Caim Era do Maligno – Sulamita Macêdo

Caim Era do Maligno – Sulamita Macêdo

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!.

6 – Agora, iniciem o estudo da lição:

– Apresentem o título da lição: Caim era do maligno.

– Coloquem no quadro ou cartolina uma figura de um olho em tamanho grande.

– Depois, escrevam a expressão: Sai, Olho Gordo!

– Perguntem: Esta figura nos remete a que?

Aguardem as respostas. Espera-se que os alunos falem acerca da inveja e que a expressão significa pessoa que tem inveja do outro.

– Depois, distribuam entre os alunos os seguintes ditados populares:

“A inveja é a irmã gêmea do ódio”.

“O invejoso emagrece de ver a gordura alheia”.

“A inveja mata”.

“A tua inveja é a minha felicidade”.

“A mais famosa face da inveja é a maledicência”.

“A inveja é como um sapo, tem olhos grandes e vive sempre na lama”.

– Analisem conjuntamente estes ditados populares, procurando formular uma definição sobre inveja.

Observem atentamente o que os alunos falam e em seguida, se necessário, apresentem o significado do dicionário.

“Sentimento de cobiça à vista da felicidade, da superioridade de outrem: ter inveja de alguém. Tristeza ou desgosto pela prosperidade ou fortuna alheia. Desejo excessivo de possuir exclusivamente o bem de outrem” (Dicionário Web).

– Lembrem-se de que ao trabalhar o conteúdo da lição, vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

– Leiam e reflitam sobre o texto “Onde está seu irmão?”

– Para concluir, utilizem a dinâmica “O amor – a marca do discípulo”.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Importante!!!

Para a conclusão do trimestre, sugiro que façam uma Mostra Cultural.

Quer saber como fazer?

Leiam o texto pedagógico “Mostra Cultural na EBD”, que vocês encontram no marcador “Texto pedagógico” deste blog.

Dinâmica: O Amor – a  marca do discípulo

Objetivo: Refletir sobre o amor – a marca do discípulo de Jesus.

Material:

01 coração pequeno para cada aluno

 Procedimento:

– Falem: “Conta-se que certo homem estava participando de um concurso do Coração Mais Bonito. Seu coração era lindo, sem nenhuma ruga, sem qualquer estrago. Até que apareceu um homem idoso e apresentou seu coração, afirmando que era o mais bonito, pois nele havia marcas. Vários tipos de comentários surgiram e perguntaram: “Como seu coração é o mais bonito, com tantas marcas?” O homem idoso então explicou que era por isso mesmo que seu coração era lindo. Aquelas marcas representavam sua vivência, sua experiência, suas atitudes em amar as pessoas. Finalmente, todos concordaram que o coração mais lindo era aquele com marcas de amor em ação”(autoria desconhecida).

– Falem: Fomos alcançados pelo amor de Deus.

Leiam João 3.16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

– Agora distribuam um coração pequeno para cada aluno, representando o amor pelo qual fomos alcançados.

– Também afirmem que é pelo amor que somos reconhecidos como discípulos de Jesus.

Leiam João 13.34 e 35:

“Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”.

– Agora, reflitam com os alunos, olhando para o coração que temos nas mãos:

Que marcas deste amor podemos compartilhar com os outros?

Nós, como integrantes da Igreja, o que estamos fazendo para que as pessoas sejam alcançadas pelo amor de Deus?

Estamos praticando na verdade o amor, cotidianamente, nas ações com o próximo?

– Peçam para que os alunos troquem os corações entre si, promovendo um momento de congratulação, de “troca de amor”, representando as verdadeiras ações amorosas que devem existir entre as pessoas.

Por Sulamita Macedo.

Texto de Reflexão

Onde está seu irmão?

A pergunta é séria. Deus poderia ter perguntado: “Caim, por que você matou seu irmão?” Todavia, o que interessa aqui não são os sentimentos de Caim e sim o convívio com seu irmão.

O que impressiona é que os dois prestavam culto a Deus – e o resultado disto acabou sendo a motivação para Caim cometer o crime. Eles se mostraram religiosos. Certamente viviam para em paz, em harmonia. Mas,  resultou em crime. E não é só isso: Caim até reconhece o seu erro. Ele declara: “Meu castigo é maior do que posso suportar…. serei um fugitivo errante pelo mundo”(Gn 4.13 a 14). Mas ele não se arrepende.

Chega a ser assustador que a religiosidade, que deveria ser o terreno do amor e da compreensão na sociedade, é chão de desavenças, intrigas, inimizades e guerras. Por que existem tantas retaliações entre os que se consideram cristãos?

No caso de Caim, a causa estava no seu coração. E o próprio Senhor Jesus confirma isto ao afirmar: “Do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades, os roubos, os homicídios, os adultérios, as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez. Todos estes males vêm de dentro e tornam o homem impuro”(Mc 7.21 a 23).

Membros de igrejas vivem se hostilizando e acham que estão prestando um serviço a Deus. Enquanto isso, pergunta: “Onde está seu irmão?” É hora de dar atenção ao apelo de Isaías 55.7: “Que o ímpio abandone o seu caminho e o homem mau os meus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele”.

Fonte: Pão Diário.

Publicado no blog Atitude de Aprendiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *