Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério – Ev. Isaías de Jesus

Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério – Ev. Isaías de Jesus

TEXTO ÁUREO = Mas o Espirito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios.

VERDADE PRÁTICA = A apostasia e a infidelidade a Deus são características marcantes dos tempos do fim.

LEITURA BIBLICA = I TIMÓTEO 4.1,2,5-8,12,16

INTRODUÇÃO

Um líder precisa de algumas habilidades que o ajudarão e o capacitarão a guiar melhor o grupo que Deus lhe confiou. Uma dessas habilidades é o discernimento quanto ao que vem ou não de Deus. Embora saibamos por outros textos da Escritura que discernimento é um dom, Paulo ensina a Timóteo que discernimento também pode ser adquirido com as atitudes corretas. Um líder com discernimento pode salvar a vida de um povo. 

Em 1 Crônicas 12:32, vemos que homens da tribo de Issacar foram chamados porque eram conhecedores da época e sabiam o que fazer. Ao estudar esta lição, veja como estas duas posturas: conhecer a época e saber o que fazer são ingredientes fundamentais na aquisição de discernimento por parte de um jovem líder.

A dificuldade dos tempos de Timóteo = (l Tm 4:1-3)

Cada época tem seus desafios e dificuldades especiais com relação à proclamação e à prática da verdadeira e genuína mensagem do evangelho. Nesse trecho da carta, Paulo descreve a Timóteo as características do erro doutrinário que encontraria naquela época. Deixando de lado as particularidades, ou seja, as afirmações doutrinárias específicas, tais características servem para analisarmos quaisquer movimentos contrários à Palavra de Deus que venham assolar a igreja ainda nos dias de hoje. Vamos ver quais são essas características.

  1. Origem. As falsas doutrinas são inspiradas por demônios, ou seja, têm ingredientes mentirosos misturados a práticas externas que parecem boas e proveitosas para a vida do homem. Apesar de homens que se engajam nesses movimentos ou crenças serem cegos para a verdade, não são inocentes ou inofensivos e tampouco inspirados por nada. Por causa de seu estado que é descrito no verso 2, engolem e espalham as doutrinas mentirosas produzidas pelo inimigo de Deus na mente dos homens.

A palavra para consciência cauterizada (kaustëriazõ) significa queimado com ferro quente, ou seja, sua consciência se tornou insensível e incapaz de perceber a mentira em que estavam se metendo. Paulo já tinha escrito sobre essa verdade em outras cartas. Por exemplo, em Colossenses 2:8, adverte a igreja que não dê ouvidos a doutrinas que queiram escravizá-la aos sistemas mundanos. Só Cristo pode dar a liberdade de uma nova vida aos crentes. Em Efésios 6: 12, o apóstolo alerta que nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados e potestades deste mundo tenebroso.

O que Paulo está sugerindo não é que conheçamos as doutrinas demoníacas, mas sim que saibamos que o que vem contra o evangelho são armas do inimigo para manter os homens afastados de Deus.

Você conhece alguém enredado por alguma falsa doutrina nos dias de hoje? Você tem se lembrado dessa pessoa em oração? Faça uma agenda com nomes de pessoas nessa situação e ore por elas.

  1. Método. Se você ler outras exortações de Paulo a respeito de heresias que assolavam a Igreja de seu tempo, vai perceber que todas elas, ao abordar as pessoas, começavam por criticar práticas exteriores ou sugeriam mudanças nos rituais e práticas de culto. Nesse caso, em particular, temos o que podemos chamar de sementes do Gnosticismo, movimento herético que surgiu no século II d.C.

Veja o caso da Igreja de Colossos. Eles enfrentaram vários movimentos de uma só vez: filosofias vás (Cl 2:8); legalismo, coisas com aparência de sabedoria e religiosidade (Cl 2:20-23).

Na realidade, esse pré-gnosticismo que Timóteo estava enfrentando na igreja de Efeso também havia chegado até Colossos. Estamos chamando de pré-gnosticismo porque o que havia naquela época eram apenas as idéias do que futuramente seria chamado de movimento religioso do gnosticismo. O que eles pregavam? Charles Ryrie, na Bíblia Anotada (Editora Mundo Cristão, p. 1574 ou p. 1232 nova edição), dá-nos algumas características da heresia do gnosticismo.

  1. O conhecimento é superior à virtude (saber é melhor do que praticar).
  1. O sentido correto das Escrituras é o não- literal e só pode ser compreendido por uma minoria seleta.
  1. A presença do mal no mundo desmente o conceito de que Deus é o único Criador.
  1. A encarnação é um fenômeno inacreditável. Deus não pode unir-se ao corpo humano.
  1. Não há ressurreição do corpo.

É importante registrar que ao longo da história da igreja essas heresias reaparecem. Nenhuma delas ataca abertamente a fé cristã. Geralmente criticam fatos externos, mas que dizem respeito à doutrina perfeita do Deus verdadeiro.

Por exemplo: quando Paulo fala sobre o poder e a atuação ilimitados de Deus, na verdade, está se posicionando contra o que era pregado pelos gnósticos: que Deus não teria contato com a carne (pecaminosa, impura), e, portanto, o próprio homem deveria resolver esse problema.

Fique atento! Procure ter mente crítica quanto ao que ouve. Analise os vários ângulos de uma afirmação, proposta ou idéia. Observe o que há de positivo e de negativo no que está sendo dito. Busque a sabedoria do Senhor para compreender e discernir todo o conteúdo de uma mensagem.

  1. Objetivo. De todas as características das falsas doutrinas, essa é a mais fácil de notar. Todas elas querem enganar e destruir. Outros versos e exortações de Paulo sobre falsas doutrinas demonstram isso (1Co 3:18; Ef 5:6; Cl 2:4; 2Ts 2:3). O objetivo é enganar e impedir que as pessoas vivam a verdade de Deus; podendo levar ao desvio do caminho certo ou à apostasia.

Como o líder deve reagir neste tempo = ( I Tm 4:4-10)

Até aqui, estudamos como as falsas doutrinas podem atacar as pessoas. Vamos ver como devemos agir diante delas. Contrastando as afirmações das falsas doutrinas, Paulo diz que Deus é o Criador de tudo. O que o Senhor criou é bom; nada é recusável, se recebido com ações de graças. E pela Palavra e pela oração que as coisas são santificadas (v.4-5).

No verso 6, o apóstolo explica a seu jovem discípulo que o ensino da boa doutrina e da Palavra de Deus é a melhor arma para combater as mentiras do reino das trevas e, ao mesmo tempo, o caminho para praticar a piedade e a vontade de Deus. Nos últimos versículos desse capítulo, encontramos importantes dicas para o trabalho do líder cristão de ensinar a Palavra de Deus com o alvo de transformar os homens.

  1. Remédio adequado. Paulo instrui Timóteo (v.6) e faz referência ao que escreveu nos versos anteriores (v. 1-5). Ser bom ministro de Cristo é expor as verdades bíblicas, franca, clara e simplesmente.
  1. Alimentação individual. Fica claro que expor a Palavra é uma ação que está intimamente ligada à vida do líder. O tempo do verbo grego usado aqui implica uma constância na atitude de nutrir-se pessoalmente. A Bíblia deixa isso claro para nós (cf Ed 7: 10).

E qual é o conteúdo dessa nutrição? As verdades que Timóteo recebia da Palavra de Deus, através de envolvimento com ela, mas também com o ensino de Paulo. Para nós, hoje, a fonte é a mesma: a Bíblia e pessoas mais experientes na fé.

Veja como o movimento da boa doutrina é diferente. Vem de dentro para fora. O líder cristão plenamente alimentado da Palavra pode viver a piedade que reflete os valores da vida presente e futura abençoada por Deus. Isso é um contraste com as falsas doutrinas que começam seu movimento de fora para dentro.

A busca de purificação interior parte de ações externas, concretas, visíveis. Paulo exorta Timóteo ao exercício espiritual (superior, totalmente proveitoso, presente e futuramente) em contraste com a atividade física. Pode-se ver nas palavras do apóstolo uma crítica às práticas das falsas doutrinas, que buscavam purificação na autodisciplina e resignação. Nossas atitudes devem ser frutos de nossa nutrição pela Palavra de Deus.

Comprometa um tempo no seu dia-a-dia para ler a Bíblia. Crie o hábito de anotar o sermão de seu pastor e releia-o durante a semana. Observe se tem posto em prática o que tem aprendido. Lembre-se de que nutrir-se da Palavra leva naturalmente à prática da piedade. Uma verdadeira vida com Deus e Seus ensinos muda nossa vida e não apenas enche nossa cabeça.

  1. Motivação correta. O apóstolo encerra esse trecho levando o jovem líder a pensar que a decisão de viver pela Palavra tem um ingrediente fundamental: colocar a esperança no Senhor, que é vivo, atuante e Salvador (vemos mais uma vez o contraste estabelecido com os espíritos enganadores, mentirosos).

Rejeitando as fabulas profanas. Ao expor a razão do surgimento das falsas doutrinas e mostrar quem está por trás delas, Paulo revela o seu efeito sobre aqueles que nelas crêem. Além destas verdades, também veremos neste tópico, o método para descobrir se uma doutrina é falsa.

Mostrando que elas são ensino de demônios – A Bíblia nos mostra que aigreja está vivendo os seus últimos dias de existência na terra, e que por esta razão, as hostes satânicas investirão pesado contra ela. O objetivo e articulação desse ataque já nos foram revelados: “… nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (v.1).

Como atalaias do Reino de Deus, precisamos estar atentos a todo movimento estranho que aparece no meio da igreja. A finalidade não é arrancar o “joio” (Mt 13.24-42), e sim, alertarmos aos filhos do reino quanto à procedência de seus ensinamentos.

Mostrando que elas cauterizam a consciência – Ao se referir à “…hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência” (v.2); é como se Paulo estivesse relembrando a experiência que passou em Éfeso (At 19.1;22-41), cidade onde Timóteo pastoreava. Tais palavras revelam o intento de Satanás: ludibriar os servos de Deus com ensinamentos sortilégios.

Aqueles que vivem indo atrás de supostos proclamadores de uma nova verdade, acabam se tornando escravos de tais ideologias. Como servos de Deus, devemos revelar essas heresias e alertar ao povo quanto ao perigo de se crer nelas ( 2 Pe 2.1-3).

Mostrando que elas contradizem a Palavra de Deus – A Bíblianos mostra que o casamento é uma instituição divina, na qual um homem e uma mulher se unem para constituir uma família (Gn 1.27-28; 2.18-24), mas a aberração que estava havendo em Éfeso, é que alguns estavam “proibindo” o casamento (v.2,3).

Por ser opcional (1Co 7.8,9), a questão não estava no casamento em si, mas no“proibi-lo”; pois isto se constituía em uma contradição à Palavra de Deus. E como se sabe, por mais “inofensiva” que pareça (v. 3 -5), a contradição às Escrituras Sagradas jamais será tolerada por Aquele que a inspirou – Deus (Dt 4.1,2; Pv 30.5,6).

REVESTINDO-SE DA SÃ DOUTRINA

Devido à complexidade do que é proposto neste tópico, estudaremos sobre o processo do revestimento da sã doutrina, ressaltando a sua real finalidade. Para tanto, destacaremos as doutrinas bíblicas apontadas no texto, às quais devemos guardar:

Firmando-se na verdade – Como não há revestimento da sã doutrina,com falsos ensinos imperando; Paulo então declara: “Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas…” (7 a). Essas fábulas eram lendas mitológicas que alguns judeus acrescentavam ao Antigo Testamento (Tt 1.14).

Por não suportarem a sã doutrina, há “crentes” que têm dificuldades de largar suas superstições e crer em um Evangelho desprovido de misticismo. A conseqüência disso, é que muitos se desviarão da verdade e se apegarão às fábulas (2Tm 4.3,4). Por esta razão, se você deseja revestir-se da sã doutrina, procure firmar-se na verdade.

Firmando-se na piedade “… Exercita-te a ti mesmo em piedade.Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa…” (7b, 8a). A palavra piedade aqui, não significa pena ou compaixão, e sim, respeito pelo sagrado e espírito de devoção. Isso é o que Paulo esperava de Timóteo concernente ao cuidado da Doutrina.Ao exercitar-se em piedade, o crente jamais se abalará com as zombarias e desrespeito à Palavra de Deus (Sl 119.51) . Tal procedimento não só comprova o seu revestimento com a sã doutrina, como também o livra da ira de Deus (2Cr 36.16).

Firmando-se nas promessas – A fé inabalável do Apóstolo Paulo era caracterizada por sua esperança nas promessas de Deus. Esta fé não só o revestia contra os ensinamentos infiéis e dignos de rejeição, como também o impulsionava a trabalhar na obra de Deus (8b-10). Por estar ciente desse efeito, ele instrui o jovem Timóteo a proceder da mesma forma.Aqueles que não se encontram firmados nas promessas de Deus, vivem titubeando na fé, enquanto que outros já a abandonaram. Para evitar essa tragédia espiritual, revista-se da sã doutrina e siga as instruções de Paulo:

A DILIGENCIA NO MINISTÉRIO

PRATICANDO A SÃ DOUTRINA. Devido ao seu efeito irradiante, a prática da sã doutrina tanto beneficia aquele que a exercita, quanto aos que estão à sua volta (v.15,16). Em virtude disso, para que não definheis em seu ministério, desenvolva com esmero, o que recebestes da parte de Deus.

Sendo exemplo dos fiéis – O cristão que assume a posição de líder espiritual, não deve negligenciar em seu testemunho. Por esta razão, Paulo mostra a Timóteo que a sua forma de relacionar-se com as pessoas, assim como a sua fé e pureza, deveriam servir de exemplo para os fiéis (v 12); esses são os que Deus nos confiou, para que sejamos modelos (1Pe 5.2,3 ARA).

Jamais devemos nos desviar desse foco, pois se o mundo nos observa, esta é uma ótima forma para apregoarmos a sã doutrina, por meio do nosso testemunho. Agindo assim, até o nosso adversário se envergonhará não tendo com quê nos acusar (Tt 2.7,8).

Sendo persistente no compromisso – Todo aquele que pertence ao seleto grupo de crentes, chamados servos de Cristo, assumiu o compromisso de confrontar os homens com a Palavra de Deus (Mt 28.19,20). Daí a razão da ordem:“Persisteem ler, exortar e ensinar…” (v.13). Essa foi a causa do reavivamento ocorrido por volta de 490 anos, antes da edição de 1ª Timóteo (Ne 8.1-18).

Paulo sabia que, somente pelo ensino da Palavra de Deus, é que os erros poderiam ser corrigidos. Assim sendo, aos que assumiram o compromisso de pôr em prática esta verdade, também devem se preparar, para não cometerem erros (Mt 22.29).

Sendo grato pelo dom recebido (v. 14,15) – Ser grato pelo dom recebido é não deixar de utilizá-lo para que o mesmo não adormeça, a ponto de apagar o Espírito de nossas vidas (1Ts 5.19 ARA). Esse é um cuidado que todo servo de Deus precisa ter, pois até mesmo Timóteo, no pleno desempenho do seu ministério, precisou ser alertado quanto a isto (v.14; 2Tm 1.6).

Por maior que sejam tuas atribuições, principalmente na igreja, jamais permita que elas te façam esquecer do dom que O Senhor te deu. Pois a maior prova de gratidão pelo presente recebido é quando o utilizamos, e isso corretamente (Rm 12.6-8).

CONCLUSÃO

A base bíblica desta lição começa ensinando sobre os apóstatas e suas ações, e termina registrando que nosso Deus é vivo e Salvador. Esse contraste evidencia os dois caminhos que o ser humano tem à sua frente: ser piedoso, alimentar-se com a boa doutrina ou apostatar, seguir espíritos enganadores. Entregar-se a Cristo e viver a vida que Ele nos proporciona, pelo Seu sacrifício na cruz, só é possível pela sã doutrina que não apenas apresenta o caminho para os que ainda não crêem, mas mostra aos que crêem como desenvolver a salvação que já receberam com temor e tremor (Fp2: l 2).

Elaboração pelo:- Evangelista Isaias Silva de Jesus

Igreja Evangélica Assembléia a de Deus Ministério Belém Em Dourados – MS

BIBLIOGRAFIA

missaoaupe.com.br

Guia do Professor = Desafios de Um Jovem Líder – Editora Cristã Evangélica

Publicado no Blog do Ev. Isaías de Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.