho”, com relação aos problemas familiares?

Certamente, haverá respostas semelhantes a esta: alguém que está fora da situação de conflito enxerga melhor como solucionar os problemas, por não estar envolvido de forma direta, mas percebe, entende e coopera com o grupo familiar.

Por Sulamita Macedo.

Publicado no blog Atitude de Aprendiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *