O Juízo Final – Eliseu Antonio Gomes

O Juízo Final – Eliseu Antonio Gomes

Por Eliseu Antonio Gomes

A Bíblia apresenta eventos de julgamentos, o julgamento entre “bodes e ovelhas”, o Tribunal de Cristo e o Grande Trono Branco. Os crentes fiéis ao Senhor Jesus não terão de passar pelo juízo do Trono Branco, todos os que forem julgados ali já têm uma sentença e um destino reservados: o inferno.

Todos os que, desde Caim, amam e praticam a iniquidade serão julgados e condenados. Todos os que não se arrependerem de seus pecados, enfrentarão o juízo divino; inclusive os que estiverem vivos naquele momento; todos os que tiverem morrido durante o Milênio e os anjos caídos que se rebelara contra Deus receberão a sentença de castigo eterno (Judas 6).

Antecedendo ao Juízo do Trono Branco, que também chamamos de Juízo Final, ocorrerão a última revolta de Satanás e a sua prisão. Este julgamento acontecerá  logo após a prisão de Satanás, nos eventos finais após o Milênio (Apocalipse 20.7,10), depois de haver enganados mais uma vez as nações (Apocalipse 20.11). O Pai é o Supremo Juiz e confiou a Jesus Cristo toda a autoridade no céu e na terra (João 5.22, 27).

Quem não crê no Unigênito Filho de Deus já está condenado.”Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” – João 3.17-18.

Algumas pessoas rejeitam a ideia da vida eterna, porque a atual é miserável. Mas a vida eterna não é uma extensão da vida terrena, miserável e mortal; a vida eterna é a vida de Deus, personificada em Cristo, que foi dada a todos os crentes como uma garantia de que viverão para sempre. Na vida eterna não há morte, doença, sofrimento, inimigos, pecado.

Muitas vezes, as pessoas tentam proteger-se de seus medos, colocando sua fé em algo que elas mesmas fazem ou tem: boas obras; habilidades; inteligência, dinheiro; ou, bens materiais. Mas somente Deus pode salvar-nos de algo que verdadeiramente precisamos temer: a condenação eterna. Devemos crer em Deus, reconhecer a insuficiência de nossos esforços para obter a  salvação, e pedir a Ele que faça a sua obra em nós.

Todos os homens experimentarão a morte e, depois o juízo.“E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo” –  Hebreus 9.27.

Todas as pessoas morrem fisicamente, mas Cristo morreu para que não tivéssemos que morrer espiritualmente. Podemos ter uma confiança maravilhosa em sua obra salvadora, por nós, que extingue o pecado – passado, presente e futuro.  Ele perdoou o nosso pecado, passado – quando morreu na cruz, sacrificou-se a si mesmo uma vez por todas; nos deu o Espírito Santo para nos ajudar a lidar com o pecado presente; apresenta-se por nós agora no céu como nosso Advogado; e promete voltar e nos ressuscitar para a vida eterna em uma realidade onde o pecado é banido (Hebreus 9.24, 26, 28)

Deus determinou um dia em que Jesus Cristo julgará o mundo.“Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam; porquanto determinou um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do varão que para isso ordenou; e disso tem dado certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos” – Atos 17.30-31.

Paulo em Atenas, discursou no Areópago. A cidade grega, com seus magníficos edifícios, e muitos deuses, o centro da arte, filosofia e da educação. Entre grupos de epicureus e estóicos, com vista para estátuas de vários ídolos desprezíveis, com convicção e sabedoria apresentou a razão de sua fé no Deus verdadeiro. Mostrou-lhes que o Criador pode ser reconhecido em sua criação, é soberano e ao mesmo tempo pessoal, falou da ressurreição de Jesus Cristo e o significado dela para a humanidade. apresentou a realidade futura da vida e do castigo eternos.

Chegará o dia em que todo joelho se dobrará diante de Jesus Cristo.“Porque está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua louvará a Deus. Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” – Romanos 14.11-12.

Cada um de nós dará conta do que faz a Cristo. Hoje, muitas cristãos baseiam seus conceitos culturais, em vez de usar Palavra de Deus como regra de fé, e criticam a conduta do irmão. E denominações evangélicas criam regras e regulamentos adicionais às que temos nas Escrituras Sagradas e impõem-se contra certos costumes, atividades e comportamentos. Mas quando nos colocarmos perante Deus e prestarmos conta da nossa vida, não haverá ninguém pensando na vida alheia, não se preocupará com o que o vizinho cristão fez (ver 2 Coríntios 5.10).

Os ímpios serão lançados no Lago de Fogo. “Mas o Senhor está entronizado para sempre; preparou o seu trono para exercer o juízo” – Salmos 9.7.

O Salmo 9 trata das diferenças entre os justos e dos ímpios abordando a questão pela característica de ímpios não judeus. Para aplicar o ensino aos nossos tempos, havemos de analisar o lado dos inimigos de Cristo e da sua Igreja no mundo. O conflito entre o bem e o mal continua, e para que o povo de Deus não se desespere, havemos de crer firmemente o que o salmo declara, a saber, que Deus é soberano e que Ele porá um fim fim definitivo nas ações dos injustos, há de derrotar os seus inimigos para todo o sempre os enviando para a condenação eterna.

Vemos no versículo 17 que “os ímpios serão lançados no inferno e todas as nações que se esquecem de Deus”.

Satanás, o falso profeta, os demônios, a morte, o inferno e todos aqueles cujos nomes não foram registrados no Livro da Vida, porque não colocaram sua fé em Jesus Cristo, serão lançados no Lago de fogo.

Todos serão julgados de acordo com suas obras. “O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o hades entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras” – Apocalipse 20.13.

No Juízo Final, os livros serão abertos. Eles representam o julgamento de Deus e neles foram registrados os atos bons e maus praticados por todas as pessoas. Não somos salvos pelas nossas obras, mas estas serão consideradas como evidências do verdadeiro relacionamento de uma pessoa com Deus. O livro da vida contém os nomes daqueles que colocaram sua fé em Cristo para a salvação.

E.A.G.

Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, páginas 1420, 1421, 1724, 1725, 1739, 1754, 1575, 1830, edição 2004, Rio de Janeiro (CPAD).
Bíblia de Estudo Explicada S. E. McNair com texto bíblico Almeida Revista e Corrigida 1995, página 618, edição 2014, Rio de Janeiro (CPAD).
Lições Bíblicas Adultos – O final de Todas as Coisas: Esperança e glória para ps salvos, Elinaldo Renovato, páginas 80, 82, 1º trimestre de 2016, Rio de Janeiro (CPAD).

Publicado no blog Belverede

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *