A Evangelização Real na Era Digital – Sulamita Macedo

A Evangelização Real na Era Digital – Sulamita Macedo

Lição 12: A evangelização real na era digital

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:

– Apresentem o título da lição: A evangelização real na era digital.

– Em seguida, utilizem a dinâmica “Evangelizando na Mídia Virtual”.

– Lembrem-se de que ao trabalhar o conteúdo da lição, vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Atenção! Professores da classe dos novos convertidos:

Vocês encontram sugestões para a revista Discipulando do 1o. ao 4o. ciclo, no marcador “Discipulando”.

Para a revista 1 e 2 do Discipulado, vocês encontram  no marcador “Subsídio Pedagógico Discipulado 1” e “Subsídio Pedagógico Discipulado 2”, do currículo antigo. Façam bom proveito!

 

Sugestão para a conclusão do 3º. Trimestre de 2016:

Listar os tipos de grupos para evangelizar apresentados nas lições

Lembrar quais as estratégias de evangelização para os grupos estudados no trimestre

Cada aluno ou mais de um aluno escolher um ou mais grupos para evangelizar durante a semana

Apresentar o resultado da evangelização no próximo domingo

Dinâmica: Evangelizando na Mídia Virtual

Objetivos:

Refletir sobre o uso da Internet.

Enfatizar a utilização da internet para evangelizar

Material:

½ de uma cartolina de cor verde e vermelha

02 pincéis atômicos

Procedimento:

– Organizem os alunos em círculo. O professor também deve fazer parte do círculo.

– Perguntem: De que modo vocês acessam a internet?

As respostas devem girar em torno do acesso em casa, na escola, na rua, através de celular, computador, tablet etc.

– Aproveitem este momento e falem sobre a facilidade de acesso com tantas possibilidades.

– Agora, apresentem para os alunos ½ de cartolina, uma de cor verde e outra vermelha, contendo duas perguntas:

Na verde: Quais os pontos positivos da Internet?

Na vermelha: Quais os pontos negativos da Internet?

Entreguem a folha verde(dos pontos positivos) para um aluno que está a sua direita e falem:

Cada um vai responder e passar a folha para o colega do lado direito.

Entreguem a folha vermelha(dos pontos negativos) para um aluno que está a sua esquerda e falem:

Cada um vai responder e passar a folha para o colega do lado esquerdo.

Fiquem observando a atividade e orientem os alunos para que tenham pressa e cuidado ao responder.

– Após a conclusão desta parte, leiam para os alunos os pontos positivos e negativos da Internet, reflitam com eles sobre as respostas e acrescentem outras informações se necessário.

Reflitam sobre as cores utilizadas – verde e vermelha em relação aos pontos negativos e positivos. A cor verde significa algo positivo, bom e que pode ter livre acesso, mas a cor vermelha nos remete a cuidado, proibição.

– Enfatizem que nos pontos positivos, podemos acrescentar a evangelização na internet.

– Para concluir, falem: É sobre este assunto que vamos estudar na aula de hoje.

Por Sulamita Macedo.

 Texto Pedagógico

Tecnologias na EBD

A comunicação é algo imprescindível na vida do ser humano, tendo em vista viver em sociedade. Conviver com seus pares requer que haja o ato comunicativo e dessa forma conhecemos, deste os tempos idos, formas diferenciadas deste processo e que com o passar do tempo foi se desenvolvendo de forma vasta e rápida.

Mecanismos e tecnologias foram desenvolvidos, e, na era moderna e pós-moderna, com a introdução dos computadores e internet, constata-se o elevado sistema de informações e comunicação abrangendo as diversas áreas do relacionamento humano, quer seja na economia, na saúde, na educação e tantos outros.

As TICs (Tecnologia da Informação e da Comunicação) estão presentes na Educação como uma estratégia pedagógica adicional para que haja melhoria na transmissão dos conteúdos.

Na EBD(Escola Bíblica Dominical) também as tecnologias devem ser inseridas no processo de ensino e aprendizagem. Para isto, alguns pontos devem ser observados para a utilização:

– Local disponível: é interessante que os recursos tecnológicos sejam utilizados em local apropriado. É inadequado o uso dentro do templo, pois chama atenção de outras classes. Caso a Igreja não disponibilize um local reservado para este fim, procure outro espaço, organizando para a aula, com antecedência. Procure agendar previamente o espaço e o equipamento com o superintendente.

– Saber utilizar a ferramenta ou pedir ajuda: o professor deve investigar o potencial da tecnologia e como manuseá-la. Saiba como utilizar as ferramentas da internet, como email, blog, facebook etc para manter-se conectado ao mundo virtual com seus alunos, explorando estes elementos a favor do ensino da EBD e formação de vínculos. Caso você vá usar algum equipamento e não tem segurança, peça ajuda a alguém que conheça (outro professor, os alunos) – fazer esta parceria é um sinal de sabedoria.

– Trocar experiências: converse com colegas que já utilizam as tecnologias, procurando saber os pontos positivos e negativos, as dificuldades, os resultados na aprendizagem.

– Inserção no Planejamento de Aula: o professor precisa avaliar qual tipo de tecnologia deve utilizar em determinado assunto e variar a forma de utilização.

– Tenha sempre outra atividade em caso de falta de energia, problemas no equipamento: é muito importante que o professor tenha um plano B, isto é, outra forma de trabalhar o conteúdo, pois na falta de energia ou equipamento que não funciona, você não será pego de surpresa e já terá outra  estratégia  planejada  para ministrar a aula.

– Aprofundar no conhecimento da tecnologia: há muitos cursos que são oferecidos, inclusive a preços módicos. Inscreva-se e tome posse deste conhecimento, mergulhe e aprofunde-se. Na internet é possível também encontrar os tutoriais, que explicam o passo a passo de como utilizar programas e recursos. Se você já sabe utilizar, encoraje outros a fazê-lo.

A tecnologia não substitui o professor, nem a participação dos alunos na aula, sua utilização deve ser entendida como facilitador da aprendizagem. Se você julga ou tem certeza que a tecnologia atrapalha a tarefa de ensinar, é porque você ainda não sabe utilizá-la ou ainda não entendeu para que serve como estratégia de ensino.

Então, fique atento as observações expostas neste texto. Procure dinamizar o ensino, utilizando estratégias diferenciadas para que haja maior retenção da aprendizagem da Palavra de Deus.

 

Por Sulamita Macedo.

Publicado no blog Atitude de Aprendiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *