Uma Vida de Frutificação – Sulamita Macedo

Uma Vida de Frutificação – Sulamita Macedo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Lição 13: Uma Vida de Frutificação

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entenderão que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais,deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, trabalhem o conteúdo da lição. Vejam as sugestões abaixo:

– Apresentem o título da lição: Uma Vida de Frutificação.

– Depois, utilizem a dinâmica “Árvore Frutífera”.

– Trabalhem o conteúdo da lição, oportunizando a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

Vejam abaixo 02 sugestões para a conclusão do Trimestre!

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Atenção! Professores da classe dos novos convertidos:

Vocês encontram sugestões para a revista Discipulando do 1o. ao 4o. ciclo, no marcador “Discipulando”.

Para a revista 1 e 2 do Discipulado, vocês encontram  no marcador “Subsídio Pedagógico Discipulado 1” e “Subsídio Pedagógico Discipulado 2”, do currículo antigo. Façam bom proveito!

Dinâmica: Árvore Frutífera

Objetivo: Refletir sobre o cuidado que devemos ter com nossa vida espiritual e moral.

Material:

01 cópia do texto Plantando Boas Sementes para cada aluno.

½ folha de papel ofício para cada aluno

Procedimento:

– Leiam o texto “Plantando Boas Sementes”(postado abaixo).

Como principiante no jardim, logo aprendi que um terreno não cultivado era impróprio para a plantação de sementes e para o crescimento. Mas quando plantei boas sementes numa terra bem preparada, o sol e a chuva fizeram a sua parte, até que veio a colheita.

Um terreno bem preparado, as sementes certas e a bênção de Deus são essenciais para a produção de frutos, não somente num jardim, mas também na vida cristã.

O profeta de Deus, Oseias, pregou este princípio ao povo de Israel. Eles haviam semeado sementes de maldade e confiavam nos seus próprios caminhos, em vez de confiar em Deus. Então eles comeram os frutos amargos de mentiras, especialmente a mentira de que a sua própria de que sua segurança e sucesso vinham da sua própria força militar(Oseias 10.13).

Oseias rogou a Israel para seguirem a Deus – deixaram o terreno endurecido dos seus corações e “buscar ao Senhor”. Se eles semeassem justiça, iriam colher a misericórdia do Senhor e Ele faria chover bênçãos sobre eles.

Está o solo do seu coração resistindo a Deus e à Sua Palavra, em vez de ser receptivo(a)? Está você confiando na sua própria maneira de viver em vez de confiar em Deus? Então é tempo de buscar o Senhor em sincero arrependimento, semear atos e atitudes certas na sua vida e crescer espiritualmente. Acima de tudo, dependa do poder de Deus e não do seu próprio para que sua vida seja frutífera. JonieYoder

Fonte do texto: Nosso Pão Diário.

– Em seguida, distribuam a metade da folha de papel ofício para cada aluno.

– Orientem para que eles desenhem uma semente (do lado esquerdo) e uma árvore com raízes a mostra( do lado direito).

– Agora, solicitem que eles façam o seguinte:

Ao lado das raízes, o aluno deverá escrever em que ou quem está alicerçado. Está firmado em Deus ou sua fé está cambaleante com poucas raízes? Continua firme ou qualquer vento mais forte quer derrubá-la?

No solo, deverá escrever qual o tipo de solo em que a semente e a árvore estão plantadas. Também como este solo tem sido tratado para que sua vida espiritual frutifique.

Na copa da árvore, deverá desenhar frutos. Que tipo de frutos tem o aluno colhido na sua árvore espiritual. Como tem se apresentado em todas as estações de sua vida?

– Depois, falem: Temos plantando boas sementes em solos bem preparados, receptivos a Palavra de Deus? Não façamos como o povo de Israel, com o solo do coração endurecido, rejeitou Deus.

– Para finalizar, leiam:

João 15. 5 “Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque  sem mim nada podeis fazer”.

Mateus 12.33b “… pelo fruto se conhece uma árvore”.

Salmo 1. 1 a 3 “Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem seu prazer na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá seu fruto na estação própria e cujas folhas não caem,  e tudo quanto fizer prosperará”.

Por Sulamita. Macedo.

Sugestão para a conclusão do trimestre:

Apresento como sugestão 02 dinâmicas, escolha 01 delas para fazer a conclusão do trimestre.

1 – Dinâmica: A Bagagem

Objetivo:

Refletir sobre a importância da frutificação espiritual na vida cristã.

Material:

Texto “A Bagagem”(postado abaixo)

01 mala pequena

01 mala grande

01 malinha bem pequena de plástico, que você encontra nas lojas de aniversário, tipo essa do lado.

Palavras digitadas: Amizade, Amor, Raiva, Incompreensão, Medo, Pessimismo, Desânimo, Sorriso, Outro Sorriso, Mais Outro Sorriso, Felicidade, Tristeza, Paciência, Esperança, coragem, Entusiasmo, Equilíbrio, Responsabilidade, Tolerância, Bom humor, Preocupação.

Também digitem as 09 partes do Fruto do Espírito Santo (Gl 5.22) e as 16 obras da Carne(Gl 5.19 a 21).

Procedimento:

1 – Antes da aula: Coloquem todas estas palavras dentro da mala grande, pregadas com fita adesiva para facilitar a procura das palavras. Com um clips junte as 09 partes do Fruto do Espírito e com outro as 16 obras da carne e coloquem dentro da mala.

2 – Durante a aula: Escolham uma pessoa para ler o texto “A Bagagem” e outra para realizar as ações apontadas no texto. As orientações em itálico são minhas, não fazem parte do texto original.

Texto de Reflexão “A Bagagem”

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina na mão. (neste momento mostre a mala pequena).

À medida em que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando. Porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, achando que é importante. (Peguem a mala grande).

A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas. Pesa demais (andar como se mala realmente estivesse pesada). Então você pode escolher:

Ficar sentado à beira do caminho (se possível se sentar), esperando que alguém o ajude, o que é difícil. Pois, todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem. Você pode ficar a vida inteira esperando, até que seus dias acabem.

Ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala. Mas, o que tirar? Você começa tirando tudo para fora, e vendo o que tem dentro… Amizade… Amor… Nossa! Tem bastante! É curioso, não pesa nada!. (comecem a tirar as palavras à medida que forem mencionadas).

Mas tem algo pesado. Você faz força para tirar. É a raiva, como ela pesa.

Aí você começa a tirar, tirar e aparecem à incompreensão, o medo, o pessimismo.

Nesse momento, o desânimo quase te leva para dentro da mala. Mas, você puxa-o para fora com toda a força e aparece um sorriso, que estava sufocada no fundo de sua bagagem.

Pula para fora outro sorriso e mais outro sorriso e ai sai a felicidade.

Você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira pra fora a tristeza.

Agora, você vai ter que procurar a paciência dentro da mala, pois você vai precisar bastante…

Então procurem o resto, esperança coragem, entusiasmo, equilíbrio, responsabilidade, tolerância, bom humor. (As 09 partes do Fruto do Espírito, ao retirar leia cada uma).

Tira a preocupação também, e deixe de lado. Depois você pensa o que fazer com ela… ( as 16 obras da carne,  ao retirar leia cada uma).

Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo! Mas pense bem o que você vai colocar lá dentro!

Agora é com você… E não se esqueça de fazer isso mais vezes… Pois, o caminho é muito, muito longo.

Autoria do texto desconhecida.

3 – Agora, sugiram aos alunos para que “arrumem a mala”, colocando as palavras que merecem estar no nosso caminhar na vida cristã, enfatizem a importância das 09 partes do Fruto do Espírito.

4 – Para concluir, entreguem para cada aluno, 01 malinha bem pequena de plástico com o versículo de Mateus 11. 28 a 30.

Por Sulamita Macedo.

2 – Dinâmica: Que tipo de vaso és?

Objetivo: Refletir sobre vasos de honra e desonra.

Material:

02 vasos de barro do mesmo tamanho e forma

02 tipos de sementes

Versículos digitados sobre as obras da carne e o fruto do Espírito.

Procedimento:

– Apresentem para os alunos os 02 vasos.

– Falem: Eles são iguais, no tamanho, na forma e no material.

– Perguntem: Mas, o que pode diferenciar estes dois vasos?

– Passem os dois vasos para os alunos observarem qual o conteúdo deles.

Os alunos vão encontrar sementes.

– Falem: O apóstolo Paulo menciona vasos de honra e desonra, numa analogia ao tipo de atitude dos crentes e dos mestres.

– Depois, leiam II Tm 2.20 e 21:

“Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra.

De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra”.

– Falem: Se o vaso representa a vida de uma pessoa, qual o resultado da germinação destas sementes?

– Pequem um vaso, afastem as sementes e aparecerá um pequeno papel contento os versículos de Gl 5. 19 a 21. Leiam os versículos:

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”.

– Pequem o outro vaso, afastem as sementes e aparecerá um pequeno papel contento os versículos de Gl 5. 22. Leia o versículo:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”.

– Observaram a diferença entre um vaso de honra e de desonra. O vaso de sua vida está cheio de qual tipo de sementes?

– Para finalizar, leiam: “Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra”(I Ts 4.4).

Por Sulamita Macedo.

Publicado no blog Atitude de Aprendiz

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *