Uma Vida de Frutificação – Estilo Adoração

Uma Vida de Frutificação – Estilo Adoração

Uma Vida de Frutificação é o tema da lição 13 das Lições Bíblicas CPAD do 1º trimestre de 2017 para a Escola Bíblica Dominical. Neste estudo bíblico falaremos sobre a verdade de que os verdadeiros seguidores de Cristo necessariamente são ramos frutíferos.

Texto Áureo: João 15:2

Leitura Bíblica em Classe: João 15:1-6

Introdução – Lição 13: Uma Vida de Frutificação

Lições Bíblicas 1º Trimestre de 2017 – Escola Bíblica Dominical

Quando entendemos a exposição do apóstolo Paulo acerca do fruto do Espírito entendemos que somos incapazes, por nós mesmos, de gerar as virtudes que compõe esse fruto.

É por isso que o apóstolo denomina esse conjunto de qualidades de “fruto do Espírito”, no sentido de que é o Espírito que o produz em nós. Assim, o próprio apóstolo esclarece que tal fruto é gerado em nós quando vivemos e somos guiados pelo Espírito. Podemos entender melhor esse conceito nas palavras de Jesus presentes na alegoria sobre a videira e seus ramos (Jo 15:1-11).

I- A Videira e Seus Ramos – Lição 13: Uma Vida de Frutificação

No capítulo 15 do Evangelho de João, Jesus, utilizando uma ilustração, se apresenta como a Videira Verdadeira. Diferente de Israel, um tipo de videira que falhou e foi julgada pela sua falta de fruto, Jesus cumpriu efetivamente o simbolismo que Israel simplesmente representava.

O objetivo principal desse ensino do Senhor é falar sobre a união entre Cristo e os redimidos, e como funciona a natureza desse relacionamento. Cristo, como a Videira Verdadeira, possui ramos que frutificam. No entanto, ao dizer “todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta”, Jesus aponta para a verdade de que n’Ele nenhum ramo pode ser infrutífero.

Assim, não existem cristãos verdadeiros que não dão frutos, ou seja, a frutificação distingue de forma definitiva e infalível quem está genuinamente em Cristo. O Pai, como um agricultor, providencia os cuidados necessários para que os ramos sejam frutíferos.

Com base no contexto do próprio capítulo 15, onde Jesus deu suas últimas instruções aos discípulos antes de ser traído e preso no Getsêmani, percebemos que a analogia dos “frutos” está designando o fruto moral, isto é, a consequência natural da obediência a Palavra de Deus expressa no caráter cristão daqueles que foram regenerados pelo Espírito Santo.

Lembre-se que naquela mesma noite havia ali onze discípulos que de fato eram ramos frutíferos, mas também havia um que daria seus paços finais rumo à destruição eterna, ou seja, Judas Iscariotes exemplifica muito bem aqueles que afirmam estarem unidos a Cristo, mas na verdade não produzem frutos de obediência, pois sua confissão é na realidade falsa e apenas histórica.

Quando relacionamos esse ensino de Jesus com o capítulo 5 da Carta aos Gálatas, entendemos algo muito importante. O apóstolo Paulo claramente nos alerta para o fato de que é somente pela ação e capacitação do Espírito Santo que podemos demonstrar as virtudes que nos levam a uma vida que agrada a Deus, ou seja, a fonte da frutificação não está em nós mesmos, isto é, apenas com o novo nascimento é que podemos estar verdadeiramente unidos na Videira Verdadeira.

II- Fundamento da Frutificação Espiritual – Lição 13: Uma Vida de Frutificação

Dentre as virtudes geradas pelo Espírito, certamente o amor se destaca como sendo o elo entre todas as demais. O apóstolo Paulo, quando escreveu aos irmãos de Corinto, destacou de forma especial a supremacia do amor (1Co 13).

Aqui não se trata de um amor qualquer, mas do amor ágape, o amor abnegado e invencível que tem origem no próprio Deus. Assim, nossas ações e atitudes refletem esse amor, revelando que pertencemos a Deus, de modo que Cristo seja glorificado.

Portanto, quando temos o amor de Deus produzido em nós pelo Espírito Santo consequentemente também teremos alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e temperança.

III- Chamados Para Frutificar – Lição 13: Uma Vida de Frutificação

Todo cristão genuíno é chamado para frutificar. Quem está verdadeiramente em Cristo, naturalmente dará frutos.

Isso ocorre porque não há possibilidade de alguém ser regenerado pelo Espírito Santo e não demonstrar em sua vida as virtudes produzidas pelo próprio Espírito que marcam o caráter do verdadeiro cristão.

Assim, o verdadeiro seguidor de Cristo é capacitado a viver de uma forma que agrada a Deus, obedecendo a Sua Palavra e dando testemunho condizente com a nova natureza recebida.

Conclusão – Lição 13: Uma Vida de Frutificação

Se as obras da carne identificam aqueles que andam segundo a natureza humana decaída e corrompida pelo pecado, o fruto do Espírito caracteriza aqueles que foram redimidos, os que nasceram de novo, e agora, pela ação do Espírito Santo, são capazes de viver uma vida de frutificação.

Publicado no blog Estilo Adoração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.