O Perigo das Obras da Carne – Daniel Conegero

O Perigo das Obras da Carne – Daniel Conegero

O Perigo das Obras da Carne é o tema da lição 3 das Lições Bíblicas CPAD do 1º trimestre de 2017 para a Escola Bíblica Dominical. Neste estudo bíblico falaremos sobre o prejuízo em viver uma vida que não agrada a Deus.

Texto Áureo: Mateus 26:41

Leitura Bíblica em Classe: Lucas 6:39-49

Introdução – Lição 3: O Perigo das Obras da Carne

Lições Bíblicas 1º Trimestre de 2017 – Escola Bíblica Dominical

Apesar de sermos regenerados, isto é, novas criaturas, ainda temos em nós a velha natureza corrompida pelo pecado que luta constantemente com nossa nova natureza a fim de nos levar a satisfazer os desejos impuros da carne e nos afastar do padrão de vida que agrada a Deus.

I- A Vida Conduzida Pela Concupiscência da Carne – Lição 3: O Perigo das Obras da Carne

Em sua Carta aos Gálatas, o apóstolo Paulo fez uma exortação acerca do julgamento divino e a bênção reservada àqueles que andam no Espírito. O apóstolo chama a atenção para o fato de que “aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6:7).

Paulo continua sua exposição dizendo que aquele “que semeia para sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna”. Com isto o apóstolo está advertindo sobre a condição de que todos serão julgados por Deus, e diante de tal julgamento apenas àqueles que semearam para o Espírito é que colherão uma recompensa eterna, onde finalmente estarão livres da natureza decaída.

Semear para a carne significa permitir que a velha natureza decaída controle seus desejos e ações, isto é, viver conforme a concupiscência da carne. Já semear para o Espírito significa exatamente o oposto, ou seja, desejar com que o Espírito controle seus desejos e ações.

Se aqueles que vivem e andam pelo Espírito são recompensados, não por seus méritos, mas pelos méritos de Cristo, com a vida eterna, por outro lado aqueles que vivem segundo as obras da carne colherão corrupção, ou seja, uma contraposição direta a vida eterna. Saiba mais sobre o juízo final.

Assim, o significado dessa “corrupção” colhida pelos que semeiam para a satisfação de sua carne, deve ser entendido como “morte eterna”, ou seja, a terrível destruição que assolará os ímpios durante todo o período que durar a bem aventurança dos santos, isto é, toda a eternidade (Mt 25:46). Saiba mais sobre o que é o inferno segundo a Bíblia.

Esse mesmo princípio também pode ser visto no livro do profeta Daniel, onde entendemos que aqueles que semearam para a carne ressuscitarão para a vergonha e condenação eterna, enquanto os santos ressuscitarão para vida eterna, e resplandecerão como o fulgor do firmamento (Dn 12:2,3).

II- A Degradação do Caráter Cristão – Lição 3: O Perigo das Obras da Carne

Os desejos e obras da carne procuram intensamente corromper o caráter do Cristão. Após o novo nascimento, o Espírito Santo age em nós capacitando-nos a viver uma vida marcada pela santificação, obedecendo à Palavra do Senhor.

Muitas pessoas se intitulam cristãos, mas demonstram um caráter completamente corrompido e reprovado. Tais pessoas enganam os homens aqui na terra, mas nunca poderão enganar o Deus que sabe de todas as coisas. Haverá o dia em que escutarão: “Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mt 7:23).

III- Uma Vida Que Não Agrada a Deus – Lição 3: O Perigo das Obras da Carne

Em diferentes ocasiões o apóstolo exortou acerca do modo de vida que não agrada a Deus, como por exemplo, em 1 Coríntios 3:3 e 2 Coríntios 12:20,21. Quando lemos as advertências escritas por ele, percebemos que o único modo de vivermos uma vida que agrada ao Senhor é através do fruto do Espírito gerado em nós como evidência de que fomos regenerados.

Se uma vida controlada pelo Espírito revela o fruto das virtudes que agrada ao Senhor, da mesma forma uma vida segundo a carne revela as obras que desagradam a Deus.

Conclusão – Lição 3: O Perigo das Obras da Carne

Quando o apóstolo Paulo falou sobre o perigo das obras da carne ele foi enfático ao afirmar: “Os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus” (Gl 5:21). Isso nos mostra que uma vida com a prática de tais obras evidencia a verdade de que quem as pratica não é, de fato, nova criatura.

Publicado no blog Estilo Adoração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.