As Consequências das Escolhas Precipitadas – Eliseu Antonio Gomes

As Consequências das Escolhas Precipitadas – Eliseu Antonio Gomes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

As consequências das escolhas precipitadas

EBD - Revista Lições Bíblicas Adultos - 4º quarto trimestre de 2016 - CPAD - O Deus de toda provisão, Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio as crises. Comentarista: Elienai Cabral. Lição-5: As-consequências das escolhas precipitadas.
Por Eliseu Antonio Gomes
O livre-arbítrio é um presente de Deus ao ser humano, pois este foi criado de maneira autônoma, de modo que Deus jamais permitiria que vivesse sem autonomia. Embora dotado de livre-arbítrio, um dom de Deus, o ser humano fez e continua a praticar o mau uso daquilo que deveria ser para a glóriia de Deus.

1. É necessário ter cuidado com as decisões.
Você pede a orientação de Deus antes de fazer suas escolhas? Então terá facilidades em conduzir sua vida.

Muito das nossas decisões tem a ver com a questão da vontade, a nossa vontade e o confronto com a vontade de Deus. Todos queremos fazer a vontade de Deus, mas sabemos que fazer a vontade de Deus, quase sem exceção, envolve mudanças, riscos, ajustes, decepções, sucessos e às vezes fracassos.

Não sejamos apressados em nossas decisões, precipitar-se produz crises econômicas, prejuízos irreparáveis em nossa vida espiritual, erros de difícil reparação.

2. Abraão, Ló e as planícies do Jordão 

O caminho que Abraão teria que percorrer não era sem as dificuldades próprias que surgem na caminhada, mas seria uma viagem sob a égide de Deus, e o patriarca não teria o que temer, porque Deus cuidaria dele e tudo o quanto possuía.

Deus disse a Abraão que deixasse sua parentela e fosse para Canaã. Entretanto, Abraão se deixou dominar pelo sentimentalismo familiar e permitiu que seus parentes interfirissem na caminhada traçada por Deus para a “Terra Prometida”. O patriarca levou consigo o seu sobrinho Ló.

Logo, fez-se necessário a separação de Abraão e Ló, para assegurar as bênçãos materiais e espirituais prometidas por Deus a Abraão. Os rebanhos de Abraão e seu sobrinho cresceram bastante. Com isso, compartilhar pasto e água passou a gerar conflitos familiares. Assim, Deus convida Abraão a peregrinar por toda a terra e declara: “toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente, para sempre” (Gênesis 13.14-18).

3. É preciso entender que Ló foi atraído por aquilo que viu.

Ló, sobrinho de Abraão é um exemplo de prosperidade e perdas, é um modelo bíblico das consequências de atitudes baseadas na falta de paciência. Ao se separar de seu tio, escolheu ir para Sodoma, uma direção que a seus olhos parecia ser o melhor destino, sem consultar a vontade do Senhor, sem honrar Abraão, o chefe do clã.

A grande falha de Ló foi amar as vantagens pessoais, mais do que abominar a iniquidade de Sodoma. Ele teve pressa em decidir o caminho que queria seguir porque foi seduzido pelo seu olhar. Viu somente a campina bem regada de Sodoma, mas Deus enxergava com toda nitidez os habitantes daquela cidade como “grandes pecadores” que eram (Gênesis 13.10; 1 Samuel 16.7). Talvez tenha raciocinado que as vantagens materiais, a cultura e os prazeres de Sodoma compensariam os perigos, e que ele possuía estruturas espirituais suficientes para permanecer fiel a Deus. Com isso em mente, juntamente com sua família, ficaram expostos à imoralidade e à impiedade de Sodoma. Só após o castigo do Altíssimo, ele aprendeu  a amarga lição de que sua família não era forte o suficiente para resistir às influências malignas daquela sociedade.

A tradição localiza Sodoma no limite sul do Mar Morto. A devastação e esterilidade fornecem um depoimento do julgamento pelo “fogo e enxofre”, que este local sofreu. Indícios geológicos nessa região de formação de sal, asfalto, enxofre e petróleo confirmam o registro bíblico. A parte oeste da região está está dentro das fronteiras da moderna Israel. A cidade de Sidom funciona como um resort de saúde e um campo de repouso. Uma montanha peculiar, quase exclusivamente de puro sal identifica Sodoma, e os guias locais referem-se a ela como a “mulher de Ló”.

Conclusão

Ló ao deixar de aborrecer o mal, trouxe morte e tragédia a sua própria família. Devemos aprender com as Escrituras que qualquer decisão importante que tomamos, não devemos fazê-la debaixo de pressão ou precipitamente, pois é um grande mal que precisa ser evitado.

O crente não pode agir sem pensar, e acima de tudo sem oração, pois Deus conhece todas as coisas. Ele sabe aquilo que é melhor. Quando nos precipitamos não raciocinamos bem, não damos lugar ao bom senso, deixamos de andar por fé, andamos guiados pela vista. Quem tem a mente de Cristo, deve sempre manter os pés no chão, pedir orientação e aguardar o calor dos acontecimentos passarem.

Os pais de família devem tomar cuidado para não se embaraçarem como se embaraçou à família de Ló. Evitar que a pressa e a cobiça das coisas desse mundo tragam prejuízos ao seu lar, que faça sua esposa, ou esposo, e seus filhos padecerem. Existem diversas “Sodomas” nos tempos atuais, capazes de arruinarem espiritualmente o lar cristão.

E.A.G.

Compilações:
Lições Bíblicas – O Deus de toda Provisão, Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises, Elienai Cabral, 4º trimestre de 2016, páginas 35-40, Rio de Janeiro (CPAD).
Ensinador Cristão, ano 17, nº 68, outubro – dezembro de 2016, página 38, Rio de Janeiro (CPAD).
O Deus de Toda Provisão – Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises, Elienai Cabral, 1ª edição 2016, páginaS 52-54, Rio de Janeiro (CPAD).

Publicado no blog Belverede

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *