A Evangelização Urbana e suas Estratégias – Pr. Adilson Guilhermel

A Evangelização Urbana e suas Estratégias – Pr. Adilson Guilhermel

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A EVANGELIZAÇÃO URBANA E SUAS ESTRATÉGIAS

Texto Áureo: Mateus 11.1 E aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles.

Leitura Bíblica em Classe: Atos 2.1-12

Introdução: Em todo ministério terreno de Cristo uma das suas maiores preocupações era instruir os seus discípulos em estratégias de evangelização. Ele deu aulas teológicas, como também aulas práticas para desenvolvê-los de uma forma que pudessem produzir resultados satisfatórios em suas missões evangelizadoras. Nas instruções que ele deu aos doze discípulos enviando-os a evangelizar procurou distancia-los dele nessa missão para irem se acostumando a caminhar sem a presença física do mestre, isso porque, chegaria o momento da sua partida e eles não contariam mais com Jesus caminhando fisicamente com eles. Após Jesus ascender aos céus eles seriam guiados e instruídos pelo Consolador enviado por Cristo, o Espírito Santo. Após o pentecostes eles deveriam estar totalmente preparados para a grande obra para a qual foram chamados, que era evangelizar todo o mundo da época. Em nossos dias a maioria dos países tem igrejas evangélicas, com exceção de alguns países fechados ao evangelho. Graças ao trabalho dos evangelizadores que incansavelmente sofrendo todo tipo de perseguições, torturas, cárceres e mortes é que a chama do evangelho continua acesa e se espalhando cada vez mais. Em todos os tempos o trabalho de evangelização sempre foi penoso e, em nossos dias não tem sido diferente, ou até mais difícil. Isto porque no próprio meio evangélico ocorrem escândalos, heresias e outras coisas que prejudicam a evangelização. É uma igreja em cada esquina ou até mesmo parede com parede sem qualquer tipo de ética que acabam só trazendo confusões. Alguns não visam necessariamente as almas pecadoras e sim as ovelhas dos outros. Não querem preparar as almas e sim já querem prontas.

  1. DEUS OPERA QUANDO HÁ CONCORDÂNCIA NUM MESMO PROPÓSITO

Atos 2.1 E, CUMPRINDO-SE o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar;

Jesus fez testes práticos de evangelização urbana com os seus discípulos tanto em Jerusalém, como por toda a Judéia enviando-os dois a dois com orientações para não pregarem aos gentios nem aos samaritanos, mas especificamente aos judeus. Soprou sobre eles um poder provisório específico para aquela missão, onde poderiam expulsar demônios, curar enfermos, limpar leprosos e ressuscitar mortos. Foi um encorajamento dado aos discípulos para que após a sua partida para os céus, eles buscassem esse poder, não provisório, mas permanente com a descida do Espírito Santo. Deveriam entender a importância de buscarem esse poder, pois sem ele não conseguiram realizar nada. Entendendo a necessidade de esse poder eles obedeceram as orientações de Jesus e durante dez dias permaneceram no cenáculo até que a promessa fosse cumprida neles.

  1. NÃO FOI PRECISO PULADEIRA PARA O PODER DIVINO MANIFESTAR

Atos 2.2 E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

Os discípulos estavam assentados no cenáculo aguardando a promessa do revestimento de poder, quando subitamente o sobrenatural divino se manifestou com intensidade naquele local. Essa manifestação estrondosa contribuiu na preparação deles para o recebimento do dom celeste. Nesse momento os discípulos puderam ser envolvidos numa experiência mística de elevado grau com a presença do Espírito Santo, como se entrassem em uma dimensão diferente. Tudo isso aconteceu sem gritarias, puladeiras, ou outras meninices, para que essa grande manifestação do poder divino se realizasse.

  1. O ESPÍRITO VEIO SOBRE CADA UM DELES PARA PERMANECER NELES

Atos 2.3 E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

A predição de João Batista estava se cumprindo naquele cenáculo, quando disse: Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo, ou seja, o Espírito Santo como com fogo. Em forma de línguas repartidas demonstram as operações do Espírito Santo que são diversificadas. Também ainda ilustrando em formas de línguas provenientes do Espírito é um sinal que temos a palavra de Deus e, é pelo Espírito que Jesus falaria ao mundo através dos seus discípulos. É pelo Espírito que somos dotados do conhecimento e sabedoria para proclamar o evangelho em todas as oportunidades. Eram línguas repartidas que sugere a indicação de que Deus dividiria por todas as nações o conhecimento do seu evangelho. O fogo que veio sobre os discípulos indica que o Espírito Santo passaria a habitar constantemente neles.

  1. OS DONS ESPIRITUAIS SÓ VÊM APÓS O BATISMO COM O ESPÍRITO

Atos 2.4 E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

Depois de serem cheios do Espírito receberam do dom de variedades de línguas, isso mostra que os dons espirituais somente se manifestarão após o batismo com o Espírito Santo. Quem não é batizado com o Espírito e se dá a falar em línguas é pura imitação. Embora todos os crentes tenham recebido o batismo espiritual no momento da sua conversão e são como todos habitação do Espírito, isso não significa que todos estão numa situação igual aos demais. Isto porque, tem os crentes que somente tem o Espírito Santo, como também a outros que desenvolveram a sua espiritualidade buscando o batismo com o Espírito. Nesse caso tem os que não são batizados com o Espírito e os que são batizados com o Espírito. Ser batizado através desse revestimento de poder é essencial para que exerçam atividades evangelizadoras, visto que enfrentarão circunstâncias que exigirão esse revestimento de poder.

  1. DEUS É O GRANDE EXTRATEGISTA E TIRA PROVEITO DE SITUAÇÕES

Atos 2.5 E em Jerusalém estavam habitando judeus, homens religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu.

A multidão que se reuniu defronte ao cenáculo envolvia judeus e prosélitos e pagãos de todas as nações. O fato de estarem em Jerusalém se prendia pela participação da festa da páscoa e do pentecoste. Essa concentração do povo naquele lugar ocorreu pelos acontecimentos sobrenaturais provocados pelo som do vento e os demais eventos. As diversas raças presentes propiciou uma grande oportunidade para o Espírito Santo agir na vida de Pedro para evangelizar aquele povo. Alguns dizem que Jesus tarda a vir porque faltam algumas nações para ser evangelizada, isso é pura ignorância a palavra de Deus, pois o próprio texto está dizendo que havia ali defronte ao cenáculo pessoas de todas as nações que estão embaixo do céu. Significa que todos os povos daquele tempo receberam a semeadura do evangelho, quando na dispersão daqueles que saíram evangelizando após a perseguição ocorrida em Jerusalém.

  1. UM SOM LOCALIZADO FOI NECESSÁRIO PARA O AJUNTAMENTO

Atos 2.6 E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-se uma multidão, e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.

Como o povo por natureza é curioso, Deus se valeu disso para concentrar a grande multidão que estava em Jerusalém para que os apóstolos aproveitassem essa grande oportunidade de proclamar o evangelho. O falar em línguas, não estranhas como passou a acontecer tempos após, mas em línguas nativas de cada pessoa de nações diversas que estavam por ali. O Espírito Santo usou os discípulos dessa maneira para contribuir e destacar a universalidade da mensagem cristã, contrastando com as línguas locais do judaísmo. Foi algo que impressionou a muitos o fato de pessoas iletradas estarem falando fluentemente em suas línguas nativas a mensagem do evangelho. Os discípulos falaram aos ouvintes sobre as maravilhosas obras divinas em línguas que podiam compreender. Era a mesma palavra traduzida para que os de línguas diferentes compreendessem e assimilassem os ensinamentos dos discípulos de Cristo e pudessem ser os evangelizadores urbanos nos seus países de origem.

  1. AS BARREIRAS LINGUISTICAS FORAM REMOVIDAS PARA TODOS

Atos 2.7 E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando? Atos 2.8 Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? Atos 2.9 Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Asia, Atos 2.10 E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, Atos 2.11 Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.

Deus sempre dá as ferramentas e a capacidade para aqueles que se dispõe a se engajar na sua obra a serviço do seu reino. Era com essa disposição que os discípulos de Cristo se voluntariavam a serem seus instrumentos para a expansão do evangelho por todo o mundo. Nesse início da igreja milhares de almas ouviram os ensinamentos dos discípulos em sua língua nativa, na eloquência dos evangelizadores, com poder de persuasão, impulsionados e orientados pelo Espírito Santo. O que a multidão não imaginava é que aqueles Galileus doutrinados por Cristo falavam fluentemente em suas línguas nativas que os deixaram perplexos. Diante desse fato sobrenatural eles se admiraram e passaram a dar mais crédito aos apóstolos recebendo com alegria à mensagem de salvação. Devemos lembrar que todos esses povos após esse episódio permaneceram em Jerusalém perseverando na doutrina dos apóstolos, até quando começou a perseguição, onde todos retornaram aos seus países de origem, agora como evangelizadores urbanos. (Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; 1 Coríntios 1:27-27).

  1. A PALAVRA DO EVANGELHO QUANDO ACEITA PROVOCA COMOÇÕES

Atos 2.12 E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?

Deus opera grandes coisas para realizar os seus propósitos, e isso aos olhos de todos para que não haja qualquer tipo de dúvida em qualquer alma ali presente. Estes fatos surpreendentes e estranhos ajudavam a convencer a todos os estrangeiros que esta doutrina era de Deus. Era também uma indicação muito forte de que o muro de separação entre judeus e gentios fora quebrado, pois o que era privilégio dos judeus fora estendido aos gentios. Assim o culto a Deus não estaria mais restrito aos judeus e sim a todos os que se convertiam a Cristo independente de raças. Quando eles indagam, “que quer isto dizer”? Essa indagação vem provar que os seus corações haviam sido tocados profundamente, quando acolheram a mensagem do arrependimento e da graça, para que fossem os grandes propagadores do evangelho por todo o mundo. Apesar de todos os eventos sobrenaturais, ainda havia pessoas que procuravam ridicularizar os apóstolos e os que estavam com eles. Isso significa que o diabo também se aproveita de situações para afrontar aqueles que genuinamente estão a serviço de Deus. Em atividades evangelizadoras é preciso estar preparado para enfrentar todo tipo de adversidades, pois sempre nos depararemos com incrédulos que se recusam a aceitar a verdade. Sem qualquer temor criticam aquilo que é santo, bem como endurecem os seus próprios corações.

 

Elaborado pelo Pr. Adilson Guilhermel

Publicado no site Esboços da EBD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *