Ética Cristã e Suicídio – Pr. Luiz Henrique

Ética Cristã e Suicídio – Pr. Luiz Henrique

Lição 6, Ética Cristã e Suicídio
2º Trimestre de 2018 – Título: Valores Cristãos – Enfrentando As Questões Morais de Nosso Tempo
Comentarista: Pr. Douglas Baptista, Lider da Assembleias de DEUS Missão em Brasilia – DF
Complementos, Ilustrações e Vídeos: Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva – 99-99152-0454.
AJUDA –  http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao9eticaesuicidio.htm
 
 
TEXTO ÁUREO
“O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância.”  (Jo 10.10)
 
 
VERDADE PRÁTICA
O início e o término de nossa vida são prerrogativas exclusivas de DEUS.

 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda – Jz 16.28-30 Sansão não se suicidou, mas morreu em combate
Terça – Mt 27.4-5; At 1.8 Judas Iscariotes, tomado de remorsos, dá fim a própria vida
Quarta – Sl 100.3 Foi DEUS quem deu a vida e, portanto, a vida pertence a Ele
Quinta – Ec 3.2 DEUS é quem determina o nosso nascer e morrer
Sexta – Jo 15.13 O maior amor é o que entrega a vida em favor do outro
Sábado – Jo 10.15 CRISTO entregou a sua vida pela suas “ovelhas”
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE – 1 Samuel 31.1-6
1 – Os filisteus, pois, pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus e caíram atravessados na montanha de Gilboa. 2 – E os filisteus apertaram com Saul e seus filhos e os filisteus mataram a Jônatas, e a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul. 3 – E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e muito temeu por causa dos flecheiros. 4 – Então, disse Saul ao seu pajem de armas: Arranca a tua espada e atravessa-me com ela, para que, porventura, não venham estes incircuncisos, e me atravessem, e escarneçam de mim. Porém o seu pajem de armas não quis, porque temia muito; então, Saul tomou a espada e se lançou sobre ela. 5 – Vendo, pois, o seu pajem de armas que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada e morreu com ele. 6 – Assim, faleceu Saul, e seus três filhos, e o seu pajem de armas, e também todos os seus homens morreram juntamente naquele dia.
 
OBJETIVO GERAL – Apresentar que o suicídio está na contramão da vontade de DEUS para o crente.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Descrever o suicídio nas Escrituras e no mundo;
Elencar os tipos de suicídios;
Apontar os posicionamentos teológico e ético a respeito do suicídio.
 
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Há dados alarmantes a respeito do suicídio. Está mais do que na hora de considerarmos este assunto de acordo com a seriedade que ele requer.
Não é de hoje que o suicídio tem sido um fato que perpassa a realidade de muitas igrejas locais. São membros, que infelizmente, dão cabo da própria vida. Outros, são pastores experimentados no ministério, que não suportando o sofrimento, põem fim a própria existência.
Esse problema é um drama que tem ligação direta com os transtornos de humor, manifestados na depressão, no transtorno de ansiedade, nas esquizofrenias, dentre outros, como revelou uma pesquisa médica recente.
O mais dramático é que esses transtornos têm tratamento adequado por intermédio de medicamentos e de terapias profissionais. Ore ao Senhor e peça sabedoria do alto para que, se for o caso, oriente as pessoas que porventura vivem o “calabouço” da depressão a procurarem ajuda profissional, paralelo à terapia espiritual. Tal orientação pode salvar vidas. Boa aula!
COMENTÁRIO/INTRODUÇÃO
A expressão “suicídio” vem do latim sui (a si mesmo) e caedere (matar, cortar) que significa “matar a si mesmo”, também conhecida como “morte autoinfligida”. Essa prática tem sido um mal silencioso e o índice de pessoas que se suicidam vem crescendo assustadoramente. Nesta lição, estudaremos o suicídio nas Escrituras e no mundo, seus tipos e o posicionamento cristão quanto ao tema.
PONTO CENTRAL – DEUS é quem deve ter a última palavra a respeito da vida.
Resumo da Lição 6, Ética Cristã e Suicídio
I – O SUICÍDIO NAS ESCRITURAS E NO MUNDO
1. No Antigo Testamento.
2. No Novo Testamento.
3. O suicídio no mundo.
II – OS TIPOS DE SUICÍDIO
1. Suicídio convencional.
2. Suicídio pessoal.
3. “Suicídio” sacrificial.
III – O POSICIONAMENTO CRISTÃO PARA O SUICÍDIO
1. O posicionamento teológico.
2. O posicionamento ético.
 
SÍNTESE DO TÓPICO I – O suicídio aparece nas Escrituras Sagradas e reflete-se no mundo de hoje.
SÍNTESE DO TÓPICO II – Os tipos de suicídios podem ser denominados “convencional”, “pessoal” e “sacrificial”.
SÍNTESE DO TÓPICO III – O posicionamento do cristão diante do suicídio tem um aspecto teológico e outro ético.
PARA REFLETIR

A respeito do tema “Ética Cristã e Suicídio”, responda:
Cite ao menos, dois casos de suicídio no Antigo Testamento e explique o porquê do caso de Sansão não ser considerado suicídio. – O caso de Saul e o caso de Aitofel. Decidido a cumprir sua missão, na festa a Dagon, derrubou o templo sobre si e seus inimigos (Jz 16.30). Entretanto, esta ação é vista como sacrifício de guerra e não suicídio. Por isso, Sansão aparece na lista dos heróis da fé (Hb 11.32-34).
Quais foram as motivações de Judas em entregar JESUS? – Sua ambição por dinheiro foi uma das motivações para entregar JESUS (Mc 14.11).
Mencione os três tipos de suicídios classificados oficialmente. – Suicídio convencional, pessoal e sacrificial.
Qual deve ser o posicionamento teológico do cristão em relação ao suicídio? – O cristão se posiciona contra o suicídio fundamentado no sexto mandamento do Decálogo: “Não matarás” (Êx 20.13).
Qual deve ser o posicionamento ético do cristão em relação ao suicídio? – A posição da Ética Cristã é contrária ao suicídio pelos seguintes e principais motivos: a) banalização da vida; b) violação do mandamento do amor; c) um ato egoísta; d) falta de confiança em DEUS; e) um gesto de ingratidão.

 
CONSULTE – Revista Ensinador Cristão – CPAD, nº 74, p39. Você encontrará mais subsídios para enriquecer a lição. São artigos que buscam expandir certos assuntos.
 
O Brasil encontra-se no oitavo lugar (dos 172 países) – 32 suicídios por dia.
Leia mais no https://pt-br.insider.pro/infographics/2016-10-05/grafico-taxa-de-mortalidade-por-suicidio-no-mundo/

OMS: Suicídio já mata mais jovens que o HIV em todo o mundo.
No ano passado, no Japão, mais de 25 mil pessoas cometeram suicídio. Isso dá uma média de 70 por dia. A maioria delas, homens.
“O isolamento é o fator número um que antecede a depressão e o suicídio”, diz o psicólogo Wataru Nishida, da Universidade Temple, em Tóquio.
“Hoje em dia, são cada vez mais comuns histórias de idosos que morrem sozinhos em seus apartamentos. Eles estão sendo negligenciados. Os filhos costumavam cuidar de seus pais no Japão, mas isso não ocorre mais.”
Muitas pessoas costumam citar uma antiga tradição de “suicídio em nome da honra” para a alta taxa do país.
Elas citam, por exemplo, a prática samurai de cometer “seppuku” e dos jovens pilotos “kamikazes” de 1945 para explicar por que razões culturais tornam os japoneses mais propensos a tirar suas próprias vidas.
Ao longo dos últimos 40 anos mostra que idosos que têm problemas financeiros podem ver o suicídio como uma saída para esta situação.
“Os seguros de vida no Japão são muito ambíguos quanto ao pagamento por suicídio. Então, quando uma pessoa se mata, o seguro costuma ser pago”, afirma Joseph.
“Os idosos vivem sob uma pressão intolerável e acreditam que o melhor que podem fazer é tirar suas vidas para sustentar sua família.”
Mas não são apenas os idosos homens com problemas financeiros que estão tirando suas vidas. O índice vem crescendo rapidamente entre homens jovens, fazendo com que o suicídio seja a principal causa de morte entre os homens japoneses com idades entre 20 e 40 anos.
E as evidências apontam que estes jovens estão se matando porque perderam completamente a esperança e são incapazes de pedir ajuda.
Os números começaram a crescer após a crise financeira asiática de 1998 e aumentaram novamente após a crise financeira mundial de 2008.
A ansiedade causada por problemas financeiros e a instabilidade no trabalho é reforçada pela cultura japonesa de não reclamar. “Não há muitas formas de expressar raiva ou frustração no Japão”, diz Nishida.
“Esta é uma sociedade muito orientada por regras. Jovens são moldados para se encaixar em nichos existentes. Não há como alguém expressar seus sentimentos vendadeiros. Se são pressionados por seu chefe ou se deprimem, alguns acham que a única saída é morrer.”
O Japão é famoso por uma condição conhecida como “hikkimori”, um tipo de isolamento social grave.
O jovem nesta situação pode se fechar completamente ao mundo, permanecendo em um quarto por meses ou mesmo anos. A maioria deles são homens.
“Os jovens japoneses têm muito conhecimento, mas pouca experiência de vida. Não sabem como expressar suas emoções”, afirma Nishida.
“Eles esqueceram como é tocar uma pessoa. Quando pensam sobre sexo, podem ficar ansiosos e sem saber como lidar com isso.”
E, quando jovens se encontram isolados e deprimidos, eles têm poucos lugares aos quais recorrer. Doenças mentais são um tabu no país, e a depressão é geralmente pouco compreendida. Quem sofre deste problema, normalmente tem medo de falar sobre o assunto.
Nishida diz que o Japão agora começa a debater mais sobre doenças mentais e não tratar isso como algo assustador e estranho que afeta apenas a alguns poucos. Mas o especialista acredita que ainda há um longo caminho a ser percorrido.
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/07/150705_japao_suicidio_rb

 
Resumo Rápido do Pr. Henrique da Lição 6, Ética Cristã e Suicídio
NÃO É SUICIDA NEM SANSÃO E NEM JESUS. SANSÃO DEU A VIDA EM COMBATE CONTRA SEUS INIMIGOS E DE DEUS, SEGUINDO ORIENTAÇÃO DE DEUS PARA OS DESTRUIR. JESUS DEU A VIDA POR NÓS PARA SERMOS SALVOS OBEDECENDO A UM MANDAMENTO DE DEUS E NÃO SE SUICIDOU, FOI MORTO.
 
O diabo tentou fazer com que JESUS se suicidasse.
E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces em alguma pedra. Mt 4:6
 
I – O SUICÍDIO NAS ESCRITURAS E NO MUNDO
1. No Antigo Testamento.
Sansão –
Assim como fizeram com Saul iriam fazer com sansão quando o apresentaram para mais de três mil filisteus no templo de Dagon.
(1 Cr 10.9-10) Então cortaram a cabeça de Saul e pegaram as armas dele. Depois mandaram mensageiros com elas para o território filisteu a fim de darem as boas notícias aos seus ídolos e ao povo. Eles puseram as armas dele num dos seus templos e penduraram a sua cabeça no templo de Dagom, o deus deles.
Sansão só se livraria dali se Deus desse o livramento. A morte de Sansão estava decretada, ou morria na mão dos filisteus, ou morria matando-os.
A morte de Sansão foi um Ato de justiça da parte de Deus. Para que Sansão não viesse a ser morto pelos filisteus e para que seu povo fosse liberto da servidão dos filisteus.
E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas, Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos. Hebreus 11:32-34
PELA FÉ SANSÃO AINDA NA HORA DE SUA MORTE VENCEU O REINO DOS FILISTEUS, DE SUA FRAQUEZA TIROU FORÇAS PARA DERROTAR SEUS INIMIGOS, SE ESFORÇOU NA BATALHA, MATOU MAIS INIMIGOS EM SUA MORTE DO QUE EU SUA VIDA, E OLHA QUE NÃO FORAM POUCOS.
2. No Novo Testamento.
3. O suicídio no mundo.
II – OS TIPOS DE SUICÍDIO
1. Suicídio convencional.
2. Suicídio pessoal.
3. “Suicídio” sacrificial.
III – O POSICIONAMENTO CRISTÃO PARA O SUICÍDIO
1. O posicionamento teológico.
2. O posicionamento ético.
 
OMS: Brasil é 4º em crescimento de suicídios na América Latina
4 setembro 2014
Apenas quatro países latino-americanos tiveram mais aumento de suicídiso que o Brasil em 12 anos
O Brasil é o quarto país latino-americano com o maior crescimento no número de suicídios entre 2000 e 2012, segundo um relatório inédito divulgado nesta quinta-feira pela OMS (Organização Mundial da Saúde).
O documento, que reúne dados compilados em dez anos de pesquisas sobre o suicidio ao redor do planeta, descreve a questão como um grave problema mundial de saúde pública, frequentemente cercado de tabus, que precisa ser enfrentado pelas autoridades.
De acordo com o relatório, na América Latina, apenas cinco países tiveram um aumento percentual no número de suicídios entre 2000 e 2012: Guatemala (20,6%), México (16,6%), Chile (14,3%), Brasil (10,4%) e Equador (3,4%).
A OMS estima que 800 mil pessoas se suicidam por ano em todo o planeta, uma pessoa a cada 40 segundos. Essa é a segunda maior causa de morte em pessoas entre 15 e 29 anos, enquanto que os mais de 70 anos são aqueles que mais frequentemente se tornam suicidas.
Apesar disso, apenas 28 países têm uma estratégia nacional de prevenção de suicídios, de acordo com a OMS, e o Brasil é um deles. Segundo o Ministério da Saúde, “a rede pública oferece acompanhamento psicológico, psicoterápico e assistência psiquiátrica hospitalar” para prevenir suicídios.
Líder entre latinos
Em números absolutos, o Brasil é líder entre os países latino-americanos, de acordo com o relatório. Foram 11.821 suicídios entre 2010 e 2012.
Apesar de terem apresentado um aumento maior de suicídios que o Brasil, os outros três países que lideram o crescimento de casos na América Latina têm quantidades bem inferiores de casos.
A Guatemala, cuja cifra aumentou 20,6% desde 2000, teve 1.101 registros. Já o México, segundo no ranking, teve 16,6% casos a mais em 2012, mas o país soma 4.951, menos da metade dos casos brasileiros.
No Brasil, chama a atenção o fato de o número de mulheres que tiraram a própria vida ter crescido mais (17, 80%) do que o número de homens (8,20%) no período de 12 anos.
Suicídios em 2012
 Taxa por 100 mil
habitantes (2012)
Taxa por 100 mil
habitantes (2000)
Aumento
em 12 anos
Mulheres 2.623
 2,5
 2,1
 17,80%
Homens 9.198
9,4
8,7
 8,20%
Total 11.821
 5,8
 5,3
10,40%

Nas escolas
A OMS diz o estigma social associado a desordens mentais impede pessoas de buscar ajuda e, em último caso, acaba levando muitas pessoas a atentar contra a própria vida.
Por isso, a organização está pedindo que os diferentes países ofereçam mais apoio às pessoas que já tentaram alguma vez se matar e que, por isso, fazem parte de um grupo de maior risco.
A meta estabelecida pela organização é reduzir, em 10%, a taxa de suicídio mundial até 2020.
No relatório, a OMS também ataca a mídia, dizendo que publicar notícias com detalhes sobre suicídios estimula outras pessoas a também tentar se matar. Isso teria acontecido recentemente com a cobertura do suicídio do ator hollywoodiano Robin Williams.
Outro ponto levantado pela organização é a necessidade de limitar o acesso das pessoas a armas de fogo e produtos químicos letais.
Ministério da Saúde
A reportagem da BBC Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde para saber se havia alguma ação específica da pasta para tratar o problema crescente do suicídio no país.
Na resposta, o Ministério mencionou um plano de ação chamado “Estratégia de Diretrizes Nacionais de Prevenção do Suicídio”, que inclui 2.128 Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) espalhados pelo Brasil para realizar assistência especializada, com capacidade para 43 milhões de atendimentos por ano.
Nesses centros, ainda de acordo com o governo, “o paciente recebe atendimento próximo da família, assistência média e cuidado terapêutico conforme o seu quadro de saúde. O local também prevê a internação quando há orientação médica.”
O investimento total do Ministério da Saúde na prevenção ao suicídio com a criação dos CAPs foi de R$ 2 bilhões nos últimos três anos.
A pasta ainda informou que a rede pública disponibiliza medicamentos gratuitos (sob prescrição médica) para tratar doenças psiquiátricas, como a depressão – uma das causas mais comuns que levam ao suicídio.
Sobre o crescimento do número de suicídios no Brasil, o Ministério disse que “a taxa média brasileira (5,8 por 100 mil habitantes) é praticamente a metade da média mundial (11,4 por 100 mil) e está bem abaixo de outros países da América do Sul, como Argentina (10,3), Bolívia (12,2), Equador (9,2), Uruguai (12,1) e Chile (12,2).”

 
O CRISTÃO E O SUICÍDIO – Comentários Antigos de 2002 – Revista CPAD

1. O suicídio na Bíblia. 
A falta de fé em DEUS e o desespero nos revela que o Diabo já convenceu diversas pessoas que viveram no período bíblico, de que a única solução para elas naquele dado momento de suas vidas era o suicídio, ou seja, a solução covarde e egoísta de alguém sem DEUS.

a) O exemplo de Saul. 
1 Sm 28.6 O SENHOR LHE NÃO RESPONDEU. Saul buscou uma palavra profética da parte de DEUS no meio das suas aflições, mas DEUS não lhe respondeu. No seu desespero, apelou, em seguida, a uma médium espírita (vv. 7-25). A obstinação em persistir na iniqüidade, e a recusa à direção do ESPÍRITO, nos priva do socorro divino. De nada adianta invocar a DEUS, sem abandonar nossos maus caminhos (ver Mt 3.2).
1 Sm 31.2 E os filisteus apertaram com Saul e seus filhos e os filisteus mataram a Jônatas, ce a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul.3 E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e muito temeu por causa dos flecheiros.4 Então, disse Saul ao seu pajem de armas: Arranca a tua espada e atravessa-me com ela, para que, porventura, não venham estes incircuncisos, e me atravessem, e escarneçam de mim. Porém o seu pajem de armas não quis, porque temia muito; então, Saul tomou a espada e se lançou sobre ela.5 Vendo, pois, o seu pajem de armas que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada e morreu com ele.
Motivo do duplo suicídio= medo. Típico de quem não tem DEUS consigo. A falta de confiança em sua comunhão com DEUS trás o desespero e a confusão à mente na hora mais crucial de uma vida.
 
Observação Importante – Particularmente não creio que Saul tenha conseguido se suicidar – Para mim ele tentou se suicidar – seu pagem pensando que estava morto se suicidou – Depois um amalequita vem e passando por ali vê Saul escorado em sua Lança e este quase a morrer lhe pede para terminar de o matar. Esse amalequita leva a noticia a Davi que o manda matar (2 Samuel 1:1-16).
E sucedeu que, depois da morte de Saul, voltando Davi da derrota dos amalequitas, ficou dois dias em Ziclague; Ao terceiro dia um homem veio do arraial de Saul, com as vestes rotas e com terra sobre a cabeça; e, chegando ele a Davi, se lançou no chão, e se inclinou. E Davi lhe disse: Donde vens? E ele lhe disse: Escapei do arraial de Israel.E disse-lhe Davi: Como foi lá isso? peço-te, dize-mo. E ele lhe respondeu: O povo fugiu da batalha, e muitos do povo caíram, e morreram; assim como também Saul e Jônatas, seu filho, foram mortos. E disse Davi ao moço que lhe trazia as novas: Como sabes tu que Saul e Jônatas, seu filho, foram mortos? Então disse o moço que lhe dava a notícia: Cheguei por acaso à montanha de Gilboa, e eis que Saul estava encostado sobre a sua lança, e eis que os carros e a cavalaria apertavam-no. E, olhando ele para trás de si, viu-me, e chamou-me; e eu disse: Eis-me aqui. E ele me disse: Quem és tu? E eu lhe disse: Sou amalequita. Então ele me disse: Peço-te, arremessa-te sobre mim, e mata-me, porque angústias me têm cercado, pois toda a minha vida está ainda em mim. Arremessei-me, pois, sobre ele, e o matei, porque bem sabia eu que não viveria depois da sua queda, e tomei a coroa que tinha na cabeça, e o bracelete que trazia no braço, e os trouxe aqui a meu senhor. Então apanhou Davi as suas vestes, e as rasgou; assim fizeram todos os homens que estavam com ele. E prantearam, e choraram, e jejuaram até à tarde por Saul, e por Jônatas, seu filho, e pelo povo do Senhor, e pela casa de Israel, porque tinham caído à espada. Disse então Davi ao moço que lhe trouxera a nova: Donde és tu? E disse ele: Sou filho de um estrangeiro, amalequita. E Davi lhe disse: Como não temeste tu estender a mão para matares ao ungido do Senhor? Então chamou Davi a um dos moços, e disse: Chega, e lança-te sobre ele. E ele o feriu, e morreu. Pois Davi lhe dissera: O teu sangue seja sobre a tua cabeça, porque a tua própria boca testificou contra ti, dizendo: Eu matei o ungido do Senhor. (2 Samuel 1:1-16)
 
O exemplo de Aitofel. 
2Sm 17.23 Vendo, pois, Aitofel que se não tinha seguido o seu conselho, albardou o jumento e levantou-se, e foi para sua casa e para a sua cidade, e pôs em ordem a sua casa, e se enforcou: e morreu, e foi sepultado na sepultura de seu pai.
O orgulho e falta de humildade levaram Aitofel à morte por suicídio.

c) O exemplo de Zinri. 

1 Rs 16.18-19 E sucedeu que Zinri, vendo que a cidade era tomada, se foi ao paço da casa do rei, e queimou sobre si a casa do reie morreu, por causa dos seus pecados que cometera, fazendo o que era mal aos olhos do SENHOR, andando no caminho de Jeroboão e no seu pecado que fizera, fazendo pecar a Israel.
Causa do suicídio: medo de ser torturado até a morte e falta de confiança em DEUS e em seu perdão, pois seus pecados eram mui grandes.

d) O exemplo de Judas Iscariotes. 
At 1.16 Varões irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o ESPÍRITO SANTO predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a JESUS;17 porque foi contado conosco e alcançou sorte neste ministério. 18 Ora, este adquiriu um campo com o galardão da iniqüidade e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram.19 E foi notório a todos os que habitam em Jerusalém, de maneira que na sua própria língua esse campo se chama Aceldama, isto é, Campo de Sangue.20 Porque no Livro dos Salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação, e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu bispado. (Pecado separação de DEUS).
Lc 22.3 = Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze. (Presença de demônios em Judas)
Jo 13.2 E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse, (direcionado pelo Diabo).
 
2. O caso de Sansão. 
Jz 14.3 Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, nem entre todo o meu povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus, daqueles incircuncisos? E disse Sansão a seu pai: Tomai-me esta, porque ela agrada aos meus olhos.
MULHER DOS FILISTEUS… INCIRCUNCISOS? O Senhor abençoou a Sansão e o revestiu do poder do ESPÍRITO (13.24,25; 14.6,19; 15.14), mas ele cometeu erros fatais que o levaram ao fracasso espiritual e à morte física. Entre esses erros estão os seguintes: 
(1) Não se firmou na palavra de DEUS. Demonstrou falta de interesse e de respeito para com os mandamentos de DEUS, e desprezou totalmente a lei de DEUS quanto ao casamento misto (Êx 34.16; Dt 7.3; Gn 24.3,4; 26.34,35). 
(2) Não fez caso do ensino que seus pais lhe transmitiram da parte de DEUS, e abandonou os princípios bíblicos de vida, para fazer a sua própria vontade (13.5,8,14,24,25). 
(3) Diferente de Moisés, que escolheu sofrer adversidades com o povo de DEUS, ao invés de desfrutar dos prazeres passageiros do pecado (Hb 11.25), Sansão decidiu liberar suas emoções e atender seus desejos de maneira desagradável a DEUS (14.3; 16.1,4; ver 15.7). 
(4) Visando ao proveito e à vantagens pessoais, menosprezou os dons e o poder que DEUS lhe concedera.
Jz 16.30 E disse Sansão: Morra eu com os filisteus! E inclinou-se com força, e a casa caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela havia; e foram mais os mortos que matou na sua morte do que os que matara na sua vida.
Tido como herói da fé (Hb 11.32), Sansão sabia o que tinha feito contra DEUS e também sabia que para concertar o erro só haveria aquela oportunidade que lhe custaria sua vida, mas livraria o povo de DEUS das garras dos filisteus.
Sansão, sinceramente arrependido e com a fé renovada em DEUS, clamou ao Senhor, e a sua oração foi ouvida. Morreu orando.
Sansão morreu em Combate. Não pode ser considerado suicídio.

3. Sugestão de uma esposa sem fé. 
Jó 2.9 Então, sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a DEUS e morre.
AMALDIÇOA A DEUS E MORRE. Este conselho da esposa de Jó exprime o âmago da prova da fé de Jó. Por todo o livro, a profunda angústia de Jó causada pelo sofrimento aparentemente injusto da parte de DEUS tentava-o a renunciar a sua determinação de fidelidade a DEUS, e também deixar de confiar nEle como um DEUS compassivo e misericordioso (cf. 5.11).
2.10 E NÃO RECEBERÍAMOS O MAL? Os crentes verdadeiros devem se preparar tanto para serem provados por DEUS com a adversidade, como para receber o bem da sua mão. Confiarmos em DEUS não significa que Ele sempre nos livrará da aflição, nem a fidelidade a DEUS garante prosperidade e sucesso (ver 2.3 nota; 3 Jo 2 nota). Ao surgir a adversidade, o crente, cuja consciência não o acusa de pecado ou rebelião contra DEUS, deve confiar a sua alma às mãos de DEUS. A fé em DEUS, como nosso Senhor amorável, nas provações e opressões, expressa o seu maior triunfo (1 Pe 1.3-9).

4. O posicionamento cristão. 
Pediram para que DEUS lhes tirasse a vida – Moisés, Elias e Jonas, mas DEUS decidiu que ainda não era a hora deles. Seu propósito é soberano na vida de cada ser humano.
Moisés = Nm 11.15 Moisés esperava conduzir o povo como um exército triunfante à terra prometida. Ao invés disso, o povo agia como nenês espirituais, e Moisés reconheceu que seria demais para ele carregá-los. DEUS, então, tomou do ESPÍRITO que estava sobre Moisés e colocou-o sobre setenta anciãos para ajudá-lo na liderança espiritual do povo (vv. 16-17). 
Elias = 1 Rs 19.4 TOMA AGORA A MINHA VIDA. Elias tomado de cansaço, desânimo, tristeza, orou pedindo a DEUS que Ele o dispensasse do pesado ministério profético e o deixasse partir para o descanso celestial. 
(1) Os sentimentos de Elias não eram muito diferentes dos do (a) apóstolo Paulo, quando afirmou ter “desejo de partir e estar com CRISTO” (Fp 1.23), ou (b) dos heróis da fé, que “desejam uma [pátria] melhor, isto é, a celestial” (Hb 11.16; ver também Moisés, em Nm 11.15).
(2) Algumas das razões de estar Elias profundamente desanimado. (a) Aparente fracasso: ele esperava a conversão de todo o Israel, e possivelmente, até mesmo de Jezabel; mas agora, pelo contrário, tinha que fugir para salvar sua vida. A esperança, a labuta e o esforço da sua vida inteira findavam agora em fracasso, conforme parecia (vv. 1-4). (b) Solidão: julgava ser ele o único que batalhava pela verdade e justiça de DEUS (v. 10; cf. Paulo, 2 Tm 4.16). (c) Exaustão física depois de uma longa e árdua viagem (vv. 3,4; 18.46).
19.5 UM ANJO O TOCOU. DEUS cuidou do desalentado Elias de modo compassivo e amorável (Hb 4.14,15). 
(1) Permitiu que Elias dormisse (vv. 5,6). 
(2) Fortaleceu-o com alimentos (vv. 5-7). 
(3) Propiciou-lhe uma revelação inspiradora do seu poder e presença (vv. 11-13). 
(4) Concedeu-lhe nova revelação e orientação (vv. 15-18). (5) Deu-lhe um companheiro fiel e fraterno (vv. 16,19-21).
Noutras palavras, quando o filho de DEUS enfrenta o desânimo, no desempenho que DEUS lhe confiou, ele pode suplicar a DEUS, em nome de CRISTO, que lhe dê força, graça e coragem, e os capacite diante de tais situações (Hb 2.18; 3.6; 7.25).
Jonas = Jn 4.3 MELHOR ME É MORRER.
 Jonas ficou tão frustrado e emocionalmente perturbado, que preferiu morrer. De alguma forma, achava que DEUS se voltara contra ele e Israel, ao poupar os ninivitas.
 
As Sagradas Escrituras condenam o suicídio pelos seguintes motivos:
a) É assassinato de um ser feito à imagem de DEUS (Gn 1.27; Êx 20.13; Jo 10.10); Gn 1.27 
(1) Tanto o homem quanto a mulher foi uma criação especial de DEUS, não um produto da evolução (v. 27; Mt 19.4; Mc 10.6). 
(2) O homem e a mulher, igualmente, foram criados à imagem e semelhança de DEUS. À base dessa imagem, podiam comunicar-se com DEUS, ter comunhão com Ele e expressar de modo incomparável o seu amor, glória e santidade. Eles fariam isso conhecendo a DEUS e obedecendo-o (2.15-17). (a) Eles tinham semelhança moral com DEUS, pois não tinham pecado,
eram santos, tinham sabedoria, um coração amoroso e o poder de decisão para fazer o que era certo (Ef 4.24). Viviam em comunhão pessoal com DEUS, que abrangia obediência moral (2.16,17) e plena comunhão. Quando Adão e Eva pecaram, sua semelhança moral com DEUS foi desvirtuada (6.5). Na redenção, os crentes devem ser renovados segundo a semelhança moral
original (Ef 4.22-24; Cl 3.10). (b) Adão e Eva possuíam semelhança natural com DEUS. Foram criados como seres pessoais tendo espírito, mente, emoções, autoconsciência e livre arbítrio (2.19,20; 3.6,7; 9.6). (c) Em certo sentido, a constituição física do homem e da mulher retrata a imagem de DEUS, o que não ocorre no reino animal. DEUS pôs nos seres humanos a imagem pela
qual Ele apareceria visivelmente a eles (18.1,2,22) e a forma que seu Filho um dia viria a ter (Lc 1.35; Fp 2.7; Hb 10.5). (3) O fato de seres humanos terem sido feitos à imagem de DEUS não significa que são divinos. Foram criados segundo uma ordem inferior e dependentes de DEUS (Sl 8.5). (4) Toda a vida humana provém inicialmente de Adão e Eva (Gn 3.20; At 17.26; Rm 5.12).
Saber que existe o bem e o mal, saber discernir o que é certo e o que é errado vem exatamente de DEUS para todo o ser humano que nasce. (Consciência = Tribunal interno)
Êx 20.13 = NÃO MATARÁS. O sexto mandamento proíbe o homicídio deliberado, intencional, ilícito. DEUS ordena a pena de morte para a violação desse mandamento (ver Gn 9.6). O NT condena, não somente o homicídio mas também o ódio, que leva alguém a desejar a morte de outrem (1 Jo 3.15), bem como qualquer outra ação ou influência maléfica que cause a morte espiritual de alguém (ver Mt 5.22 nota; 18.6).
Jo 10.10 O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância.
 
b) Devemos amar a nós mesmos (Mt 22.39; Ef 5.29);
Mt 22.39 AMARÁS O TEU PRÓXIMO. Um filho de DEUS deve amar a todos, inclusive a si mesmo (Gl 6.10; 1 Ts 3.12), e inclusive seus inimigos (5.44). Deve amar também de modo especial a todos os verdadeiros cristãos, nascidos de novo (ver Jo 13.34 nota; Gl 6.10; cf. 1 Ts 3.12; 1 Jo 3.11). (1) O amor do crente por seu irmão em CRISTO, por seu próximo e por seu inimigo, deve ser subordinado, controlado e dirigido pelo seu amor e devoção a DEUS. (2) O amor a DEUS é o primeiro e grande mandamento (vv. 37,38). Por isso, a santidade de DEUS, seu desejo de pureza, sua vontade e seu padrão revelados nas Escrituras nunca devem ser prejudicados por nossa falta de amor para com todos.
Ef 5.29 Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
 
c) É falta de confiança em DEUS, visto que Ele pode nos ajudar (Rm 8.38,39);
Rm 8.39 O AMOR DE DEUS… EM CRISTO JESUS NOSSO SENHOR. Se alguém fracassar na sua vida espiritual, não será por falta da graça e amor divinos (vv. 31-34), nem por causa de poderes do mal ou adversidades demais (vv. 35-39), mas porque tal pessoa foi negligente na sua comunhão com CRISTO. Somente “em CRISTO JESUS” é que o amor de DEUS foi manifestado e somente nEle o desfrutamos. Somente à medida em que permanecemos em CRISTO JESUS como “nosso Senhor” é que poderemos ter a certeza de que nunca seremos separados do amor de DEUS.
Jo 15.6 = 15.6 SERÁ LANÇADO FORA, COMO A VARA. A alegoria da videira e das varas deixa
plenamente claro que CRISTO não admitia que “uma vez na videira, sempre na videira”. Pelo
contrário, JESUS nessa alegoria faz aos seus discípulos uma advertência séria, porém amorosa,
mostrando que é possível um verdadeiro crente abandonar a fé, deixar JESUS, não permanecer mais nEle e por fim ser lançado no fogo eterno do inferno (v. 6). 
(1) Temos aqui o princípio fundamental que rege o relacionamento salvífico entre CRISTO e o crente, a saber: que nunca é um relacionamento estático, baseado exclusivamente numa decisão ou experiência passada. Trata-se, pelo contrário, de um relacionamento progressivo, à medida que CRISTO habita no crente
e comunica-lhe sua vida divina (ver 17.3 ; Cl 3.4; 1 Jo 5.11-13). 
(2) Três verdades importantes são ensinadas nesta passagem. 
(a) A responsabilidade de permanecer em CRISTO recai sobre o discípulo (ver v. 4 nota). É esta a nossa maneira de corresponder ao dom da vida e ao poder divinos concedidos no momento da conversão. 
(b) Permanecer em CRISTO resulta em JESUS continuar a habitar em nós (v. 4a); frutificação do discípulo (v. 5); sucesso na oração (v. 7); plenitude de alegria (v. 11). 
(c) As conseqüências do crente deixar de permanecer em CRISTO são a ausência de fruto (vv. 4,5), a separação de CRISTO e a perdição (vv. 2a,6).
 
d) Devemos lançar as nossas ansiedades sobre o Senhor, e não na morte (1 Jo 1.7; 1 Pe 5.7).
1 Jo 1.7 ANDARMOS NA LUZ. Isso significa crer na verdade de DEUS, conforme revelada na sua Palavra e esforçar-se sincera e continuamente por sua graça, para cumpri-la por palavras e obras. “O sangue de JESUS CRISTO, seu filho, nos purifica de todo pecado”, refere-se à obra contínua da santificação dentro do crente, e à purificação contínua, pelo sangue de CRISTO, dos nossos
pecados involuntários. É provável que aqui João não esteja pensando nos pecados deliberados contra DEUS, já que está falando em andar na luz. Essa purificação contínua propicia a nossa íntima comunhão com DEUS.

1 Pe 5.7 5.7 ELE TEM CUIDADO DE VÓS. O cuidado que DEUS tem com os problemas de cada um dos seus filhos é uma verdade enfatizada através da sua Palavra (ver Sl 27.10; 37.5; 40.17; 55.22; Mt 6.25-30; 10.29-31; 11.30; Fp 4.6). Todos os nossos temores, cuidados e preocupações devem ser prontamente lançados sobre o Senhor (cf. Sl 55.22; Lc 12.11,12).
Muitos não conseguem ajuda de DEUS porque não confiam nEle para resolvê-los;. Entrega a Ele o seu caminho porque Ele tem cuidado de nós. Diga: JESUS, o meu problema é este….Estou lançando sobre o Senhor para que o Senhor possa resolvê-lo para mim, pois não consegui resolvê-lo só. Agora descanse meu irmão(ã).
Sl 37.5 Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará.
 
CONCLUSÃO
Ninguém em sã consciência e sendo Cristão pode apoiar a eutanásia ou o suicídio, pois o poder de dar e tomar a vida pertence a DEUS e a qualquer momento ELE pode intervir e transformar uma vida.
 
QUESTIONÁRIO:
Complete:
Tg 5.14,15,16      14 Está doente algum de vós? Chame                                    da igreja, e estes orem sobre ele, ungido-o com óleo em nome do Senhor; 15 e a oração da fé                                o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. 16 Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes                              . A súplica de um justo pode muito na sua atuação.
 
Encontramos suicídios na Bíblia? Cite alguns personagens que se suicidaram:
R=                                      ,                                    ,                                       ,                                              .
 
Quais famosos servos de DEUS lhe pediram para tirar suas vidas?
R=                                               ,                                          e                                                  .
 
A Bíblia condena o suicídio por quais motivos?
R= a)                                                                                                                      
     b)                                                                                                                     
     c)                                                                                                                     
     d)                                                                                                                    
 
Que significa o suicídio?
R. Matar a si mesmo.
O que há de comum nas pessoas que cometeram suicídio, de acordo com a Bíblia?
Todas elas foram pessoas que deixaram de lado a voz do Senhor, e desobedeceram à sua Palavra.
Por quais motivos a Bíblia condena o suicídio?
R. É um assassinato de um ser feito à imagem de DEUS; devemos amar a nós mesmos; é falta de confiança em DEUS; devemos lançar nossas ansiedades sobre o Senhor.

Estudos Afins:

 
O Cristão e a Eutanásia, o Suicídio – Livro ètica Cristã Alternativas e questões contemporâneas – Autor Norman L. Geisler – Sociedade Religiosa Edições Vida Nova (nÃO NOSSA OPNIÃO INTEGRAL)

UMA ÉTICA DO SUICÍDIO 
Segundo alguns filósofos existencialistas contemporâneos, o suicídio é o maior problema filosófico. A vida é absurda, uma bolha vazia no mar do nada, e é uma questão séria quanto à sua continuação ou não. Cebes perguntou a Sócrates por que, se a morte era tão bem-aventurada, o homem não poderia ser seu benfeitor.
O materialista romano, Lucrécio, argumentava que a morte era nada, e, seguindo ele, alguns concluíram que o suicídio é uma opção viável para a levar a efeito a felicidade desta condição de nada.
Outros filósofos notáveis, tais como Schopenhauer soaram notas pessimistas, que mais do que flertam com o suicídio.
E a julgar pelo número crescente de suicídios e tentativas de suicídios pelos homens contemporâneos, o suicídio é uma opção viva para um número considerável de pessoas.
Naturalmente, a questão ética não é aquilo que os homens estão fazendo, mas, sim, o que devem estar fazendo. Daí, a pergunta aqui não é porque os homens se suicidam, mas se devem fazê-lo, e quando.
A. O Suicídio para Si Mesmo 
Há duas razões dominantes para o suicídio, ou tirar a própria vida: pode ser feito para si mesmo, ou pode ser feito em prol dos outros. O primeiro será chamado suicídio egoísta. Em qualquer ocasião, é moralmente certo tirar a própria vida nos seus próprios interesses? Ou, ainda mais basicamente, tirar a própria vida é, em qualquer tempo, realmente do interesse da pessoa?
l. O Suicídio para Si Mesmo Não Pode Ser Justificado Filosoficamente — A despeito da tentativa fútil dos estóicos de justificar o suicídio, e a despeito da propensidade pessimista de Schopenhauer a ele, faltam ao suicídio, sadios fundamentos filosóficos. Talvez a melhor evidência para esta conclusão venha dos filósofos existencialistas contemporâneos que consideram que a questão do suicídio é a mais básica — e cuja filosofia lhes dá mais razão para cometê-lo. Entre aqueles existencialistas ateus há uma forte rejeição do suicídio. O suicídio, diz Sartre, é errado porque é um ato de liberdade que destrói todos os atos futuros de liberdade. É uma afirmação do ser mediante a qual a pessoa finalmente nega seu ser. Ou, nas palavras corriqueiras, o suicídio é um ato do vivente que destrói a sua vida. Definir o suicídio desta maneira ressalta precisamente quão irracional o ato realmente é. É um ato arrazoado que destruiria o raciocínio da pessoa. Como tal, o suicídio é uma ação absurda do raciocínio, porque é a “razão” que se destrói a si mesma ao afirmar a si mesma. Na realidade, não há nenhuma razão verdadeira para o suicídio. É um ato anti-racional ao qual falta uma verdadeira base lógica .
2. O Suicídio para Si Mesmo Não Pode Ser Justificado Eticamente — A imoralidade do suicídio pode ser vista pela análise do seu alegado motivo. Segundo aqueles que têm sido tentados pelo suicídio, e/ou os que o tentaram, o suicídio tem para eles mesmos, parecido ser a melhor saída da sua situação. Quão paradoxal, porém, é que alguém conclua para si que a melhor coisa que pode fazer para si mesmo é destruir a si mesmo. Como pode a melhor coisa para si mesmo ser o ato final contra si mesmo? Decerto é um uso perverso do raciocínio que destruiria o raciocínio. Pode alguém, em qualquer circunstância, estar agindo nos seus próprios interesses, quando seu plano é destruir a si mesmo? O suicídio não é o interesse-próprio. Não pode ser! É uma falta de interesse apropriado em si mesmo. A única maneira de alguém demonstrar interesse em si mesmo é preservar a si mesmo. O suicídio é exatamente o oposto. É realmente o ódio a si mesmo. E o ódio-próprio é irracional, absurdo. É, pois, uma afirmação do próprio-eu numa tentativa de renegar-se; é a escolha que elimina todas as escolhas. Com base nesta análise da irracionalidade do suicídio, pode ser deduzido que ninguém nunca determina realmente o suicídio, embora alguns o desejem. Ou seja: quando um homem se suicida, fá-lo contra sua vontade básica para viver. O suicídio é baseado no desejo do homem de ser aliviado do tipo (miserável) de existência que tem, a despeito de fato de que tenha vontade da existência propriamente dita. Conforme disse Agostinho, o suicídio é um fracasso da coragem. É contrário ao ímpeto básico para a existência; o suicídio é um desejo da não-existência. É o “escapismo” existencial. Expressado de modo breve, o suicídio não é um problema filosófico de modo algum; é um problema moral e/ou psicológico. Ou seja: os homens não tentam o suicídio porque é a coisa mais razoável para fazer, mas sim, porque é a saída “fácil” do seu problema. E quando alguém pensa que a saída mais fácil da sua situação é atacar-se a si mesmo fatalmente, ao invés de atacar o problema, neste caso tem um problema moral, senão um problema psicológico. Em resumo: não há maneira de suicidar-se para si mesmo, visto que o suicídio é o ato mais básico contra si mesmo, que pode ser cometido. Logo, o suicídio pelo alegado motivo moral de interesse-próprio é excluído. O suicídio egoísta, como outras formas do egoísmo, não visa realmente aos melhores interesses da pessoa. O verdadeiro amor-próprio nunca desejará  eliminar o próprio-eu que ama.
Mesmo assim, alguém talvez argumente que o suicídio, como a eutanásia, possa ser justificado se a pessoa chegou a uma etapa sub-humana ou “vegetativa” da existência. Por que não atirar em si mesmo para evitar a continuação da sua própria desumanidade? Se é moralmente certo ser o benfeitor da misericórdia para outro “vegetal” humano, então por que não para si mesmo? A razão é bem simples: ninguém capaz de fazer um raciocínio que o leve à conclusão de que deve terminar sua vida, perdeu a sua humanidade. Pode ter perdido sua saúde mental (ou parte dela), mas ainda é humano. E se ainda é suficientemente humano para raciocinar (embora erroneamente) que a melhor coisa que pode fazer em prol da sua vida é terminá-la, logo, ainda não é sub-humano. Segue-se daí que, porque, não é sub-humano, não há justificativa para praticar a eutanásia em si mesmo, porque a eutanásia é justificada somente quando mais vidas humanas podem ser salvas por ela. A eutanásia de si mesmo é uma contradição em termos, porque o ato final contra si mesmo não pode, ao mesmo tempo, ser um ato em prol de si mesmo. No que diz respeito às Escrituras, o suicídio se classifica na proibição do assassinato. NÃO MATARÁS. É pelo menos tão errado tirar ilicitamente sua própria vida quanto o de tirar a vida doutra pessoa. A pessoa deve amar-se a si mesma bem como amar aos outros, conforme está subentendido no mandamento de amar aos outros como a si mesmo (Mt 22: 39; cf. Ef 5:29). E se amar a outra pessoa subentende que não se deve assassiná-la, amar a si mesmo decerto subentende a mesma coisa no que diz respeito ao suicídio. O suicídio é errado porque é o assassinato de um ser humano feito à imagem e semelhança de DEUS, ainda que este indivíduo seja a própria pessoa.
B. O Suicídio em Prol dos Outros
Visto que o suicídio egoísta é errado, falta perguntar se o suicídio sacrificial é certo nalgum caso. Ou seja: é certo, nalgum caso, tirar sua própria vida por amor à conservação de outras vidas? A resposta dependerá de se é, realmente, feito para salvar outras vidas. 
l. Nem Todo Assim-Chamado Suicídio “Sacrificial” É Justificável — Há casos em que sacrificar sua vida em prol doutros homens não é realmente moralmente certo. Paulo deu a entender que seria possível entregar seu próprio corpo para ser queimado e ainda lhe faltar o amor verdadeiro (l Co 13:3). Noutras palavras, nem toda morte “pelos outros” é, realmente, em prol dos outros. Pode ser uma tentativa para atrair a atenção a si mesmo, ou gratificar alguma outra necessidade egoísta. O suicídio pode ser um teste de sinceridade da pessoa, mas a sinceridade não é prova alguma da moralidade. Os homens podem odiar sinceramente, bem como amar sinceramente. Os homens podem fazer sinceramente aquilo que desejam fazer, ao invés daquilo que devem fazer. Que futilidade quando um homem prova sua sinceridade pela sua própria causa egoísta mediante o suicídio! Pode ser admirável sacrificar sua vida por uma causa, mas não é necessariamente moral. Se, pois, a causa da pessoa é vã, seu sacrifício também é vão, quer seja o sacrifício supremo, quer não. Além disto, sacrificar sua vida deliberadamente por um animal, ou por objetos não pessoais (riquezas ou o que for), não é moralmente certo. As pessoas são mais valiosas do que as coisas. As pessoas são de valor intrínseco; as coisas têm valor instrumental para pessoas. O homem é um fim, mas animais e coisas são meios para fins humanos. Logo, o suicídio sacrificial em prol de um objeto não-humano seria errado, porque sacrifica o valor superior (uma vida humana), em prol da vida inferior (uma vida sub-humana). (Exemplo: Um incêndio e alguém entra no fogo para salvar um cão – é anti-ético e um suicídio sem nenhum valor espiritual – ao contrário – é pecado)
2. Determinado tipo de Suicídio Sacrificial É Justificável — Nem todo o suicídio é errado. Conforme nota a Bíblia, alguns até mesmo ousam morrer por bons homens (Rm 5:7). A história, especialmente a história militar, contém muitos exemplos de homens dispostos a morrer pelos outros. A história da morte de Sansão parece ser uma de um suicídio divinamente aprovado, embora possa ser avalaido como uma oportunidade de destruir os inimigos de DEUS e ainda havia a possibilidade de DEUS o livrar da morte  (Jz 16:30). Há outras intimações no Novo Testamento de um suicídio sacrificial (cf. Rm 5:7). Paulo indicou sua disposição de sacrificar sua vida por seus irmãos judeus, mas seu desejo maior era estar com CRISTO o mais breve possível (Fp 1:23). No entanto, a prova real de que o suicídio sacrificial está moralmente certo é a morte de CRISTO que veio “. . . dar a sua vida em resgate por muitos” (Mc 10:45). JESUS disse: “Eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou” (Jo 10:18). Decerto este é o exemplo supremo do sacrifício supremo. Foi em vista disto que João escreveu: “Nisto conhecemos o amor, em que CRISTO deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (l Jo 3:16). Realmente, é à luz da cruz de CRISTO que a forma mais alta do amor é revelada. “Ninguém tem maior amor do que este,” disse JESUS, “de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos” (Jo 15:13). Este tipo de “suicídio” sacrificial não somente não é imoral; é o ato moral mais alto possível. Vai além das exigências da lei moral, que exige que a pessoa ame seu próximo apenas como a si mesmo. O “suicídio” sacrificial verdadeiro é mais do que isso; é amar aos outros mais do que a si mesmo. Não há amor maior. Talvez alguns objetem ao uso da palavra “suicídio” nesta conexão. Podem argumentar que o sacrifício da sua vida em prol doutras pessoas não é suicídio. O soldado que cai por cima de uma granada para salvar seus companheiros não está se suicidando, pode ser argumentado. É verdade. Há uma diferença entre o suicídio egoísta e aquilo que chamamos de suicídio sacrificial, e somente este último é moralmente justificável. Se a pessoa quer usar a palavra “suicídio” ou não, a respeito de tal sacrifício, é questão da escolha de palavras. Seja qual for o nome que se lhe dá, é um ato de iniciativa própria de salvar outras vidas por meio de sacrificar sua própria. É deixar sua própria vida, de modo intencional porém justificável. Tendo em vista este fato, parece apropriado chamá-lo de “suicídio sacrificial.” (Observação do Pr. Henrique – Lembrando que JESUS deu sua vida para tornar a tomá-la).
Livro ètica Cristã Alternativas e questões contemporâneas – Autor Norman L. Geisler – Sociedade Religiosa Edições Vida Nova
 
 
Suicídio
A ressurreição de JESUS CRISTO é prova da vitória dEle sobre a morte. Agora, esta não tem qualquer domínio sobre os filhos de DEUS (1Cor. 15:_54, 55; 2Tim. 1:10). A luz de CRISTO dissipou as trevas e por isso, para o verdadeiro cristão, o suicídio está definitivamente vencido ! Glória a DEUS ! ( Joel Pereira ) http://www.pastoronline.com.br/asp/estudos/Estudos.Asp?ID=87 
 
Qual a posição cristã sobre o suicídio?
De fato, DEUS nos dá motivo para viver, com Ele, em confiança e alegria. Saibamos testemunhar esta verdade para nós próprios e para aqueles que precisam de nosso conselho.
SUBSÍDIOS DA LIÇÃO 5 – CPAD
SUBSÍDIO DIDÁTICO TOP1
Pesquise notícias em revistas ou jornais sobre pessoas famosas que suicidaram-se. Leve esses recortes para a sala de aula. Após introduzir o primeiro tópico, apresente as reportagens. Mas antes, elabore algumas perguntas – tais como: O que faz uma pessoa famosa tirar a própria vida? Por que pessoas que aparentemente não têm falta de nada tiram a própria vida? – para serem feitas após a apresentação da reportagem. Dirija essas perguntas à classe e aguarde as respostas. Conclua a atividade mostrando que as circunstâncias do cotidiano da vida muitas vezes mascara o que realmente as pessoas estão vivendo. Encerre lendo o trecho bíblico que diz: “Pois que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Ou que daria o homem pelo resgate da sua alma?” (Mc 8.36,37).
 
CONHEÇA MAIS TOP1
*Lançando a ansiedade sobre CRISTO – “A Bíblia manda lançar todas as ansiedades sobre o Senhor e não na morte (1 Jo 1.71 Pe 5.7). A Palavra de DEUS nos incentiva a exercitar a fé, colocando sobre DEUS os nossos cuidados, ansiedades e sofrimentos. Diz a Palavra: ‘Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si…’ (Is 53.4a – ênfase minha). CRISTO levou nossas dores sobre si. Isso nos dá o conforto e a segurança de que, pela fé, nossas dores foram lançadas sobre Ele.” Para conhecer mais leia “Ética Cristã: Confrontando as Questões Morais do Nosso Tempo”, CPAD, p.145.
 
SUBSÍDIO TEOLÓGICO TOP2
“O suicídio de Abimeleque. A história de Abimeleque, que viveu nos inícios do século XIII a.C., ilustra muito bem a natureza ilusória, egoísta e perversa do suicídio. Filho bastardo de Gideão, insurge-se logo após a morte do pai. Já em Ofra, com a ajuda de uns homens levianos e maus, mata traiçoeiramente seus irmãos (Jz 9.5). O único a escapar foi Jotão que, para denunciar o cruel assassino, profere um lindíssimo apólogo. Em seguida, Abimeleque sai a arrebanhar os israelitas, a fim de fazer-se rei daquelas terras. Não demorou muito e, agora, erguia-se como um dos maiores vilões das crônicas hebreias.
Apesar de alguns sucessos iniciais, seus empreendimentos começam a malograr. Pouco a pouco, vai perdendo o apoio do povo que, alertado pela fábula de Jotão, revolta-se e expõe-lhe a tirania. Assim, vê-se obrigado a travar algumas batalhas desgastantes e renhidas que, dia a dia, vão desprotegendo-o. Ao sitiar a cidade de Tebes, que ficava na região de Manassés, ‘certa mulher lançou uma pedra superior de moinho sobre a cabeça de Abimeleque e lhe quebrou o crânio’ (Jz 9.53). Gravemente ferido, mas ainda orgulhoso e soberbo, ordena ao escudeiro: ‘Desembainha a tua espada e mata-me, para que não se diga de mim: Mulher o matou’. O seu companheiro de guerra não lhe questiona a ordem, nem levanta questão ética alguma. Antes, ‘o moço o atravessou, e ele morreu’ (Jz 9.54). Com sua morte, a nação de Israel é novamente pacificada.
Na conclusão da história, somos obrigados a perguntar: Por que Abimeleque requereu a eutanásia [ou suicídio]? O motivo ele mesmo o declara: ‘Para que não se diga: Mulher o matou’. Ele não procurou fugir à dor, mas escapar à vergonha. Não matara ele tanto homens? Por que morrer, agora, às mãos de uma mulher? Portanto, a morte ser-lhe-ia boa e até suave não por que o livraria da dor, mas por que o libertaria da ignomínia. Parte dos que defendem a eutanásia não temem propriamente os desconfortos e as aflições de uma morte lenta e excruciante; o que mais os assusta é depender dos que, até então, deles dependiam” (ANDRADE, Claudionor de. As Novas Fronteiras da Ética Cristã. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, pp.114,15).
 
SUBSÍDIO DIDÁTICO TOP3
Professor(a), exponha o aspecto teológico e ético das implicações do suicídio deixando claro que não é a vontade do Pai que tal mal suceda à pessoa e sua família. Como Igreja de DEUS, somos convocados a militar pela vida. Levar esperança às pessoas angustiadas é a missão do seguidor de JESUS. Deixe claro que vivemos num mundo onde as pessoas estão cada vez mais vazias: só CRISTO pode preencher esse vazio. Proclamemos a salvação de JESUS CRISTO.
 
 
AJUDA BIBLIOGRÁFICA
AS GRANDES DEFESAS DO CRISTIANISMO – CPAD – Jéfferson Magno Costa
BÍBLIA ILUMINA EM CD – BÍBLIA de Estudo NVI EM CD – BÍBLIA Thompson EM CD.
Bíblia de estudo – Aplicação Pessoal.
CPAD – http://www.cpad.com.br/ – Bíblias, CD’S, DVD’S, Livros e Revistas. BEP – Bíblia de Estudos Pentecostal.
CHAMPLIN, R.N. O Novo e o Antigo Testamento Interpretado versículo por Versículo. 
Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearman – Editora Vida
Comentário Bíblico Beacon, v.5 – CPAD.
Comentário Bíblico TT W. W. Wiersbe
Comentário Bíblico Expositivo – Novo Testamento – Volume I – Warren W. Wiersbe
CRISTOLOGIA – A doutrina de JESUS CRISTO – Esequias Soares – CPAD
Ética Cristã – Norman Geisler – Sociedade Religiosa Edições Vida Nova – Caixa Postal 21266, São Paulo-SP 04602-970
Ética – Pr. Humberto Schimitt Vieira – MANUAL DE ETICA MINISTERIAL – Cantares – Gravadora e Editora – www.gravadoracantares.com.br
ÉTICA E O MELHOR NEGOCIO – Por John Maxwell
Ética ministerial – Jânio Santos de Oliveira – Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de DEUS Taquara – Duque de Caxias- Rio de Janeiro – janio-construcaocivil.blogspot.com
Dicionário Bíblico Wycliffe – CPAD
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
http://www.gospelbook.netwww.ebdweb.com.brhttp://www.escoladominical.nethttp://www.portalebd.org.br/, Bíblia The Word.
O Novo Dicionário da Bíblia – J.D.DOUGLAS.
Peq.Enc.Bíb. – Orlando Boyer – CPAD
Revista Ensinador Cristão – CPAD.
Revista CPAD – Lições Bíblicas – 2002 – 3º Trimestre – Ética Cristã – Pr. Elinaldo Renovato de Lima
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
Teologia Sistemática Pentecostal – A Doutrina da Salvação – Antonio Gilberto – CPAD
Teologia Sistemática – Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – A Salvação – Myer Pearman – Editora Vida
Teologia Sistemática de Charles Finney
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE – http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

Publicado no site do Pr. Luiz Henrique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *