Os Benefícios da Justificação – Pr. Adilson Guilhermel

Os Benefícios da Justificação – Pr. Adilson Guilhermel

Texto Áureo: “Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Rm 5.8)
Leitura Bíblica em Classe: Romanos 5.1-12

Introdução
: A justificação de um pecador não consiste em uma mera declaração professando Cristo como Salvador, pois ela requer muito mais do que uma simples declaração. Ela exige que o indivíduo se torne verdadeiramente justo mediante o que professou. Não adianta somente professar da boca para fora e sim professar com profunda contrição e arrependimento dos seus pecados. Nessa condição entende-se a justificação como um ato divino, que leva pecador da condição de réu de juízo, para uma absolvição completa. O indivíduo só pode afirmar que foi justificado quando ele pode provar que é justo através de uma transformação total de vida e ocupa uma correta posição diante do Senhor. É preciso entender que o ato de justificação, acontece inteiramente pela fé sem qualquer mérito por qualquer tipo de obras. Significa claramente que a justificação se trata de um ato divino, sem quaisquer exigências das leis cerimoniais do Antigo Testamento. O indivíduo recebendo a justificação que é um ato de Deus passa ao estágio da santificação, a qual é um processo contínuo, que se perseverado levará a glorificação.
1. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE PASSAMOS A TER PAZ COM DEUS – Romanos 5.1 TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;
Imagine um réu prestes a ser condenado diante de um juiz num tribunal. No aguardo do resultado do julgamento o seu desespero é total, porém o seu advogado consegue provar a sua inocência e o juiz batendo o martelo, o declara absolvido lhe concedendo a liberdade. É certo que esse réu que acaba de ser absolvido sentirá o alívio da liberdade que lhe foi concedida. Assim é o pecador que se arrepende, pois no momento que pede perdão, o seu advogado Jesus Cristo o declara justificado diante do Supremo Juiz, e este o declara absolvido. Nesse momento sendo justificado ele passa a gozar da paz com Deus que só pode vir na vida do indivíduo quando ele alcança a justificação pela fé. Quando o indivíduo se torna justo, ele também se reconcilia com Deus e somente quando o homem se reconcilia com Deus é que passa a ter paz com Ele. Entendemos assim, que a paz com Deus é uma bênção que é condicional a justificação e, por conseguinte, à reconciliação. Toda alma sem Cristo sem exceções estará sempre em desassossego enquanto não repousar nele a graça de Cristo. A partir do momento em que ocorre a reconciliação com Deus, o pecador fica livre da Sua ira e assim é restaurado pelo Seu favor.
2. FOMOS BENECICIADOS PORQUE ALCANÇAMOS A GRAÇA DE DEUS – Romanos 5.2 Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.
Através da expiação feita pelo sangue de Cristo o homem é justificado e reconciliado com Deus. Por meio de Cristo e sua obra o homem tem acesso a este estado de graça, ou seja, o de estar justificado diante de Deus. Esse estado de graça sendo alcançado permite o acesso ao Deus Pai e ao trono da Sua Glória. O crente a partir do momento que entra neste estado de graça enfrentará todo tipo de provação e tentações, para que venha sair desse estado de graça. Isso exige que o crente esteja se exercitando espiritualmente para que possa se manter firme em toda sua caminhada, para quando encerrar a carreira tenha guardado a fé. Ao alcançarmos a paz com Deus passamos a ter Cristo como o nosso mediador junto ao Deus Pai, o que nos propicia a termos acesso a graça de Deus. Isto porque, nessa nova condição ganhamos a condição de filhos adotados de Deus e isso nos possibilita a autorização para entrarmos em sua presença na sala do trono. A partir do momento que houve a reconciliação esse acesso a Deus está sempre aberto. É entrando nessa condição que podemos nos exultar de alegria pelo fato de um dia estarmos no céu participando da glória de Deus.
3. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE PODEMOS NOS GLORIAR NAS TRIBULAÇÕES – Romanos 5.3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,
