Esteja Alerta e Vigilante, Jesus Voltará – Ev. Juarez Alves

Esteja Alerta e Vigilante, Jesus Voltará – Ev. Juarez Alves

Texto base: Lc 17.24-30

Porque, como o relâmpago ilumina desde uma extremidade inferior do céu até à outra extremidade, assim será também o Filho do homem no seu dia.Mas primeiro convém que ele padeça muito, e seja reprovado por esta geração.E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem.Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos.

Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam;Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos.Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar.

I -A vinda do SENHOR será repentina.

Olhando para o texto sagrado em que o SENHOR revera assim como o relâmpago, “Porque, como o relâmpago ilumina desde uma extremidade inferior do céu até à outra extremidade,” podemos imaginar como será rápida e breve a sua vinda. Não significa que no dia da vinda irá chover, e sim como será rápido a ação  do arrebatamento da igreja. O SENHOR Jesus usa esta linguagem figurada mostrando a abrangência da luz proporcionada pelo relâmpago. Enquanto de um lado do globo esta em trevas por um momento ele todo se clarea com a sua luz. Outra característica do relâmpago é que ele não faz barulho, apenas a  luz é percebida. Observamos que o SENHOR Jesus, também usa em sua palavra para aquele dia, que assim como um ladrão, aquele dia acontecerá no silêncio, e não em meio ao alvoroço, pois somente os mortos ouviram o som das trombeta do anjo (1Ts 4.16,17) . Nós os vivos seremos transformados rápido como um abrir e fechar dos olhos. A vinda do nosso SENHOR  se aproxima, então o que fazer para subir naquele dia? Estar pronto, vigilante e sóbrio para poder alcançar a vitória na salvação que vem do nosso Deus.

Hoje em dia, vivemos em um mundo inquieto em todos os sentidos. A crise é geral. Sofre o homem comum, a situação política dos países é instável, as grandes economias perdem o vigor. Por que tudo isso? As Escrituras deixam bem claro que, quando a lei de Deus é desobedecida, o mundo perde a sua harmonia, desgoverna-se, começa a caminhar sem rumo. A anarquia de hoje é a consequência da rejeição a Deus.

Com esta rebelião contra Deus, a humanidade negou o valor da personalidade humana. A vida já não vale mais a pena, perdeu o seu significado. As pessoas crêem em um ser sobrenatural, mas agem como se fossem atéias! Pensamos como ateus! Vivemos e planejamos como se não existisse um Deus. Estamos vivendo num mundo que não reconhece Deus. Quando todos fazem tudo o que pensam e o que querem, não há possibilidade de ordem e paz. Haverá mais confusão e mais tumulto enquanto as pessoas seguirem os seus próprios esquemas perniciosos. (Mt 24.50). A humanidade perdeu a esperança os conflitos estão por toda a parte, mas a igreja tem o seu papel no mundo ser o sal e a luz para alcançar os que não tem mais esperança.

II –Como nos dias de Noé.

A Bíblia indica que, ao rejeitar Deus e Seus princípios para o governo da vida, o mundo está se dirigindo para uma situação de tensão, confusão e tumulto cada vez maior. Neste caus que vislumbra as portas das igrejas espalhadas pelo mundo, que se esperamos a volta eminente de Jesus Cristo.

Nos dias de Noé, não diferenciava dos nossos,  haviam muitas coisa semelhantes acontecendo que podem confirmar a fala de Jesus quanto aos sinais e os avisos da sua volta. Observamos que Jesus disse; como nos dias de Noé, ele se refere ao tempo de maior corrupção do gênero humanos após a criação. Diante do mundo corrompido por uma série  de violências e falta de amor ao próximo, criando um cenário caótico e desesperador.

Possivelmente o que acontecia nos dias de Nóe? Nós podemos imaginar uma sociedade caida, sem amor ao próximo, onde os assassinatos eram tão comuns como os que se veêm hoje no EI (Estado Islâmico). Seria a morte uns dos motivos desta corrupção generalizada que incomodou o próprio Deus (Gn 6.11).  As suas maldades ultrapassavam a morte, pois o gênero corrompido pelo pecado tende a piorar pela ausência de Deus.

Muitas famílias destrossadas pela morte dos seus entes queridos. Mas o que levava a morte de tantas pessoas?  A Biblia não se detem ao mostrar os pormenores do governo daqueles dias, “ e viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra” (Gn 6.12). Mas, deveria ser como nos dias dos juizes que faziam o que bem parecesse aos seu olhos (Jz 17.6). Um governo  corrupto gera um povo corrupto e desprovido de toda segurança. Fica claro que apesar de Noé ser o único justo encontrado por Deus no meio daqueles que morravam naquela região, acreditamos que muita coisa errada este homem presenciou. A mortandade é  um sinal que a sociedade não anda bem, temos visto isto em nossos dias, a morte se tornou um item jornalistico muitas vezes sem repercurção, o gênero humano esta corrompido pelo pecado.

“Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do Homem: Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e destruiu a todos” (Lucas 17:26-27). Jesus, ao falar da Sua Vinda, referiu-se aos dias do dilúvio, cujas condições eram semelhantes às que existiriam no tempo da Sua volta. Este ponto da Escritura põe abaixo a posição dos pós-milenialistas que crêem irá a Igreja primeiro converter o mundo e assim preparar o advento do Milênio. A apostasia caracterizava os dias de Noé.

Podemos esperar idênticas condições nos que precederam a volta do Senhor. Que tais condições estão presentes é fato que qualquer pessoa pode observar. Jesus chama a atenção ao fato que nos dias que precederam ao dilúvio o povo se entregava às orgias do “comer e beber”. Esta observação não se refere à necessidade do alimento para sustentar a vida, mas antes aos desregrados e licenciosos prazeres da mesa. O Senhor mencionou ainda que os antediluvianos “casavam e davam-se em casamento”.

Neste texto de Lucas, existem duas categorias de pessoas: os ímpios e os santos. Se olharmos para o contexto dos dias de Noé, veremos que os ímpios é que foram levados pelas águas do dilúvio (Gn 7.11-23) e Noé e sua família encontrou abrigo na arca. Porém, também é possível entender que Noé e sua família foram levados pela arca e os ímpios foram deixados para destruição. Se olharmos para o contexto de Mateus 24, veremos que o texto em questão está ligado ao versículo 31, que mostra que os escolhidos é que serão levados (reunidos) pelos anjos. O que fazer? Neste caso, recorrendo ao texto grego podemos obter grande auxílio. Apalavra usada nos versos 40 e 41 que é traduzida como ‘levado” é paralambano /, que significa tomar para si, ser levado junto com alguém (Strong´s Greek Lexicon), o que parece se encaixar melhor no verso 31 quando os anjos ajuntam os escolhidos para o Senhor. É importante observar também que o verso 39 aparece uma palavra diferente para “levou a todos”, que é airo / airo = levar embora, carregar, remover. Logo, podemos entender este texto da seguinte maneira: “Assim como Noé foi salvo na arca e os ímpios deixados para serem carregadospelas águas do dilúvio, na vinda do Senhor, uns serão levados pelos anjos e outros deixados para destruição”.

No entanto, este não é o ponto principal deste texto. Aqui Jesus fala primeiramente da necessidade de vigilância para não ser pego de surpresa. As pessoas da época de Noé estavam distantes de Deus, preocupadas com seus próprios interesses e buscando seu próprio prazer. Noé, porém, tinha comunhão com Deus e o ouvia, quando ele entrou na arca ninguém percebeu, veio o dilúvio e destruiu a todos. Podemos fazer a seguinte pergunta: O dilúvio pegou Noé despercebido? Não! Deus o preparou dando-lhe instruções precisas para sua sobrevivência (Gn 6.12-22) e mandou que entrasse na arca no momento adequado (Gn 7.1-16). Assim também será conosco. Se vigiarmos, andarmos na luz e tivermos intensa comunhão com Deus, este dia não nos pegará de surpresa (1Ts 5.1-5), estaremos preparados e observando os sinais com oração.

É importante destacar também que Noé não sabia nem o dia nem a hora que viria o dilúvio, do mesmo modo que o Senhor disse a nosso respeito (v44), porém, mesmo sem saber o dia exato,ele não foi pego de surpresa, quando o Senhor mandou entrar já estava tudo preparado. Desta forma o crente em Cristo Jesus deve estar atento e preparado por que aquele dia virá como o ladrão a noite quando ninguém estiver esperando.

Jesus disse que “como foi nos dias de Noé”, podemos entender que ocorreriam coisas semelhantes em nossos dias, Os males da poligamia estavam, aparentemente, difundidos naqueles dias (Gên. 4:19). Embora Noé, pregador da justiça, advertisse o povo da aproximação do Dilúvio,sua advertência não foi ouvida (II Pd 2.5). Igualmente Enoque, outro profeta da época, avisou os seus contemporâneos do vindouro juízo. Pouca atenção também lhe deram à admoestação. Aqueles foram dias de notáveis realizações. Naquele tempo podemos supor a construção das pirâmides. A Grande Pirâmide é um monumento cujos construtores, evidentemente, possuíam conhecimentos de astronomia que só em época recente foram redescobertos. O próprio Noé construiu uma embarcação que rivaliza, em tamanho com os modernos navios.

Eram de consternar as condições morais dos dias de Noé. É assaz lamentável termos de admitir que se comparam às do nosso tempo. “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra, e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração” (Gên. 6.5). “A terra estava corrompida á vista de Deus, e cheia de violência” (Gên 6.11). Eis as condições que prevaleciam nos dias de Noé, e qualquer observador imparcial terão de admitir que exibam marca da semelhança às condições morais do mundo hoje. Jesus disse que seria assim ao tempo da Sua vinda. Devemos pois, ser observados os sinais reais  da próxima reaparição do Filho do Homem.

Conclusão

Podemos esperar mais algum sinal da vinda do SENHOR Jesus? Não bastasse o esfriamento do cristianismo que ocorre mundo afora, a multiplicação de Igrejas “modernas”, a degeneração das leis, guerras, terremotos, crises, etc. Muitos são as evidências que algo maior irá acontecer. Devemos estar atentos, os grandes acontecimentos proféticos relatados nos textos bíblicos, a maioria deles foram negligenciado pelos povos que os vivenciaram. Estejamos alerta.

 

Dirigente da Igreja Assembléia de Deus Ministério Belém Nova Dourados

Dourados = Ms

Evang. Juarez Alves.

Publicado no Blog do Ev. Isaías de Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *