O Evangelho da Graça – Pr. Adilson Guilhermel

O Evangelho da Graça – Pr. Adilson Guilhermel

Texto Áureo: “Contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” Atos 20.24.

Leitura Bíblica em Classe: I Timóteo 1.3-10

Introdução: Com uma linguagem figurada Deus fez duas promessas a Abraão com relação as descendências que partiriam dele como revela a escritura: (Que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; Gênesis 22:17). A dimensão da promessa feita por Deus a Abraão envolve duas dimensões, ou seja, a dimensão celestial e a dimensão terrena. Quando Deus promete a Abraão que a sua descendência seria tanta como as estrelas do céu podemos entender que apontava para uma dimensão celestial, o que tem relação com a Igreja de Cristo. A promessa de outra descendência como as areias do mar podemos entender que aponta para uma dimensão terrena, o que tem relação com Israel que viverá sob o reinado de Cristo no reino milenar. Estas promessas estão em pleno cumprimento, e a que está em desenvolvimento é a que fala das estrelas do céu, a qual aponta para a Igreja que é destinada ao reino celestial, sendo que esta promessa pode ser concluída a qualquer momento no evento do arrebatamento da Igreja. Assim que for concluída a dispensação com relação a Igreja, a promessa que fala das areias do mar passa a se iniciar na grande tribulação para a separação dos descendêntes de Abraão oriundos das três mulheres com que ele se relacionou gerando filhos. Esse será o povo que se multiplicará no milênio, sob o reinado de Cristo.

I -AS FALSAS DOUTRINAS SÓ CORROMPEM O EVANGELHO DA GRAÇA

1. Foi o evangelho da graça e não do reino que se estendeu para todos os povos – Contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” Atos 20.24.

Jesus disse: (E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. Mateus 24:14). O evangelho do reino foi pregado tanto por João Batista como também por Jesus ainda na dispensação da lei. Esse evangelho apontava para o estabelecimento do reino de Cristo nesse plano terreno. Era isso que os Judeus aguardavam que acontecesse, tanto que em algumas ocasiões tentaram proclamar Cristo como o rei que iria libertá-los do poder romano. Porém os descendentes de Abraão, tanto judeus como os demais descendentes das outras duas mulheres, não estavam preparados para Cristo estabelecer o seu reino naquele tempo. Não sendo o tempo ainda para estabelecer esse reino, foi necessário adiar o evangelho do reino antes da cruz. Depois da cruz passou-se a proclamar o evangelho da graça, o evangelho que leva o homem para o reino dos céus. Esse evangelho da graça foi estendido para todos os povos da terra, tanto judeus, como gentios, e será pregado até o arrebatamento da Igreja. A partir daí, vem a grande tribulação onde será pregado o evangelho do reino, cuja mensagem de salvação apontará para o reino de Cristo aqui na terra, ou seja, o reino milenar. Esse evangelho do reino que foi adiado antes da cruz voltará a ser pregado pelas cento e quarenta e quatro mil testemunhas no período da grande tribulação. Também será pregado por anjos do Senhor conforme está escrito no livro de Apocalipse: (Apocalipse 14.6 E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo, 7 Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas).

2. As falsas doutrinas surgiram em oposição da propagação do Evangelho da graçaComo te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns, que não ensinem outra doutrina, – 1 Timóteo 1.3

Assim como na grande tribulação, o Anti Cristo fará grande oposição com perseguições aos que aceitarem Cristo através da pregação do evangelho do reino para que não entrem no reino milenar, também o inimigo o faz em relação aos que professam Cristo através do evangelho da graça para que não entrem no reino dos céus. Neste período da dispensação da graça desde os primórdios da igreja, como também no seu período cronológico, Satanás perseguiu os cristãos de forma violenta, tanto através dos imperadores romanos, como também usando os papados na chamada inquisição romana martirizando muitos cristão com todo tipo de torturas. Agora no seu período composto a igreja em alguns lugares ainda sofre perseguições, não de uma forma generalizada como foram nesses períodos. Isto porque satanás age e usa estratégias diferentes para conseguir os seus intentos. Uma das suas formas mais eficazes que ele usa é semear o joio dentro das igrejas verdadeiras. Esse meio que o inimigo usa já fez e, está fazendo mais estragos na igreja, do que todas as perseguições que ela sofreu. A igreja como corpo de Cristo no seu sentido total está cheia de agentes de Satanás introduzindo e usando de heresias para prejudicar o avanço do verdadeiro evangelho da graça, fundamentado na sã doutrina.

II – A DISPENSAÇÃO DA GRAÇA SUPERABUNDOU COM A FÉ E O AMOR

1. A evangelho da graça envolve a lei do amor sincero e não pode ser corrompido – 1 Timóteo 1.5 Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.

As falsas doutrinas promovidas pelos falsos mestres, ao invés de gerar amor e comunhão no meio da Igreja, na realidade produziam um efeito contrário causando grandes controvérsias e confusão entre os irmãos. Esse amor que é implantado por Cristo em nossos corações não pode ser contaminado por falsos ensinos que não trazem qualquer tipo de edificação. Qualquer ensinamento deve promover a glória de Deus e o bem da Igreja, se não for assim, o que ele faz é promover especulação e a controvérsia. O apóstolo Paulo escrevendo aos Gálatas exortou-os por estarem abandonando a fé fundamentada no amor, isto porque estavam dando ouvidos a falsos mestres que os induziam a se voltarem para a pratica dos cerimoniais da lei: (Corríeis bem; quem vos impediu, para que não obedeçais à verdade? Gálatas 5:7). Jesus também repreendeu a Igreja de Éfeso no livro de Apocalipse pelo formalismo desses cristão: (Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.Apocalipse 2:4). A igreja não pode deixar a unidade fundamentada pelo amor, pois isso causará certamente divisões no meio da igreja abrindo assim, espaço para o inimigo agir.

2. O evangelho da graça envolve nossa gratidão a Deus pelo que Ele operou em nós – Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado. Romanos 7:25

A bíblia revela que o cristão vive entre dois conflitos, ou seja, o espírito e a carne, e não há como estar vivenciando as duas coisas ao mesmo tempo, pois isso é impossível. Isto porque se alguém está na carne não pode estar no espírito e se alguém está no espírito não pode estar na carne. Como está escrito: (Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Gálatas 5:17). O cristão precisa saber que existe um conflito desenrolando em seu interior continuamente e deve se conscientizar que o controle disso pode ser exercido por um ou pelo outro e isto é uma questão individual. Se dependermos da energia da carne, não podemos servir e agradar a Deus nem fazer coisa alguma que se aproveite, muito pelo contrário, isso só irá gerar conflitos e confusões. Porém se nos entregarmos à vontade do Espírito Santo, teremos então o poder necessário para vencer toda carnalidade e estar em obediência à vontade de Deus.

3. O evangelho da graça envolve a conscientização de que não mereciamos seu amor – Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. 1 Timóteo 1:15

O evangelho da graça é verdadeiro e digno de toda aceitação, totalmente diferente dos ensinos dos falsos mestres com as suas mentiras e heresias. O conteúdo do evangelho é Cristo e a mensagem é a justificação pela fé, significando que o pecador recebendo o Evangelho, ele aceita o seu conteúdo que é Cristo e, por conseguinte é justificado dos seus pecados pela fé. O apóstolo Paulo reconhece que os seus idealismos dentro do legalismo, o faziam como o maior dos pecadores e que não merecia o amor de Jesus, porém reconhecia o poder do Evangelho que o transformou por completo. (Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Gálatas 2:20).

III – O EVANGELHO DA GRAÇA CONVIDA A COMBATER O BOM COMBATE

1. Na boa milícia está incluído a firme missão de combater as heresias – Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia; I Timóteo 1:18

Paulo exortou a Timóteo a não permanecer neutro diante da insidiosa influência que exerciam os falsos mestres no meio da igreja. Combater o bom combate era agir energicamente contra os que apregoavam os falsos ensinamentos. Timóteo tinha por obrigação defender a verdade de Deus, que foi revelada através do Evangelho. Assim também todos os que preservam a sã doutrina, não podem ficar em cima do muro argumentando que não deve se intrometer nessas coisas. Timóteo seguiu os ensinamentos de Paulo combatendo as falsas doutrinas, porém o falso evangelho não pode ser contido, pois se alastrou no meio cristão de uma forma incontrolável. Porém isso não é motivo para ficarmos na neutralidade. É preciso combater e mostrar para a Igreja para que eles não se deixem levar por esses ventos de doutrinas. (Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Hebreus 10:25).

2. As heresias devem ser combatidas, pois rejeitam a fé e são nocivas – Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé. 1 Timóteo 1:19

Timóteo foi exortado a guardar coisas essenciais; a primeira era a fé e a segunda era a boa consciência e, essas duas coisas tinham que ser mantidas juntas. Muitos líderes cristãos até que começam bem, mas com o tempo se deixarem levar por uma obstinada desobediência em sua vida, e certamente vão se desviar da verdade arruinando assim, o seu ministério. Alguns em razão disso não possuem mais uma consciência limpa, e sim uma consciência cauterizada pelo pecado. Assim não é de se estranhar aqueles que persistem em enganar o povo da igreja com as suas heresias, enganando-se a sim mesmos e aqueles que os ouvem e os seguem. O que é triste e lamentável é que esses líderes estão se afundando ou naufragando na fé, e levando milhares de almas com eles.

Esboço e comentário elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel.

Publicado no site Esboços da EBD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.