Embora devamos estar absorvidos pela glória futura, não podemos fechar os olhos para as realidades do tempo presente. Precisamos estar cônscios das tribulações que circundarão sempre as nossas vidas. Não podemos ignorar o realismo das aflições e dificuldades que existem em nossa peregrinação até a concretização da nossa esperança maior, que é o céu. Se não houvesse tribulações; sofrimento e perseguições jamais seriamos aperfeiçoados. O apóstolo Paulo se gloriava nas tribulações e dela tirava proveito, pois elas contribuíam para o seu crescimento espiritual. O apóstolo não vivia lamentando sobre os sofrimentos a qual era submetido. Ele reconhecia serem necessárias entre o tempo que nos separa da glória futura. (Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; 2 Coríntios 4:8,9).
4. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE ADQUIRIMOS QUALIDADES INTERIORES – Romanos 5.4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.
Precisamos lembrar sempre que temos uma promessa do Senhor de que estaria sempre presente em nosso meio. Essa é uma promessa que garante estarmos debaixo da sua graça, o qual sempre nos socorre nos momentos de necessidade. As tribulações em foco, são aquelas sofridas em Cristo e por amor a Cristo. Todas as aflições dos crentes estão dentro desse contexto. A grande vantagem disso é que elas ativam a nossa perseverança, com uma progressão para a experiência que produz a esperança. Ninguém adquire experiência sem passar por várias provações na sua caminhada cristã. A experiência resulta de qualidades interiores e não exteriores e o resultado desta reação em cadeia é a confiante esperança da salvação e da glória eterna. A dificuldade da vida sempre tem um sentido positivo quando confiamos em Deus.
5. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE RECEBEMOS O DERRAMAR DO AMOR DE DEUS – Romanos 5.5 E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
Nunca ficaremos confusos se confiarmos totalmente nas promessas de Deus em relação a vida eterna. É preciso uma confiança absoluta de que Ele cumprirá tudo o que prometeu a respeito da nossa vida eterna. O Espírito Santo é o agente encorajador que sempre lembra o quanto Deus nos ama. Somente após a nossa reconciliação com Deus é que podemos enxergar como a nossa vida era uma completa desesperança, como também ilusória e enganosa. A pessoa sem Cristo não consegue enxergar essa condição, pois o deus desse século cegou o entendimento dos incrédulos para que não vejam a luz resplandecente do evangelho da graça. A nossa esperança deve estar ancorada firmemente no trono da graça, onde Cristo está assentado à destra de Deus intercedendo por cada um de nós. O amor de Deus não é limitado, muito pelo contrário, ele é derramado pelo Espírito Santo em nossos corações, pois fomos redimidos pelo sangue de Cristo.
6. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE AS NOSSAS DESESPERANÇAS FORAM REVERTIDAS – Romanos 5.6 Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.
Quando estávamos contaminados pelo pecado a nossa situação nos colocava na condição de indefesos, porque éramos indignos e desqualificados para merecermos a consideração divina. A morte de Cristo veio propiciar que esse quadro de desesperança pudesse ser revertido, pois não existia outro meio para que isso acontecesse em nossa vida. Quando estávamos contaminados pelo pecado a nossa situação nos colocava na condição de indefesos, porque éramos indignos e desqualificados para merecermos a consideração divina. A morte de Cristo veio propiciar que esse quadro de desesperança pudesse ser revertido, pois não existia outro meio para que isso acontecesse em nossa vida. O pecado produz fraqueza no homem, isso no sentido espiritual e assim caminha a humanidade sem Cristo. Caso não haja o reconhecimento e a aceitação do sacrifício de Cristo, não existe qualquer meio do pecador se livrar dessa situação. O homem só pode sair dessa condição de miséria espiritual pela obra eficaz de Deus, na realização consumada pela morte de seu Filho.
7. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE CRISTO SE SACRIFICOU POR NÓS SEM  MERECERMOS – Romanos 5.7 Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer.
A maior expressão no caso do amor humano é quando alguém dá a sua vida para que outra possa continuar vivendo. Isso é um fato pois existem casos relatados a esse respeito, embora raramente praticados, onde em algumas situações a pessoa que dá a sua vida por outra é considerada até mesmo um herói. Isso não significa que as pessoas que se sacrificam por outra, o fazem de bom grado. Com Cristo foi diferente, Ele não se sacrificou por um, ou alguém da família, como também pessoas que andavam na sua companhia. Ele não se sacrificou somente por aqueles que eram bons ou justos, Ele se sacrificou foi por toda a humanidade pecadora, quando ainda éramos seu inimigo.
8. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE DEUS PROPICIOU A NOSSA RECONCILIAÇÃO COM ELE – Romanos 5.8 Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
Como éramos rebeldes e desprezíveis, foi necessário acontecer a mais alta manifestação do amor de Deus por cada um de nós. Sem a morte de Cristo jamais o homem reuniria condições de chegar a Deus, e poder gozar da paz com Ele. Cristo morreu porque Deus já nos amava muito antes de conhecê-lo e sua obra sacrificial proporcionou a nossa reconciliação com Ele. Foi pela morte de Cristo que Deus propiciou e demonstrou a Sua disposição de agir com misericórdia por cada pecador que se arrepende. Visto que Deus não poupou a Cristo, denota a confirmação de que o Seu amor é muitíssimo sólido e verdadeiro.
9. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE SENDO JUSTIFICADOS ESTAMOS LIVRES DO JUÍZO FINAL – Romanos 5.9 Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.
A justiça obtida por Cristo envolvendo o seu sacrifício, que resultou na Sua morte, dá a garantia aos que são justificados, de uma proteção contínua, pois o preço que Ele pagou foi muito alto. Assim não temos razão para temer que Cristo possa deixar de concluir a concessão da Sua graça antes que tenha chegado o fim a qual Ele nos predestinou. Fomos salvos pela Sua obra expiatória e isso significa estarmos livres do Juízo Final, porque fomos salvos da ira vindoura. O que Cristo fez na Cruz nos propiciou a justificação, quando acontece a aprovação de Deus, que é proporcionada com base no sacrifício do Seu Filho. De outra forma continuaríamos prisioneiros e desesperançados por causa do pecado. Se o sangue de Cristo foi derramado a nosso favor, então, por seu sangue, seremos por ele salvos da ira de Deus.
10. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE NÃO SOMOS MAIS INIMIGOS E SIM AMIGOS DE DEUS – Romanos 5.10 Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.
Éramos inimigos de Deus, mas por causa da morte de Cristo fomos reconciliados com Ele. A obra de Cristo foi extremamente e essencialmente preciosa, pelo fato de dar a Sua vida por nós pecadores. A Sua vida presente após a ressurreição nos livra do castigo eterno e garante a nossa salvação. Devemos nos gloriar em Deus porque Cristo tomou sobre si os nossos pecados pagando o preço por eles com a sua própria morte, em vez de punir-nos com a morte que merecíamos, porque éramos seus inimigos. Agora podemos com absoluta confiança esperar que Ele completará a obra que foi iniciada no momento da nossa conversão, isso porque, não somos mais inimigos e sim amigos e mais ainda ganhamos a condição de filhos.
11. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE JESUS RESTITUIU A NOSSA COMUNHÃO COM DEUS – Romanos 5.11 E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação.
Nos gloriarmos em Deus significa por parte de nós o reconhecimento diante do Deus Pai que foi Jesus Cristo, pela sua cruz, quem nos redimiu e nos deu o direito de reconciliação. Sem Jesus seria impossível alcançar o relacionamento com o Criador. Jesus nos propiciou uma nova vida, como também, a comunhão com Deus. Assim entendemos que Deus quer restabelecer essa amizade conosco e isso foi possibilitado pela reconciliação do homem com Ele.
12. FOMOS BENEFICIADOS PORQUE O AGUILHÃO DA MORTE FOI REMOVIDO DE NÓS – Romanos 5.12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.
Os efeitos de Adão e Cristo em relação a nós. Adão pelo pecado trouxe a transgressão e por consequência a morte. Cristo pela sua obra expiatória trouxe o perdão e a justificação. Essa transgressão foi transmitida a toda sua descendência, visto que todos pecaram em Adão. O pecado de Adão pode ser entendido como um efeito dominó nessa sequência: o pecado entrou em toda raça humana, trouxe a morte, todos são considerados mortos espirituais. Esse foi o resultado da entrada do pecado no mundo. Assim o homem na condição de pecador transmite biologicamente aos filhos esse aguilhão da morte, que só pode ser removido através da conversão a Cristo.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Publicado no site Esboços da EBD

There is 1 comment for this article
  1. Maurício Teixeira de Souza at 11:42

    DEUS ALTÍSSIMO Abençoe sempre e eternamente os que publicam sua palavra,em nome de jesus!conteúdo de grande proveito para nossa vida espiritual!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.