Aprovados por Deus em Cristo Jesus – Sulamita Macêdo

Aprovados por Deus em Cristo Jesus – Sulamita Macêdo

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!.

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:

– Apresentem o título da lição:

– Em seguida, trabalhem o conteúdo da lição.  Lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Que tipo de vaso és?

Objetivo: Refletir sobre vasos de honra e desonra.

Material:

02 vasos de barro do mesmo tamanho e forma

02 tipos de sementes

Versículos digitados sobre as obras da carne e o fruto do Espírito.

Procedimento:

– Apresentem para os alunos os 02 vasos.

– Falem: Eles são iguais, no tamanho, na forma e no material.

– Perguntem: Mas, o que pode diferenciar estes dois vasos?

– Passem os dois vasos para os alunos observarem qual o conteúdo deles.

Os alunos vão encontrar sementes.

– Falem: O apóstolo Paulo menciona vasos de honra e desonra, numa analogia ao tipo de atitude dos crentes e dos mestres.

– Depois, leiam II Tm 2.20 e 21:

“Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra.

De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra”.

– Falem: Se o vaso representa a vida de uma pessoa, qual o resultado da germinação destas sementes?

– Pequem um vaso, afastem as sementes e aparecerá um pequeno papel contento os versículos de Gl 5. 19 a 21. Leiam os versículos:

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”.

– Pequem o outro vaso, afastem as sementes e aparecerá um pequeno papel contento os versículos de Gl 5. 22. Leia o versículo:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”.

– Observaram a diferença entre um vaso de honra e de desonra. O vaso de sua vida está cheio de qual tipo de sementes?

– Para finalizar, leiam: “Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra”(I Ts 4.4).

Por Sulamita Macedo.

Texto Pedagógico

Aula Extraclasse na Escola Bíblica Dominical

É uma atividade pedagógica de natureza prática, que acontece fora da sala de aula, daí o nome Extraclasse ou Aula de Campo, que se desenvolve geralmente no formato de pequenas viagens.

É uma metodologia de trabalho educativo que traz eficácia ao processo ensino aprendizagem, tendo em vista proporcionar aos estudantes a oportunidade de vivenciar na prática os assuntos abordados nas aulas.

Observamos que Jesus, o Mestre dos mestres, ensinava de diversas formas e em vários lugares, para transmitir as verdades do Reino de Deus. Vejam estes exemplos:

Na sinagoga: “Percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles….” Mt 9.35

No templo: “E pela manhã cedo, voltou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele e assentando-se, os ensinava”. jo 8.2

À beira mar: “E outra vez começou a ensinar junto ao mar e ajuntou-se a ele grande multidão; de sorte que ele entrou e assentou-se num barco, sobre o mar e toda a multidão estava em terra junto ao mar”.  Mc 4.1

Lagos: “E aconteceu que apertando-o a multidão para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré… E entrando ele em um dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão”. Lc 5.1 e 3

Nas cidades e aldeias: “E aconteceu, depois disso, que andava de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do Reino de Deus…” Lc 8.1

Nas casas: “E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa. E tinha esta uma irmã, chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra”. Lc 10. 38 e 39

À beira de um poço: “E ali estava a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se junto da fonte… Veio uma mulher samaritana tirar água. Jesus disse: Dá-me de beber. …Se tu conheceras o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias e ele te daria água viva” Jo 4. 6, 7 e 10

Nos montes: “Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte e assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos; e, abrindo a boca, os ensinava…” Mt 5. 1 e 2

Nos desertos: “E regressando os apóstolos, contaram-lhe tudo o que tinha feito. E, tomando-os consigo, retirou-se para um lugar deserto de uma cidade chamada Betsaida. E sabendo-o a multidão, o seguiu; e ele os recebeu, e falava-lhes do Reino de Deus”. Lc 9.10

No caminho: “E tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu… era de pequena estatura… correndo subiu numa figueira… E Jesus chegou ao lugar, olhando para cima, viu-o e disse: Zaqueu, desce depressa porque hoje me convém pousar em tua casa.” Lc 19. 1 ao 5.

Os exemplos deixados por Jesus, nos versículos pontuados acima, demonstram que para ensinar e aprender não é necessário tão somente estar entre 04 paredes. Dessa forma, podemos seguir o exemplo do Mestre, oportunizando aos alunos da EBD aulas diferenciadas, dentre elas a aula extraclasse.

O professor é o articulador das ações do projeto de aula de campo, orientando as pesquisas sobre o tema antes da atividade extraclasse, as observações que deverão ser descobertas no ambiente externo, o registro das informações e impressões dos alunos, levando-os a construir seu próprio conhecimento, contrapondo assim ao ensino tradicional de transmissão do conhecimento pelo professor e recepção passiva dos alunos.

A aula extraclasse pode abranger várias situações, vejam algumas delas:

– Realizar entrevista: para fazer documentários e relatos históricos sobre a igreja ou outros temas.

– Visitar bibliotecas: para realizar pesquisas ou conhecer um acervo importante sobre um tema.

– Templos: para conhecer outras formas de organização.

– Monumentos: para conhecer, por exemplo, o monumento à Bíblia ou até mesmo de outras religiões.

– Visitar Museu: para vivenciar produções e descobertas Histórico- culturais de um

povo.

– Visitar zoológico, parque ecológico: para trabalhar temas sobre a criação, preservação animal e ambiental.

As finalidades para a realização da aula extraclasse, nos exemplos apontados acima, são variados e dependem dos temas estudados no trimestre ou até mesmo por necessidade e curiosidade da turma em observar e vivenciar práticas específicas.

O conteúdo abordado nas aulas da EBD pode ou não favorecer a utilização da aula de campo, mas qualquer aula pode ser realizada em lugares diferentes com fins pedagógicos e evangelísticos, como numa praça, num parque etc. Estas aulas podem abranger todas as faixas etárias, com atividades especificas para crianças, adolescentes, jovens, adultos, terceira idade, obedecendo a um planejamento e cronograma.

Ainda vocês podem organizar um momento para assistir a um filme, alusivo ao tema de uma aula ou do trimestre, em um ambiente adequado nas dependências da igreja ou na casa de uma pessoa do grupo ou em outros lugares apropriados. Alguns cinemas possuem projeto para receber grupos de escolas e instituições, com preços mais baixos e no pacote estão inclusos pipoca e refrigerante. É interessante observar a grade de programação para escolher um filme adequado de acordo com a faixa etária e o tema.

Quando se tratar de uma aula em outra instituição, é importante haver:

– Combinado prévio com o grupo sobre a data e local.

– Agendamento com antecedência com a instituição. Às vezes é necessário levar ofício.

– Autorização por escrito dos pais para a participação do seu filho na atividade: elaborem uma autorização padronizada.

– Meio de transporte para o traslado: ônibus fretado ou da linha, trem…

– Lanche e água: combinar se cada um levará o seu ou os professores organizarão para todos.

– Acompanhantes: outros professores e alguns pais ou responsáveis devem acompanhar; nunca vá sozinho com os alunos.

– Recursos financeiros: para o traslado e lanche.

– Registro da aula com fotografias e filmagem.

– Lista dos participantes: antes de sair fazer uma chamada, contar quantas pessoas presentes e riscar os ausentes. Depois, que entrar no ônibus, contar novamente. Para retornar da mesma forma.

Após a realização da aula extraclasse é importante ter uma conversa com os alunos sobre o que foi vivenciado, buscando extrair o tema pesquisado e as descobertas. A forma de obter o resultado da aula pode variar de acordo com a classe, é muito comum pedir um relatório, mas outras possibilidades existem como a conversa, já citada, produção em grupo de um cartaz, publicação nas redes sociais das impressões dos alunos sobre o que vivenciaram etc. É interessante ainda ressaltar que nesse momento pode-se fazer uma avaliação da aula, indicando pontos positivos e negativos.

Tenho certeza que vale a pena a realização de uma aula extraclasse, pois além de ser um ato pedagógico, também será um momento descontraído para a turma, tendo em vista ser uma atividade prazerosa, agradável e interativa, somando-se ao fato de ser diferente da prática rotineira das aulas expositivas.

 

Por Sulamita Macedo.

Publicado no Blog Atitude de Aprendiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *