Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério – Sulamita Macêdo

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais,deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!.

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:

– Apresentem o título da lição: Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério.

– Em seguida, trabalhem o conteúdo da lição.  Lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

– Depois, utilizem a dinâmica “Vida Frutífera”.

– Para concluir, leiam o texto “Plantando boas sementes”.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Vida Frutífera

Objetivo:

Refletir sobre o cuidado que devemos ter com nossa vida espiritual e moral.

Alertar sobre a apostasia e a infidelidade a Deus.

Material:

½ folha de papel ofício para cada aluno

Procedimento:

– Distribuam a metade da folha de papel ofício para cada aluno.

– Orientem para que eles desenhem uma semente (do lado esquerdo) e uma árvore com raízes a mostra( do lado direito).

– Agora, solicitem que eles façam o seguinte:

Ao lado das raízes, o aluno deverá escrever em que ou em quem está alicerçado.

Está firmado em Deus ou sua fé está cambaleante com poucas raízes? Continua firme ou qualquer vento mais forte quer derrubá-la? É bom ter cuidado com a apostasia e com os falsos mestres.

No solo, deverá escrever qual o tipo de solo em que a semente e a árvore estão plantadas. Também como este solo tem sido tratado para que sua vida espiritual frutifique.

Na copa da árvore, deverá desenhar frutos. Que tipo de frutos tem o aluno colhido na sua árvore espiritual. Como tem se apresentado em todas as estações de sua vida?

– Para concluir, falem: Temos plantando boas sementes em solos bem preparados, receptivos a Palavra de Deus? Não façamos como o povo de Israel, com o solo do coração endurecido, rejeitou Deus, com apostasia, infidelidade a Deus.

Por Sulamita Macedo.

Texto de Reflexão 

Plantando Boas Sementes

“Como principiante no jardim, logo aprendi que um terreno não cultivado era impróprio para a plantação de sementes e para o crescimento. Mas quando plantei boas sementes numa terra bem preparada, o sol e a chuva fizeram a sua parte, até que veio a colheita.

Um terreno bem preparado, as sementes certas e a bênção de Deus são essenciais para a produção de frutos, não somente num jardim, mas também na vida cristã.

O profeta de Deus, Oseias, pregou este princípio ao povo de Israel. Eles haviam semeado sementes de maldade e confiavam nos seus próprios caminhos, em vez de confiar em Deus. Então eles comeram os frutos amargos de mentiras, especialmente a mentira de que a sua própria de que sua segurança e sucesso vinham da sua própria força militar(Oseias 10.13).

Oseias rogou a Israel para seguirem a Deus – deixaram o terreno endurecido dos seus corações e “buscar ao Senhor”. Se eles semeassem justiça, iriam colher a misericórdia do Senhor e Ele faria chover bênçãos sobre eles.

Está o solo do seu coração resistindo a Deus e à Sua Palavra, em vez de ser receptivo(a)? Está você confiando na sua própria maneira de viver em vez de confiar em Deus? Então é tempo de buscar o Senhor em sincero arrependimento, semear atos e atitudes certas na sua vida e crescer espiritualmente. Acima de tudo, dependa do poder de Deus e não do seu próprio para que sua vida seja frutífera. JonieYoder

Fonte: Nosso Pão Diário (13.05.2003).

Texto Pedagógico

Treinamento para Professores da EBD

Partindo do princípio de que a maioria dos professores da Escola Bíblica Dominical não possui formação pedagógica, é necessário que eles sejam treinados para que sejam capacitados para ensinar.

A igreja deve então organizar treinamento, fornecendo subsídios pedagógicos para que os professores se sintam confiantes para exercer tão nobre tarefa – ensinar na EBD. Chamar alguém para ensinar, sem prepará-lo antes, pode causar problemas, pois será difícil para o professor, para os alunos e até para o superintendente.

Treinar e prover apoio pedagógico e técnico é o mínimo que a Igreja deve fazer. Alguns pontos devem ser observados para que haja sucesso no treinamento dos professores da EBD:

            1 – Realizar reunião com os professores

Com o objetivo de sensibilizá-los para a necessidade do treinamento e estimulá-los a participar do curso, apresentando o formato do evento e outras informações pertinentes.

            2 – Fazer levantamento da formação e atuação dos professores

Pode ocorrer que entre os professores haja alguém com curso de Pedagogia ou outro que trabalhe com treinamento de líderes. Eles devem ser sondados se podem colaborar com o treinamento como professor formador.

A escolha dos demais professores formadores ficará a critério da organização do evento, de acordo com as necessidades e possibilidades.

            3 – Escolher o coordenador geral do treinamento e coordenadores por faixa etária

É bom que haja uma descentralização de funções do superintendente, escolhendo uma pessoa com qualidades positivas de liderança para coordenar o treinamento, como também apontar outros coordenadores para as demais faixas etárias, que deverão trabalhar com o mesmo objetivo, contextualizando as orientações de acordo com o tipo de revista, aluno ou tipo de classe.

Se o superintendente deseja e tem condições de tempo para organizar e coordenar o treinamento não há problema, mas sempre é bom a atuação de colaboradores.

            4 – Formatação do treinamento

1º. Momento: As aulas iniciais deverão acontecer com todos os professores juntos, para receber orientações gerais sobre a EBD, o ensino e traçar metas conjuntas.

2º. Momento: Os professores serão divididos por faixa etária para receber orientações específicas.

É interessante organizar o curso por módulo, cada módulo com um determinado tema e professor específico.

Realizar treinamento com os professores novatos sempre que formar um grupo. É interessante que eles sejam treinados antes de começar a ensinar.

            5 – Período de realização

Delimitar início e fim do treinamento, apresentando um cronograma de cada encontro e módulo; isto é importante para que os envolvidos se organizem para participar da capacitação.

            6 – Tema geral e sub-temas

Veja alguns temas: Liderança, Planejamento Estratégico para EBD, Planejamento de aula, Recursos visuais, Métodos e técnicas de ensino, como utilizar as tecnologias, características psicológicas das faixas etárias, avaliação da aprendizagem na EBD, estratégias de participação dos alunos na aula da EBD etc.

Lembre-se de que cada módulo abrangerá um determinado tema específico.

            7 – Local de realização e horário:

Há várias possibilidades para realização de treinamento: na própria igreja ou em outro local de fácil acesso, podendo acontecer aos sábados ou em outro dia da semana à noite. Mas, como há muitas pessoas que trabalham aos sábados e outros que não podem à noite, tenho uma sugestão: pela minha experiência há um horário bastante conveniente – o horário da EBD. Como assim? Isto mesmo!

Na EBD, enquanto há uns ensinando, há outros professores de “folga”. Então, os que estão livres participam do treinamento naquele domingo. Na próxima aula, faz o inverso: quem ensinou, participa do treinamento. Quem estava no treinamento, ensina. Sei que o resultado é melhor do que em outros horários. O professor formador deverá ter conhecimento de que ele repetirá 02 vezes a mesma aula.

É notório que há professores que só participam da EBD quando vão ensinar e se ausentam dos demais domingos. Esta é uma atitude que precisa ser corrigida. Então, estes professores precisam saber com antecedência do treinamento para poder participar, como também estar presente na Escola Dominical para ensinar.

            8 – Organizar material do treinamento

Há alguns materiais que devem ser organizados:

Pasta para cada aluno contendo caneta, bloco de anotações, apostilhas, folder com cronograma das aulas.

Material que o professor formador vai utilizar: data-show, apostilhas etc.

Lista de presença: é importante controlar a presença e falta dos alunos, que devem ter no mínimo 75% de frequência para receber o certificado.

Certificados: organizar modelo, imprimir.

            9 – Recursos financeiros

Julgo desnecessário que o professor pague inscrição.

Os gastos deverão ser financiados pela igreja, como a compra de material listado no item anterior e/ou outros que porventura haja necessidade.

            10 – Finalização do treinamento

Organizar um momento especial para entregar certificados, fazer uma avaliação do treinamento, oferecer um lanche etc.

Preparar professores para sua atuação na EBD é uma atitude sábia. Há docentes que possuem conhecimento bíblico, mas não conseguem transmitir as informações de forma didática, contextualizada e prazerosa, tornando a aula um fardo para quem apenas escuta… escuta… escuta…

Que tal pensar e agir sobre esta situação?

Sulamita Macedo.

Publicado no blog Atitude de Aprendiz

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.