Wordpress Themes

Um Tipo do Futuro Anticristo - Luciano de Paula Lourenço

Texto Base: Daniel 11:1-3,21-23,31,36
 
“Ningu√©m, de maneira alguma, vos engane, porque n√£o ser√° assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdi√ß√£o” (2Ts 2:3)

INTRODUÇÃO
Nesta Aula, estudaremos o cap√≠tulo 11 de Daniel, o qual traz uma profecia que abrange os dois √ļltimos Imp√©rios: o Medo-Persa e o Grego. Neste cap√≠tulo Deus revela a Daniel eventos prof√©ticos que se cumpriram no per√≠odo interb√≠blico, ou seja, aquele per√≠odo entre o Antigo e o Novo Testamentos. Mas tamb√©m Deus revela a Daniel os grandes conflitos pelos quais passar√£o o povo de Israel at√© a vinda gloriosa de Jesus Cristo. A revela√ß√£o maior da profecia de Daniel cap√≠tulo 11 diz respeito ao personagem hist√≥rico Ant√≠oco Epif√Ęnio IV. Pelo car√°ter trai√ßoeiro, cruel, astuto e enganador desse d√©spota, e pelo seu desprezo √†s coisas sagradas, √© que muitos estudiosos o colocam como o tipo mais emblem√°tico do Anticristo descrito no Novo Testamento (Mt 24:15; 2Ts 2:3-12; Ap 13).
A¬†primeira parte das profecias de Daniel, isto √©, Dn 11:2b-35,¬†refere-se a fatos que j√° se cumpriram na hist√≥ria, concentrando-se principalmente nos acontecimentos na P√©rsia e na Gr√©cia. Essas profecias cumpriram-se de forma literal e muit√≠ssimo detalhadas na hist√≥ria, causando grande impacto e espanto entre muitos historiadores. A √ļltima parte de Daniel¬†11, do vers√≠culo¬†36em diante, passa para o “tempo do fim”, haja vista os fatos narrados n√£o terem a√ß√Ķes correspondentes ao longo da hist√≥ria. A partir do vers√≠culo¬†36, os relatos dizem respeito √†s a√ß√Ķes do Anticristo que vir√°.
I. PREDI√á√ēES PROF√ČTICAS CUMPRIDAS COM EXATID√ÉO (Dn 11:2-20)
1. A revela√ß√£o sobre o fim do Imp√©rio Medo-Persa (Dn 11:2). “E, agora, te declararei a verdade: Eis que ainda tr√™s reis estar√£o na P√©rsia, e o quarto ser√° cumulado de grandes riquezas mais do que todos; e, esfor√ßando-se com as suas riquezas, agitar√° todos contra o reino da Gr√©cia“.
Aqui, Daniel fala sobre quatro reis persas. Embora doze reis persas tivessem reinado, Daniel fica sabendo que três reis sucederão a Dario, o medo, antes que se levantasse um quarto rei de grande prosperidade. Segundo o estudioso Arno Clemens Gaebelein(influente ministro evangélico metodista estadunidense - 1861-1945), os três reis foram Assuero (530-522 a.C), Artaxerxes(522 a.C) e Dario (522-486 a.C), conhecidos na história secular como Cambises, Pseudo-Smirdes(considerado um impostor) e Dario Histapais (não Dario o Medo). O quarto rei foi Xerxes (486- 465 a.C), chamado de Assuero (marido de Ester, Et 1:1), que como nos conta a história, era imensamente rico (Et 1:4). Usou sua fortuna para formar e manter um imenso exército, com o qual atacou a Grécia. A invasão da Grécia aconteceu em 480 a. C. Veja Esdras 4:5-24.
Segundo Coment√°rio B√≠blico Beacon, Xerxes ou Assuero, reuniu uma gigantesca for√ßa de infantaria, cavalaria, carros de guerra e navios. Estima-se que cerca de cinco milh√Ķes de homens se engajaram nessa guerra. Apesar desse imenso poderio b√©lico, os valentes gregos os venceram nas batalhas cruciais de Term√≥pilas e Salamina. Embora outras campanhas militares tenham acontecido, nenhuma se igualou a essa e o poder da P√©rsia declinou at√© sua derrota final sob Dario III.
2. Um rei valente (Dn 11:3).¬†”Depois, se levantar√° um rei valente, que reinar√° com grande dom√≠nio e far√° o que lhe aprouver“.
Neste vers√≠culo o Imp√©rio Greco-Maced√īnio entra em cena. Observe que o imp√©rio Grego n√£o √© mais representado como nas composi√ß√Ķes anteriores descritas por Daniel: (a) “Cobre” (Dn 2:32); (b) “Metal” (Dn 2:39); (c) “Leopardo” (Dn 7:6); (d) “Bode peludo” (Dn 8:20,21). Agora, no presente vers√≠culo, este reino tem sua representa√ß√£o na pessoa de um “rei valente” que reinaria com grande dom√≠nio. Este rei valente foi Alexandre Magno, ele realmente tomou o Imp√©rio Medo-Persa, e reinou com grande poder (Dn 8:3,4).
O pr. Severino Pedro da Silva narra em seu livro que “Alexandre foi, de fato, um guerreiro habilidoso, por√©m, tudo quanto fez e conquistou foi derramando sangue (dos outros) e pela espada. Ele foi a ant√≠tese¬†do verdadeiro Cristo, que tudo quanto fez e conquistou foi derramando o seu pr√≥prio sangue, e manifestando seu grande amor”. Ele mostra o quadro antit√©tico do car√°ter de Alexandre ao comparar com o car√°ter de Cristo, da seguinte maneira:
“Jesus e Alexandre morreram aos trinta e tr√™s anos. Um deles viveu para si mesmo, o outro por mim e por voc√™. O grego morreu num trono; o Judeu morreu numa cruz. A vida de um foi triunfante (aparentemente); a do outro, uma derrota (aparentemente). Um deles comandou imensos ex√©rcitos armados, o outro teve apenas um pequeno grupo, desarmado. Um derramou o sangue alheio sem piedade, o outro derramou o seu pr√≥prio sangue, e o derramou por amor ao mundo. Alexandre conquistou o mundo em vida; Jesus perdeu a sua vida para ganhar vida para seus seguidores. Um morreu na Babil√īnia, o outro no Calv√°rio em Jerusal√©m. Um conquistou tudo para si, e o outro a si mesmo se deu. Alexandre, enquanto viveu, conquistou todos os tronos; Jesus, na morte e na vida, conquistou o Trono de Gl√≥ria. Um deles sendo servo se fez deus; o outro sendo Deus se fez servo (Fp 2:6-7). Um deles ganhou um grande nome: Alexandre! O outro “um nome que √© sobre todo o nome”: JESUS! Um deles viveu para se gloriar; o outro para aben√ßoar. Quando o grego morreu, seu trono, conquistado pela espada, ruiu para sempre. Jesus, quando morreu ganhou o trono que permanece para sempre (Sl 93:2)”.
3. A divis√£o do reino entre quatro generais¬†(Dn 11:4-20). “Mas, estando ele em p√©, o seu reino ser√° quebrado e ser√° repartido para os quatro ventos do c√©u; mas n√£o para a sua posteridade, nem tampouco segundo o poder com que reinou, porque o seu reino ser√° arrancado e passar√° a outros” (Dn 11:4).
O seu reino ser√° quebrado“. Isto aconteceu realmente como diz a profecia em foco. Alexandre reinou com grande poder; ele foi chamado de Magno, mas morreu prematuramente aos trinta e tr√™s anos de idade. Ele conquistou o mundo em dez anos; morreu aos 33 anos de idade, na Babil√īnia. Conforme estudiosos, afogou-se na pr√≥pria bebedeira e vaidade. O “chifre” ilustre foi realmente “quebrado”, como vaticinara o profeta do Senhor: “E o bode se engrandeceu em grande maneira; mas, estando na sua maior for√ßa, aquela grande ponta foi quebrada; e subiram no seu lugar quatro tamb√©m not√°veis, para os quatro ventos do c√©u” (Dn 8:8).
Depois de sua morte o imp√©rio de Alexandre foi dividido em quatro partes (”quatro ventos”), depois da batalha de Ipso, em 301 a.C. A sua posteridade (fam√≠lia) n√£o recebeu o reino, e sim seus quatro generais de ex√©rcitos: a) Ptolomeu; b) Seleuco; c) Lis√≠maco; d) Cassandro. As quatro regi√Ķes de que fala o texto divino foram: a) O Egito (regi√£o Sul); b) A S√≠ria (regi√£o Norte); c) A Maced√≥nia (regi√£o Oeste); d) A √Āsia Menor.
Os generais de Alexandre Magno reinaram tamb√©m com grande autoridade, mas nenhum deles chegou √† sua gl√≥ria e magnitude; tamb√©m n√£o eram de sua fam√≠lia; cumprindo-se, assim, a profecia:¬†“… seu reino ser√° repartido… mas n√£o para a sua posteridade“. Esse acontecimento sobre seu reino, o pr√≥prio Alexandre j√° o previu em vida como ele mesmo declarou ao seu bi√≥grafo: “Ainda em vida, Alexandre predisse que seus amigos lhe fariam um cruento funeral”. Cumpriu-se o vatic√≠nio. Alexandre n√£o deixou sucessor direto ao trono (pr. Severino Pedro da Silva - Daniel - vers√≠culo por vers√≠culo. CPAD).
II. O CAR√ĀTER PERVERSO DE ANT√ćOCO EPIF√āNIO (Dn 11:21-35)
1. Ant√≠oco Epif√Ęnio foi um rei perverso e bestial. “Depois, se levantar√° em seu lugar¬†um homem vil, ao qual n√£o tinham dado a dignidade real; mas ele vir√° caladamente e tomar√° o reino com engano”¬†(Dn 11:21).
O “homem vil” referido neste texto refere-se a Ant√≠oco Epif√Ęnio IV, que chegou ao poder por volta de 175 a.C, aos 40 anos de idade, e reinou onze anos, at√© sua morte, em 164 a.C. Foi o grande perseguidor dos judeus na terra de Israel. No seu governo come√ßou a revolta dos Macabeus.
Ele usurpou o trono que por direito pertencia a Dem√©trio, o jovem filho de Seleuco IV. Ant√≠oco (a “ponta muito pequena” de Dn 8:9-14,23-25) levou a efeito v√°rias campanhas contra o Egito. Assassinou o “pr√≠ncipe do concerto” (uma profecia sobre o assassinato do sumo sacerdote¬†Onias,em 170 a.C., Dn 11:22). Seus tratados com outras na√ß√Ķes eram eivados de intriga e engano. Atacava de improviso cidades ricas em tempo de paz (ver Dn 11:24). Seus ataques contra o Egito foram bem-sucedidos porque os que deviam ajudar o Egito n√£o o fizeram, e Ant√≠oco regressou √† S√≠ria com grandes riquezas (veja Dn 11:25-28).
O Rev. Hernandes Dias Lopes, citando Osvaldo Litz, diz que Ant√≠oco Epif√Ęnio passou quatorze anos em Roma, em contato com as imoralidades e extravag√Ęncias dos romanos. Ali moldou seu car√°ter pervertido. Ele deu a si o t√≠tulo de Ant√≠oco Epif√Ęnio (ilustre), mas o povo chamava-o Ant√≠oco Epimanes (louco). Certamente, este monarca Seleuca foi, em sua gera√ß√£o, uma figura do verdadeiro Anticristo, “… o homem do pecado, o filho da perdi√ß√£o” (2Ts 2:3).
2. Ant√≠oco Epif√Ęnio invadiu Jerusal√©m¬†(Dn 11:28). “Ent√£o, tornar√° para a sua terra com grande riqueza, e o seu cora√ß√£o ser√° contra o santo concerto; e far√° o que lhe aprouver e tornar√° para a sua terra“.
Ant√≠oco Epif√Ęnio IV nutria um grande √≥dio dos judeus e da santa lei de Deus. Estava convicto de que a l√≠ngua e a cultura grega eram superiores a qualquer outra l√≠ngua e cultura, e tamb√©m odiava os judeus porque a religi√£o deles era exclusivista. Cerca de 168 a.C., invadiu o Egito outra vez, mas os “navios de Quitim”(Dn 11:30, isto √©, Chipre) comandados pelo c√īnsul romano Laenas derrotaram-no, e ele retirou-se para o seu pa√≠s. Ele, ent√£o, procurou vingar-se da sua frustra√ß√£o, opondo-se aos judeus, embora alguns destes o apoiassem. Esses judeus ap√≥statas convidaram Ant√≠oco a introduzir entre eles a cultura e a religi√£o gregas (Dn 11:30).
Antioco marchou contra Jerusal√©m, profanou o templo e fez cessar os sacrif√≠cios di√°rios requeridos pela lei de Deus (Dn 11:31). Ele levantou um altar pag√£o no templo, colocou no lugar santo uma imagem do deus grego, Zeus, e mandou sacrificar um porco no altar e borrifar o sangue no templo. Esse altar a Zeus √© “a abomina√ß√£o desoladora” de Dn 11:31, que prefigura outra abomina√ß√£o que, segundo Jesus profetizou, ocorrer√° no per√≠odo do Anticristo, quando ele quebrar√° o concerto firmado com Israel, na segunda metade da septuag√©sima semana de Daniel. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Um Tipo do Futuro Anticristo - TV ADNP

Programa TV Escola Bíblica, da TV ADNP, apresentado pelo Pr. Paulo Rogério.

Acesse: www.tvadnp.com/

Lição 12 - 4T/2014

converter em pdf.

Um Tipo do Futuro Anticristo - EBP em Foco

Aula ministrada no Programa EBP em Foco da EBD da Asssembleia de Deus em Teófilo Otoni/MG.

Lição especial de Natal, gravada direto do templo central da ADTO.

O professor Elias recebe os amigos Rafael, Kayler, Marcelo e Pedro.

Lição 12 - 4T/2014

converter em pdf.

Um Tipo do Futuro Anticristo - Sulamita Macêdo

Lição 12: Um Tipo do Futuro Anticristo


Professoras e professores, observem estas orienta√ß√Ķes:

1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

- Cumprimentem os alunos.

- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

- Perguntem como passaram a semana.

- Escutem atentamente o que eles falam.

- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 - Ap√≥s a chamada, solicitem ao secret√°rio da classe a rela√ß√£o dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, atrav√©s de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).Os alunos se sentir√£o queridos, cuidados, perceber√£o que voc√™s sentem falta deles. Dessa forma, voc√™s estar√£o estabelecendo v√≠nculos afetivos com seus alunos.

4 - Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 - Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 - Agora, voc√™s iniciam o estudo da li√ß√£o. Vejam estas sugest√Ķes:

- Apresentem o título da lição: Um Tipo do Futuro Anticristo.

- Peçam para que os alunos abram a Bíblia no final do Antigo Testamento e o início do Novo Testamento.

- Em seguida, falem que entre o t√©rmino do AT e o in√≠cio do NT h√° um per√≠odo chamado de interb√≠blico de aproximadamente 400 anos.Falem ainda que o tema da li√ß√£o de hoje aborda as revela√ß√Ķes prof√©ticas de Daniel que se cumpriu neste per√≠odo, destacando o aparecimento de Ant√≠oco Epif√Ęnio, considerado uma figura do Anticristo.

- Agora falem sobre os seguintes pontos:

O fim do império medo-persa

O rei valente do império grego

A divis√£o do reino

O rei perverso: Ant√≠oco Epif√Ęnio, tipo do Anticristo

O Anticristo

- Para concluir, utilizem a din√Ęmica¬†“A M√°scara”.Tenham uma excelente e produtiva aula!

Din√Ęmica: A M√°scara

Objetivo: Refletir sobre a forma de manifestação do Anticristo.

Material:

03 m√°scaras

03 alunos

Procedimento:

1 - Antes do início da aula:- Escolham 03 alunos ou outros que voluntariamente participem da atividade.

- Falem:Para o aluno 02: dever√° falar para a turma caracter√≠sticas pessoais(n√£o f√≠sicas) e do que gosta de fazer, do que j√° fez, do que pretende realizar,¬† relatar acontecimentos ocorridos com ela. Este relato dever√° ser de forma exagerada, deve¬† inventar(mentir), mas que seja moderado para n√£o levantar suspeitas se as afirma√ß√Ķes s√£o verdadeiras e ou falsas. Tudo deve ser expresso de forma que conven√ßa os ouvintes.Para o aluno 01 e 03, deve tamb√©m ter o mesmo procedimento do aluno 02, mas n√£o podem mentir, o que relatar deve ser real.

- Orientem que eles v√£o usar uma m√°scara, quando chegar o momento de falar para a turma.

- Pe√ßam para que eles n√£o divulguem para os colegas as orienta√ß√Ķes dadas a eles.

2 - No momento da realiza√ß√£o da din√Ęmica:

- Chamem os 03 alunos para se posicionar na frente da classe.

- Coloquem a m√°scara em cada aluno.

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Um Tipo do Futuro Anticristo - Ev. Dr. Caramuru Afonso Francisco

Aula pr√©via referente a Li√ß√£o 12: Um Tipo do Futuro Anticristo do 4¬ļ Trimestre de 2014: Integridade Moral e Espiritual ‚ÄĒ o legado do livro de Daniel para a Igreja hoje, como prepara√ß√£o dos Professores da EBD durante a semana anterior a aula.

Lição 12 - 4T/2014

converter em pdf.

Um Tipo do Futuro Anticristo - Ev. José Roberto A. Barbosa

UM TIPO DO FUTURO ANTICRISTO

Texto √Āureo I Ts. 2.3 - Leitura B√≠blica Dn. 11.1-36



Prof. Ev. José Roberto A. Barbosa

www.subsidioebd.blogspot.com

Twitter: @subsidioEBD

INTRODUÇÃO

Na aula de hoje retornaremos ao tema do anticristo, a partir da an√°lise do imp√©rio grego, com destaque para a figura de Ant√≠oco Epif√Ęnio. Inicialmente mostraremos como o imp√©rio grego se tornou proeminente. Em seguida, analisaremos historicamente o papel de Ant√≠oco Epif√Ęnio, que viria a perseguir o povo de Deus. Ao final desta li√ß√£o nos voltaremos para o anticristo, √†quele que haver√° de vir, e que √© revelado por Jesus em Mateus, por Paulo e Jo√£o em suas ep√≠stolas, e no Apocalipse.

1. A PROEMIN√äNCIA DO IMP√ČRIO GREGO

Neste cap√≠tulo 11 o anjo que apareceu a Daniel no cap√≠tulo anterior continua a mostrar-lhe a revela√ß√£o do futuro (Dn. 11.2). Atrav√©s desse descortinamento o Senhor demonstra Sua soberania, e que est√° no comando da hist√≥ria. Como caiu o grande poder da Babil√īnia, cairia tamb√©m os reinos da P√©rsia, que seriam suplantados pelo imp√©rio grego. Daniel recebe a revela√ß√£o a respeito de quatro reis persas (Dn. 11.1,2), que sucederiam a Dario, o medo, e de um governante que apoiaria uma disputa contra a Gr√©cia. Os tr√™s reis mencionados s√£o Cambises II (530 a. C.), Gautama (522 a. C.), e Dario I (522 - 428 a. C.). O quarto rei √© Xerxes (486 - 465 a. C.,), sendo esse o mais rico (Et. 1.4). Nos vers√≠culos 3 e 4 h√° uma alus√£o a Alexandre, tendo esse se tornando o grande imperador grego. Ele morreu prematuramente aos 33 anos, decorrente de uma vida dissoluta, regada bebedeira e vaidade, ap√≥s ter conquistado praticamente todo o mundo conhecido. Posteriormente Daniel mostra v√°rios reis da S√≠ria e do Egito (Dn. 5. 2-20), em um processo de altern√Ęncia entre as duas for√ßas da √©poca. Nos vers√≠culos 21 a 35 Daniel descreve um rei s√≠rio bastante perverso, refer√™ncia a Ant√≠oco IV, que conquistou o poder por volta de 175 a. C., aos 40 anos de idade, tendo reinado por onze anos, at√© 154 a. C. Ele deu a si mesmo o t√≠tulo de Epif√Ęnio (o ilustre), ainda que o povo o denominasse de Epimanes (o louco). Como costumam fazer alguns governantes, conduziu seu governo com tramas maquiav√©licas, recorrendo √† ast√ļcia, crueldade e intoler√Ęncia. Ele foi conduzido ao imp√©rio atrav√©s de intrigas e adula√ß√£o (Dn. 11.21), fazendo guerra contra os ptolomeus do Egito (Dn. 11.22) e alian√ßas com inimigos (Dn. 11.23).

2. ANT√ćOCO EPIF√āNIO, UM TIPO DO ANTICRISTO

Ant√≠oco Epif√Ęnio √© considerado um tipo de anticristo por causa do seu confronto direto aos israelitas (Dn. 11.28,30). Ele odiava o povo de Deus, certamente por causa da oposi√ß√£o que fazia ao seu governo. Por isso profanou o templo e fez cessar os sacrif√≠cios di√°rios (Dn. 11.31). Teve a aud√°cia de levantar um altar pag√£o no templo e mandou sacrificar um porco no altar e borrifar o sangue no templo. Ainda que tenha conseguido o apoio de alguns judeus ap√≥statas, a maioria deles resistiu √† viol√™ncia (Dn. 11.32). Muitos homens de Deus se levantaram contra aquele imp√©rio, ensinando as Sagradas Escrituras (Dn. 11.33). Por causa do compromisso com a Palavra, alguns deles foram executados pelo imp√©rio (Dn. 11.35). A pol√≠tica humana, quando centrada em determinadas pessoas, √© capaz de destruir vidas inocentes. A B√≠blia n√£o respalda a obedi√™ncia cega √†s autoridades, muito pelo contr√°rio, devemos antes obedecer a Deus do que aos homens (At. 5.29). No caso dos crist√£os, esses est√£o no mundo, mas n√£o s√£o do mundo (Jo. 15.17), por isso devem pagar impostos (Mt. 28.17-21), e respeitar as autoridades, com vistas √† viv√™ncia coletiva (Rm. 13.1-7). Por isso devemos orar pelos governantes (I Tm. 2.1,2), obedecer √†s leis, considerando inclusive o direito de defesa (I Pe. 2.13). Retornando ao assunto de Ant√≠oco Epif√Ęnio, ap√≥s um momento de persegui√ß√£o intensa contra os judeus, o sacerdote Matatias o resistiu, dando in√≠cio a guerra dos Macabeus. A partir dos vers√≠culos 36 a 45 Daniel passa a retratar um governo sat√Ęnico, o do pr√≥prio anticristo, que haver√° de vir, do qual Ant√≠oco Epif√Ęnio era apenas um tipo.

3. O ANTICRISTO QUE HAVER√Ā DE VIR

O anticristo que haver√° de vir √© comumente designado como escatol√≥gico, isso porque ele se manifestar√° no futuro. De acordo com o texto de Daniel, esse ser√° um homem extremamente perverso (Dn. 11.36-39), totalmente dependente das suas for√ßas pol√≠ticas (Dn. 11.38,39). Como fez Ant√≠oco Epif√Ęnio na antiguidade, o anticristo tamb√©m perseguir√° os israelitas, de forma sanguin√°ria (Dn. 11.40-44). Por fim esse anticristo ser√° derrotado (Dn. 11.45), sugerindo que o pr√≥prio Deus derrotar√° o anticristo (II Ts. 2.8). Esse anticristo escatol√≥gico √© o homem da iniquidade de II Ts. 2.3,4. Conforme j√° estudamos em Dn. 9.27, no contexto das setenta semanas, o anticristo estabelecer√° uma alian√ßa com o povo de Israel, rompendo-a posteriormente. Esse epis√≥dio acontecer√° no desdobramento da Tribula√ß√£o, a respeito da qual se referiu Jesus, em Mt. 24.15, e por Paulo em II Ts. 2.3-12. O livro do Apocalipse descreve esse per√≠odo, no qual haver√° um governo tripartido, essa a raz√£o do n√ļmero 666, que significa n√ļmero de homem tr√™s vezes (Ap. 13.5). Para Jo√£o esse anticristo, cujo esp√≠rito j√° opera entre n√≥s, √© o mentiroso e a besta (I Jo. 2. 18-22; Ap. 13.1). Para Paulo ele √© o homem da iniquidade (II Ts. 2.3), o in√≠quo (II Ts. 2.8), o filho da perdi√ß√£o (II Ts. 2.3). Para Jesus, esse homem √© o abomin√°vel da desola√ß√£o (Mt. 24.15-28). O prefixo anti √© grego e significa oposto, por isso ele se colocar√° contra Cristo, e todos aqueles que O seguem. A origem desse anticristo √© sat√Ęnica (Ap. 13.2) e do mundo (Dn. 7.8). Mas seu governo n√£o durar√° para sempre, pois a tr√≠ade sat√Ęnica ser√° lan√ßado no fogo (Ap. 19.20), por ocasi√£o da vinda de Cristo em gl√≥ria (II Ts. 2.8).

CONCLUSÃO

Ant√≠oco Epif√Ęnio, e todos aqueles que governam se opondo a Deus, s√£o anticristos. Todos eles prefiguram ou tipificam um reino futuro que ser√° cruel e totalit√°rio. Isso acontecer√° por ocasi√£o da septuag√©sima semana de Dn. 9. E coincide com os acontecimentos descritos por Jo√£o no livro do Apocalipse. O governo do anticristo, e dos seus adeptos, passar√°, somente Deus governar√° para sempre. A destrui√ß√£o desse reino por Cristo √© a seguran√ßa da igreja, que pode confiar no Deus que est√° no comando de todas as coisas.

BIBLIOGRAFIA

LOPES, H. D. Daniel. São Paulo: Hagnos, 2005.

WEIRSBE, W. W. Be resolute: Daniel. David Cook: Ontario, 2008.

Publicado no blog Subsídio EBD 

converter em pdf.

O Homem Vestido de Linho - Pr. Adilson Guilhermel

Texto √Āureo:¬†Daniel 10.5 E levantei os meus olhos, e olhei, e vi um homem vestido de linho, e os seus lombos, cingidos com ouro fino de Ufaz.

Leitura Bíblica em Classe: Daniel 10.1-6,9,10,14
A PRESEN√áA INCONFUND√ćVEL DO HOMEM VESTIDO DE LINHO


Introdução:

A revela√ß√£o e os efeitos da revela√ß√£o a respeito do Homem vestido de branco, nos levam a identificar este homem como sendo o Cristo pr√©-encarnado na vis√£o de Daniel. Os efeitos dessa vis√£o sobre Daniel foram extremamente fortes ao ponto dele ser impactado pela presen√ßa gloriosa desse ser que se revelou de uma forma maravilhosa e surpreendente. Existem algumas controv√©rsias entre escritores de coment√°rios b√≠blicos a respeito de quem √© este homem vestido de branco. Alguns afirmam ser Cristo no seu estado de gl√≥ria e outros n√£o tem a mesma linha de pensamento e entendem que seja um anjo mensageiro que apareceu na vis√£o de Daniel. Por√©m existe uma interpreta√ß√£o mais l√≥gica, a qual estarei abordando nesse tema que certamente ampliar√° a nossa compreens√£o a respeito dessa passagem b√≠blica. Como sempre al√©m da parte hist√≥rica do texto √© preciso entrar na parte aplicativa, da qual procuro tirar li√ß√Ķes sobre as a√ß√Ķes de Daniel, as suas vis√Ķes e experi√™ncias sobrenaturais.

1 - A CHAVE DA REVELA√á√ÉO √Č UM GRANDE CONFLITO AT√Č O ESTABELECIMENTO DO REINO DE DEUS¬†- Daniel 10.1

NO terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome era Beltessazar; a palavra era verdadeira e envolvia grande conflito; e ele entendeu esta palavra, e tinha entendimento da visão.

* Quando Deus revela uma palavra do c√©u √© algo maravilhoso certo e infal√≠vel¬†- √äxodo 3.14 disse Deus a Mois√©s: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dir√°s aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a v√≥s.Das v√°rias revela√ß√Ķes que Daniel recebeu, algumas eram para o seu tempo, outras para um tempo mais al√©m, e outras para o tempo futuro que ainda n√£o foram cumpridas. As revela√ß√Ķes recebidas por Daniel tanto para o seu tempo, como para um tempo mais al√©m foram cumpridas exatamente como Deus assim a revelou. Isso refor√ßa a tese que as revela√ß√Ķes para o tempo futuro, tamb√©m se cumprir√£o exatamente como Deus revelou ao seu profeta. Isso garante que quando Deus fala acontece exatamente como Ele disse e ningu√©m pode mudar o curso daquilo que Ele predestinou na sua Palavra. Deus mostrou a sua soberania diante da indecis√£o de Mois√©s em assumir a sua posi√ß√£o de l√≠der libertador dos hebreus no Egito. Deus nos conhece melhor do que n√≥s mesmos, e isso √© mais do que √≥bvio. Essa √© uma raz√£o importante para confiarmos nele e obedecermos as suas ordens sem questionar. Quando compartilhamos nossas fraquezas com Deus, n√£o estamos contando nada que ele n√£o saiba. A vontade e a dire√ß√£o de Deus jamais nos conduzir√° para algo que n√£o possamos conquistar. Isso vem mostrar que devemos caminhar com f√©, confiando sempre nas suas promessas.

2 - A ORA√á√ÉO DE TRISTEZA PELOS JUDEUS E JERUSAL√ČM FOI EFICAZ PARA ABRIR O PORTAL CELESTIAL¬†- Daniel 10.2 Naqueles dias eu, Daniel, estive triste por tr√™s semanas.

* Se fizermos prop√≥sitos movidos de tristeza por uma causa Deus responder√°¬†- Jeremias 31:16 Assim diz o Senhor: Reprime a tua voz de choro, e as l√°grimas de teus olhos; porque h√° galard√£o para o teu trabalho, diz o Senhor, pois eles voltar√£o da terra do inimigo.¬†Daniel permaneceu em jejum por vinte e um dia e, em todo esse per√≠odo ele permaneceu em profunda tristeza por uma causa que o angustiava muito. Toda essa tristeza estava relacionada com a situa√ß√£o da reconstru√ß√£o de Jerusal√©m havia sido interrompida e tamb√©m tudo que envolvia os seus irm√£os judeus. Tudo que Daniel se prop√īs a fazer para que esse quadro mudasse, foi feito com toda abnega√ß√£o envolvendo todo um desejo para que Deus se manifestasse e interviesse nessa causa. O que Daniel n√£o sabia era que Deus j√° estava agindo nessa causa e, assim movido pela tristeza e prop√≥sito do seu profeta, ele n√£o tardou para lhe enviar a responder os motivos da sua afli√ß√£o. Jeremias lamentou e chorou muito por causa do povo judeu que seria levado para o cativeiro babil√īnico. Um verdadeiro servo de Deus n√£o se lamenta ou chora somente pelos seus problemas, mas tamb√©m ele se lamenta e chora pelo seu pr√≥ximo que est√° em afli√ß√£o. Deus na sua sensibilidade, inclusive a um choro sincero procurou revelar ao seu profeta que aquela n√£o era uma situa√ß√£o definitiva e sim transit√≥ria, pois, ap√≥s o cumprimento do tempo de cativeiro eles retornariam a sua p√°tria.

3 - A DISPOSI√á√ÉO DE FAZER UM JEJUM PROFUNDO ACENDE A ESPERAN√áA DE OBTER ALGO DE DEUS¬†- Daniel 10.3 Alimento desej√°vel n√£o comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ung√ľento, at√© que se cumpriram as tr√™s semanas.

* N√£o podemos ficar esperando acontecer coisas que exigem sacrif√≠cio para obter¬†- Salmos 51:17 Os sacrif√≠cios para Deus s√£o o esp√≠rito quebrantado; a um cora√ß√£o quebrantado e contrito n√£o desprezar√°s, √≥ Deus.Daniel fez um prop√≥sito de jejum e ora√ß√£o privando-se das iguarias alimentares do pal√°cio para testemunhar e auxiliar a sua devo√ß√£o negando tais confortos a si mesmo. Daniel buscava atrav√©s de esse prop√≥sito entender melhor as vis√Ķes e profecias que j√° havia recebido e ansiava por mais revela√ß√Ķes do Senhor acerca do futuro do povo de Israel. Se quisermos assim como Daniel receber revela√ß√Ķes dos mist√©rios divinos e termos experi√™ncias sobrenaturais da parte de Deus precisamos tamb√©m desenvolver a nossa espiritualidade, e para que isso aconte√ßa √© preciso tenhamos prop√≥sitos sacrificiais para tanto. ¬†O esp√≠rito quebrantado e uma alma contrita √© algo gerado no n√≠vel de alma; e para isso Deus olha, e isto de n√≥s exige em todos os nossos exerc√≠cios religiosos e, mais especificamente nos exerc√≠cios de arrependimento. √Č algo que exige de n√≥s muita for√ßa de vontade e humilha√ß√£o necess√°ria para mover o cora√ß√£o de Deus. Um cora√ß√£o quebrantado √© sens√≠vel a palavra de Deus e submisso as suas exorta√ß√Ķes.

4 - A VIS√ÉO DE UM ANJO VESTIDO DE LINHO PREFIGURA CRISTO EM COMPLETO ESTADO DE GL√ďRIA¬†- Daniel 10.4 E no dia vinte e quatro do primeiro m√™s eu estava √† borda do grande rio Hidequel; Daniel 10.5 E levantei os meus olhos, e olhei, e eis um homem vestido de linho, e os seus lombos cingidos com ouro fino de Ufaz;

* O estado de gl√≥ria revelado por Cristo revela como ser√° o corpo glorificado do salvo¬†- 1 Jo√£o 3:2 Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda n√£o √© manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como √© o veremos.A vis√£o do homem vestido de linho tem gerado controv√©rsias a respeito de quem ele √©; se √© Cristo, ou se √© um anjo. Entendemos que era Cristo dada a sua similaridade de apari√ß√Ķes teof√Ęnicas em outras passagens b√≠blicas. Dentro das vis√Ķes semelhantes podemos nos basear nestas (E vi-a como a cor de √Ęmbar, como a apar√™ncia do fogo pelo interior dele ao redor, desde o aspecto dos seus lombos, e da√≠ para cima; e, desde o aspecto dos seus lombos e da√≠ para baixo, vi como a semelhan√ßa de fogo, e um resplendor ao redor dele. Ezequiel 1:27) - (E no meio dos sete casti√ßais um semelhante ao Filho do homem, vestido at√© aos p√©s de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro. Apocalipse 1:13). Cristo estava atento a tudo que se passava com Daniel, assim como Ele est√° atento e nos acompanha ao longo de toda a nossa caminhada at√© a sua volta em gl√≥ria para nos arrebatar para Ele. Quando Ele vier, todos os crist√£os salvos o ver√£o e se tornar√£o tal como Ele √©. Isso significa, evidentemente, que teremos um corpo novo e glorificado adequado ao c√©u.

5 - A DESCRI√á√ÉO MARAVILHOSA DESSE ANJO √Č UMA TEOFANIA DE CRISTO COM SUAS VESTES TALARES¬†- Daniel 10.6 E o seu corpo era como berilo, e o seu rosto parecia um rel√Ęmpago, e os seus olhos como tochas de fogo, e os seus bra√ßos e os seus p√©s brilhavam como bronze polido; e a voz das suas palavras era como a voz de uma multid√£o.

* O salvo que persevera na f√© est√° caminhando para ser algu√©m perfeito tal como Ele √©¬†- Ef√©sios 4:13 At√© que todos cheguemos √† unidade da f√©, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, √† medida da estatura completa de Cristo,A vis√£o de Daniel era do Cristo pr√©-encarnado exibindo todo o seu resplendor e gl√≥ria, que um dia Ele se despojaria para assumir a forma de servo. A sua manifesta√ß√£o foi inconfund√≠vel para pensarmos ser outro ser celestial e n√£o o Cristo. Era uma vis√£o especialmente dirigida a Daniel que era o √ļnico na √©poca que buscava a Deus dessa maneira. Sendo um escolhido de Deus para o minist√©rio prof√©tico, Daniel sabia desempenhar bem as suas responsabilidades espirituais e com isso ter um relacionamento mais √≠ntimo com Deus. Em toda a trajet√≥ria de Daniel vemos que ele buscava cada vez mais o seu aperfei√ßoamento espiritual. Para que possamos identificar se o nosso aperfei√ßoamento est√° em andamento precisamos entender que a primeira evid√™ncia disso √© o crescimento espiritual a semelhan√ßa de Cristo. Outra evid√™ncia √© a estabilidade espiritual e isso √© notado pela nossa maturidade e o desenvolvimento do nosso car√°ter. Tamb√©m o amor sem hipocrisia √© outra marca que identifica o nosso crescimento espiritual.

6 - A LIMITES DE CAPACIDADE EM ABSORVER REVELA√á√ēES CELESTIAIS, NEM TODOS PODEM SUPORTAR¬†- Daniel 10.9 Contudo ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo o som das suas palavras, eu ca√≠ sobre o meu rosto num profundo sono, com o meu rosto em terra.

* A alma prostrada pelo poder de Deus s√≥ se levanta quando o mesmo poder a ergue¬†- Atos 9:6 ¬†E ele, tremendo e at√īnito, disse: Senhor, que queres que eu fa√ßa? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e entra na cidade, e l√° te ser√° dito o que te conv√©m fazer. Aqui encontramos ¬†mais evid√™ncias a respeito de que o homem vestido de linho era realmente o Cristo em seu estado de gl√≥ria. Partindo do princ√≠pio de que Daniel foi impactado pelo poder desse ser, isso nos leva a crer que se tratava do pr√≥prio Cristo.; isto porque se fosse este ser o anjo mensageiro,¬† que em outras passagens j√° havia feito contato com Daniel e nada lhe aconteceu, ent√£o temos que entender que o poder que impactou Daniel foi o poder de Deus e n√£o do anjo. ¬†No encontro de Saulo com Cristo vemos que de repente, ele estava no ch√£o. N√£o foi derrubado por acaso, mas pelo encontro pessoal com Jesus Cristo. Por volta do meio dia, viu uma luz resplandecente no c√©u e ouviu uma voz dizer o seu nome. Os homens que estavam com ele tamb√©m ca√≠ram por terra e ouviram um som, mas n√£o compreendeu as palavras proferidas do c√©u. Levantaram se confusos e viram Saulo dirigir-se a algu√©m, mas n√£o conseguiram entender o que estava acontecendo. Assim tamb√©m foi com Daniel ao receber a vis√£o, pois o tratamento de Deus era especificamente com ele.

7 - A INTENÇÃO DE ANIMAR E FORTALECER O PROFETA DE DEUS VEIO PELO TOQUE DO SER CELESTIAL - Daniel 10.10 E eis que certa mão me tocou, e fez com que me movesse sobre os meus joelhos e sobre as palmas das minhas mãos.

* √Č certo que existe um minist√©rio angelical para agir em momentos de grande necessidade¬†¬†- Lucas 22:43 E apareceu-lhe um anjo do c√©u, que o fortalecia.¬†A quest√£o da controv√©rsia a respeito do homem vestido de branco ser Cristo ou um anjo est√° no impedimento feito pelo pr√≠ncipe da P√©rsia que era uma entidade maligna ter detido por vinte e um dias esse anjo. Na linha de pensamento de alguns √© que se fosse Cristo ele como Deus n√£o poderia ser detido por um ser maligno e com esse argumento defendem que era um anjo mensageiro. Se pensarmos assim ter√≠amos que concordar com esse pensamento, por√©m temos que discordar e defender que o homem vestido de linho era Cristo na seguinte linha de pensamento: no vers√≠culo 9 Daniel teve a vis√£o desse ser em seu estado de gl√≥ria e desmaiou pela sua presen√ßa e, a seguir nesse vers√≠culo 10 Daniel foi tocado por uma m√£o para o consolar e por de p√©. Da√≠, compreendemos que se o ser em seu estado de gl√≥ria impactou a Daniel ao ponto dele desmaiar imaginem se fosse a m√£o desse ser que tocasse em Daniel. O que elucida a quest√£o √© que havia dois personagens nessa passagem; o homem vestido de branco, o qual apareceu em vis√£o a Daniel e o anjo mensageiro que consolou a Daniel com o seu toque. Existe um minist√©rio de anjos e a b√≠blia destaca a presen√ßa deles em v√°rias passagens e na obra de Cristo. Jesus estando em grande conflito que antecedia a sua morte na cruz recebeu a visita de anjos que vieram fortalec√™-lo enquanto aceitava corajosamente se c√°lice da m√£o do Pai. Infelizmente muitos ignoram este minist√©rio angelical e outros extrapolam al√©m daquilo que eles s√£o para a Igreja.

8 - A INSTRU√á√ÉO DO ANJO √Č PARA EVENTOS FUTUROS DA GRANDE TRIBULA√á√ÉO E O REINO DE CRISTO¬†¬†- Daniel 10.14 Agora vim, para fazer-te entender o que h√° de acontecer ao teu povo nos derradeiros dias; porque a vis√£o √© ainda para muitos dias.

* J√° estamos vivendo nesses √ļltimos dias e a manifesta√ß√£o de Cristo surpreender√° a muitos¬†- Hebreus 10:37 Porque ainda um pouquinho de tempo, E o que h√° de vir vir√°, e n√£o tardar√°. ¬†Daniel foi um homem muito interessado pelas coisas futuras e sempre se comunicava com Deus para saber das coisas secretas, a qual buscava revela√ß√£o. Deus n√£o negou esse desejo a Daniel procurou revelar ao seu profeta os acontecimentos pr√≥ximos e os futuros. Sua miss√£o era n√£o s√≥ anunciar-lhe as ocorr√™ncias mais pr√≥ximas e outras mais adiante e outras que se estenderiam para um tempo futuro. A frase √ļltimos dias sempre apontam para a manifesta√ß√£o de Cristo no arrebatamento da Igreja e para assumir o seu reino aqui na terra. Temos que entender que Deus √© consistente em todas as suas promessas, at√© que a reden√ß√£o do seu povo esteja completada com o advento de seu Filho Unig√™nito. Cristo logo vir√° para julgar, e por√° um fim aos sofrimentos de toda a igreja, e nos dar√° uma ampla e gloriosa recompensa, a qual todo crente fiel almeja. Somos incentivados a perseverar em qualquer circunst√Ęncia aguardando esse grande dia, pois o que h√° de vir, vir√° e n√£o tardar√°.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.

Publicado no site Esboços da EBD 

converter em pdf.

TV EBD - O Homem Vestido de Linho - Ev. Luiz Henrique

Assista os vídeos da TV EBD com a aula da Lição 15 - O Homem Vestido de Linho. Para facilitar o download, o vídeo é dividido em 5 partes. Você pode assistir aqui mesmo, clicando nos vídeos, ou clicar nos links, acima dos vídeos para salvar; ao abrir a nova página, clique no botão Download. Os vídeos são produzidos pelo Ev. Luiz Henrique e também publicados no site Estudos Bíblicos EBD, ou no blog EBDnaTV.

1ª Parte - Lição 11 - 4T/2014

2ª Parte - Lição 11 - 4T/2014

3ª Parte - Lição 11 - 4T/2014

4ª Parte - Lição 11 - 4T/2014

5ª Parte - Lição 11 - 4T/2014

converter em pdf.

Question√°rio - O Homem Vestido de Linho - Ev. Luiz Henrique

Questionário da Lição 11 - O Homem Vestido de Linho

Responda conforme a revista da CPAD do 4¬ļ Trimestre de 2014 - Para jovens e adultos

TEMA: A INTEGRIDADE MORAL E ESPIRITUAL - O LEGADO DO LIVRO DE DANIEL PARA A IGREJA HOJE.

Coment√°rio: Pr. Elienai Cabral

Complete os espa√ßos vazios e marque com “V” as respostas verdadeiras e com “F” as falsas.

 

TEXTO √ĀUREO

1- Complete:

“E____________________ os meus olhos, e olhei, e vi um ____________________vestido de linho, e os seus lombos, cingidos com ____________________ fino de Ufaz” (Dn 10.5).

 

VERDADE PR√ĀTICA

2- Complete:

DEUS ____________________ o ____________________, para que o seu povo n√£o fique ____________________ e confuso.

 

COMENT√ĀRIO - INTRODU√á√ÉO

3- Em que tempo Daniel se situava, agora, no capítulo 10?

(   )  Ao estudarmos o capítulo dez, precisamos compreender que já se haviam passado uns quatro anos desde que Gabriel apareceu a Daniel com uma mensagem da parte de DEUS.

(   )  Era o terceiro ano do reinado de Ciro da Pérsia, e Daniel era um homem com mais de 90 anos de idade.

(   )  Era o quarto ano do reinado de Ciro da Pérsia, e Daniel era um homem com mais de 90 anos de idade.

(   )  Mesmo nessa idade, não desistiu de orar e jejuar em favor do seu povo.

(¬†¬† )¬† O cap√≠tulo dez trata da √ļltima vis√£o do profeta a respeito dos acontecimentos dos √ļltimos dias.

 

I. UMA VISÃO CELESTIAL (10.1-3)

4- O que temos no capítulo 10 de Daniel sobre a palavra revelada a ele?

(¬†¬† )¬† O cap√≠tulo dez tem in√≠cio com a vis√£o que Daniel teve a respeito dos acontecimentos dos √ļltimos dias.

(   )  O capítulo dez tem início com a visão que Daniel teve a respeito dos acontecimentos daqueles dias e só no capítulo 12 é que conhece mais do futuro.

(   )  Neste capítulo, temos apenas o início da visão e da revelação de Daniel.

(¬†¬† )¬† DEUS √© Senhor e tem o conhecimento total e completo do futuro. Sua revela√ß√£o √© infal√≠vel e n√£o deixa nenhuma d√ļvida.

 

5- Por que podemos afirmar que Daniel era um homem de jejum e oração?

(   )  Lendo os primeiros versículos do capítulo dez, podemos ver que Daniel estava mais uma vez se dedicando à oração e ao jejum.

(   )  Mesmo estando exilado e tendo que servir a reis pagãos, Daniel não se descuidou de sua vida de jejum e oração.

(   )  Ele era um homem que tinha um espírito excelente, por isso DEUS lhe revelou seus desígnios.

(   )  Daniel era um homem determinado e consciente da situação do seu povo.

(   )  Talvez, por isso, tivesse por três semanas consecutivas (21 dias), orado, jejuado e não se ungido com unguento.

(   )  Talvez, por isso, tivesse por seis semanas consecutivas (40 dias), orado, jejuado e não se ungido com unguento.

(   )  A perseverança de Daniel em oração fez com que os céus se abrissem.

(¬†¬† )¬† Temos um DEUS que ouve e responde as nossas ora√ß√Ķes.

(   )  Daniel não desistiu de clamar e pedir pelo retorno do seu povo.

(   )  Ele sabia o quanto DEUS é Poderoso e que no tempo certo Ele agiria em favor dos israelitas.

(¬†¬† )¬† O tempo de DEUS n√£o est√° preso √†s circunst√Ęncias hist√≥ricas.

(   )  No tempo devido, seus desígnios são concretizados.

(   )  Daniel, havia entendido que o plano de DEUS para o seu povo não havia findado.

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

O Homem Vestido de Linho - Ev. Luiz Henrique

Lição 11 - O Homem Vestido de Linho

Li√ß√Ķes B√≠blicas - 4¬ļ Trimestre de 2014 - CPAD - Para jovens e adultos

Tema: A Integridade Moral e Espiritual - O Legado Do Livro De Daniel Para A Igreja Hoje.

Coment√°rios: Pr. Elienai Cabral
Complementos, ilustra√ß√Ķes, question√°rios e v√≠deos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

Question√°rio

N√ÉO DEIXE DE ASSISTIR AOS V√ćDEOS DA LI√á√ÉO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICA√á√ēES DETALHADAS DA LI√á√ÉO

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

veja

LI√á√ÉO 12, ZACARIAS, O REINADO MESSI√āNICO - 4¬ļ Trimestre de 2012¬†- ¬†http://www.youtube.com/playlist?list=PL9TsOz8buX1_ZiGvlR4p5ETqRtT6ABKj2

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv-2trim2012.htm (Arrebatamento, Governo do Anticristo, Milênio, Formosa Jerusalém, Juízo Final)

 

TEXTO √ĀUREO

“E levantei os meus olhos, e olhei, e vi um homem vestido de linho, e os seus lombos, cingidos com ouro fino de Ufaz” (Dn 10.5).

 

VERDADE PR√ĀTICA

DEUS revela o futuro, para que o seu povo n√£o fique amedrontado e confuso.

 

LEITURA DI√ĀRIA

Segunda - Mt 7.8 O poder da oração constante

Terça - Sl 37.1-7 DEUS responde a oração sincera

Quarta - Dn 10.4,5; Ap 1.13-17 A vis√£o de Daniel e Jo√£o

Quinta - Dn 10.13; Ef 6.10-12 Atividade no mundo espiritual

Sexta - Dn 10.12-14 Pela oração vencemos as potestades diabólicas

S√°bado - Ez 37.1-14; Mt 24.32; Lc 21. 29,30 Israel, a figueira brotando

 

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE - Daniel 10.1-6, 9,10,14

Daniel 10.1-6

1 No ano terceiro de Ciro, rei da P√©rsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome se chama Beltessazar; e a palavra √© verdadeira e trata de uma guerra prolongada; e ele entendeu essa palavra e teve entendimento da vis√£o. 2 Naqueles dias, eu, Daniel, estive triste por tr√™s semanas completas. 3 Manjar desej√°vel n√£o comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com unguento, at√© que se cumpriram as tr√™s semanas. 4 E, no dia vinte e quatro do primeiro m√™s, eu estava √† borda do grande rio Hid√©quel; 5 e levantei os meus olhos, e olhei, e vi um homem vestido de linho, e os seus lombos, cingidos com ouro fino de Ufaz. 6 E o seu corpo era como turquesa, e o seu rosto parecia um rel√Ęmpago, e os seus olhos, como tochas de fogo, e os seus bra√ßos e os seus p√©s, como cor de bronze a√ßacalado; e a voz das suas palavras, como a voz de uma multid√£o.

Daniel 10.9,10,14

9 Contudo, ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo a voz das suas palavras, eu caí com o meu rosto em terra, profundamente adormecido. 10 E eis que uma mão me tocou e fez que me movesse sobre os meus joelhos e sobre as palmas das minhas mãos.
14 Agora, vim para fazer-te entender o que há de acontecer ao teu povo nos derradeiros dias; porque a visão é ainda para muitos dias.

INTERAÇÃO

Os anjos são seres espirituais presentes na Bíblia. Ele está envolvido com o futuro de Israel, no Antigo Testamento, e com o futuro da Igreja, em o Novo Testamento. Além disso, os anjos ministram por ordem divina e, por isso, não recebem adoração em hipótese alguma.

 

OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Discorrer sobre a vis√£o celestial de Daniel.

Explicar o significado do homem vestido de linho.

Saber que os anjos de DEUS s√£o seres espirituais ajudadores.

 

ORIENTA√á√ÉO PEDAG√ďGICA

Professor, para concluir a aula da presente lição, reproduza o esquema abaixo de acordo com as suas possibilidades. O esquema é uma adaptação da explicação do teólogo pentecostal escocês, radicado nos EUA, Myer Pearlman. Destaque para os alunos o que a Bíblia revela acerca da natureza dos anjos: são criaturas, Espíritos, imortais e numerosos. A partir da análise da natureza angelical, enfatize que a Bíblia não nos ensina crendices quanto aos anjos. Boa aula!

 

Resumo da Lição 11 - O Homem Vestido de Linho 

I. UMA VISÃO CELESTIAL (10.1-3)

1. “Foi revelada uma palavra a Daniel”.

2. Daniel um homem de oração.

3. A tristeza de Daniel.

II. A VISÃO DO HOMEM VESTIDO DE LINHO (10.4,5)

1. Um “homem vestido de linho”.

2. “Eis que uma m√£o me tocou”.

3. “O pr√≠ncipe do reino da P√©rsia”.

III. DANIEL √Č CONFORTADO POR UM ANJO (10.10-12)

1. Daniel é confortado por um anjo (10.10-12).

2. O conflito entre o Arcanjo Miguel e o príncipe do reino da Pérsia (10.13).

3. A hostilidade espiritual contra o povo de DEUS.

 

SINOPSE DO T√ďPICO (1) Daniel, um homem de ora√ß√£o, sentiu o peso da tristeza acerca da revela√ß√£o das √ļltimas coisas.

SINOPSE DO T√ďPICO (2) A vis√£o de Daniel acerca do homem vestido de linho √© semelhante a que o ap√≥stolo Jo√£o teve na Ilha de Patmos e com a do profeta Ezequiel.

SINOPSE DO T√ďPICO (3) Diante da vis√£o Daniel desfaleceu. Mas, DEUS enviou-lhe um anjo para confort√°-lo e reergu√™-lo.

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.