A Vinda de Jesus em Glória – Ev. Isaías de Jesus

A Vinda de Jesus em Glória – Ev. Isaías de Jesus

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A Vinda de Jesus em Glória

Texto Áureo = “Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; e todas as tribos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem, vindo sobre as nuvens [….]”(Mt 24.30).

Verdade Prática = A vinda de Jesus para implantar o Milênio porá fim a todas as forças do mal e dará início a um futuro glorioso na Terra.

Leitura Bíblica = Mateus 24: 29-30 = Apocalipse 19: 19,20 = 20:1-3

INTRODUÇÃO

Jesus voltará em glória no fim da Grande Tribulação. Já vimos como Jesus voltará sobre as nuvens para buscar e arrebatar para si a sua igreja. E dissemos que esta será a primeira fase de sua segunda vinda. Agora meditaremos sobre a segunda fase dessa vinda, quando Ele voltará em glória, visível aos olhos de todos os homens, para criar justiça na terra.

A. JESUS VOLTARA EM GLÓRIA JUNTAMENTE COM A SUA IGREJA GLORIFICADA.

Vimos anteriormente, como exércitos de milhões de homens se defrontarão no vale de Armagedom, e como Israel estará prestes a ser derrotado diante dos ataques do Anticristo a Jerusalém. Nesse momento ocorrerá um milagre: Nas nuvens do céu aparecerá um exército de muitos milhões, vestidos de branco e cavalgando cavalos brancos. À frente desse exército vindo do Céu estará um que é mais glorioso que todos: JESUS (Ap 19.11-16), O REI DOS REIS, O SENHOR DOS SENHORES.

Chegou o momento de Deus revelar ao mundo o bem-aventurado e único poderoso Senhor, 1Tm 6.15. Jesus voltará visível aos olhos de toda a humanidade, Ap 1.7. A Bíblia diz que Ele porá os pés sobre os montes das Oliveiras, e este monte, por meio de terremoto, se fenderá em dois (Zc 14.3,4) e todos verão a sobreexcelente glória do Senhor, 2Ts 1.7-10; Tt 2.13; Mt 16.27. Esse é o sinal do Filho do homem, Mt 24.30. A sua Igreja estará ao lado de Jesus, pois os salvos, ao lado do seu Senhor, participarão da vitória total de Jesus.

B. O QUE ACONTECERA AOS JUDEUS NA VINDA DE JESUS EM GLÓRIA.

No momento da volta triunfal de Jesus, os judeus estarão no auge de sua maior aflição. Mas quando Jesus se manifestar em glória, também o Espírito Santo de Deus estará presente, Zc 12.10.

O Espírito sempre glorificou a Jesus, Jo 16.14. Todo o povo de Israel, num só momento, reconhecerá Jesus como o Messias a quem aguardavam, mas que já viera e fora por eles rejeitado. No entanto, reconhecerão seus pecados e chorarão. Certamente com um enorme peso de consciência por terem feito aliança com o Anticristo. Mas o Espírito revelará aos judeus a fonte de purificação que se abriu, também para eles, Zc 13.1,2.

O Senhor os purificará por meio do sangue de Jesus, Ez 36.24-27; Jr 50.20. E assim se cumprirá a segunda parte da profecia de Ez 37, quando o espírito entrou nos corpos mortos, e estes se puseram em pé, um exército extremamente grande, Ez 37.10. O povo de Israel que já recuperou vida nacional, receberá então vida espiritual, pois serão salvos em sua própria terra, pois serão salvos num só dia, Is 66.7,8.

O Senhor fará com eles uma nova aliança, Hb 8.8-10; 10.16,17. Será o tempo de refrigério (At 3.19-21): todo o Israel creu e foi salvo, Rm 11.26,27; Is 4.3,4; Os 3.5. E os judeus dirão acerca de Jesus: “Bendito o que vem em nome do Senhor”, Mt 23.39; Lc 13.35.

C. JESUS VENCERÁ O ANTICRISTO E SEUS EXÉRCITOS

Quando o Anticristo vir Jesus e o exército celestial, todos montados em cavalos brancos, vindo ao seu encontro, ele se encherá de ódio e furor e convocará os seus exércitos para combater contra Jesus, Ap 19.19. Jesus vai aceitar esse desafio, Ap 17.14. Então se cumprirá a primeira profecia da Bíblia acerca dos acontecimentos dos últimos dias, pois Enoque, o sétimo depois de Adão, viu Jesus chegando com milhares de santos para fazer justiça e castigar os ímpios, Jd 14,15.

Chegou o momento em que o império universal do Anticristo será esmiuçado pela PEDRA cortada sem mãos, Dn 2.44,45. E essa pedra é Jesus, At 4.12. Este será o dia da vitória do Messias sobre aqueles que se levantaram contra Ele, 51 2.1-12.

O Senhor sairá contra o Anticristo como um fogo, e os seus carros como uma tempestade, Is 66. 15, 16. Ele segurará a sua espada e brandirá a sua foice, Ji 3.13; Ap 14.17,18. Ele vem para limpar a sua eira, Mq 4.12, 13; Mt 3.12; Sl 110.5,6.

A vinda de Jesus em glória é chamada “O Dia do Senhor”. E esse dia terá chegado, JL 1.15; 3.14; Am 5.20. Esse dia é terrível, Ml 4.5. Então seus adversários serão castigados, Is 26.21. Ele pisará o lagar de sua ira, Is 63.1-6. As forças da natureza se levantarão contra o Anticristo e seus aliados, Ez 38.20. E pela presença do Senhor, os exércitos deles perderão sua organização e ordem, e voltarão suas espadas uns contra os outros, Zc 14.13; Ez 38.21.

Gases venenosos farão apodrecer seus olhos nas órbitas, Zc 14.12. O sangue será tanto que alcançará a boca dos cavalos, Ap 14.20. Uma repentina destruição chegará sobre o mundo, pois diante de Jesus toda a resistência será inútil, 1Ts 5.3; 2 Ts 1.8.

  1. O Anticristo e o falso Profeta serão presos. Serão trazidos vivos à presença de Jesus. Ele os condenará sumária e imediatamente. E a sentença, a morte eterna, será logo executada. O inferno abrirá as suas portas, e esses dois homens, o Anticristo e o falso Profeta, que se fizeram instrumentos de Satanás, serão lançados no lago de fogo, que foi preparado para o Diabo e seus anjos, Ap 19.20; Mt 25.41.
  1. Satanás – o dragão – será também preso. Será um anjo que cumprirá a ordem divina de prisão. Ele trará na mão a chave do abismo (que Jesus tirou do próprio Diabo, Ap 1.18; 9.1) e uma cadeia, Ap 20.1,2. Então Satanás será preso e encarcerado no poço do abismo, e ali ficará por mil anos, Ap 20.3. Que grande vitória! O povo de Deus estará presente neste grande dia, cumprindo-se a profecia de Rm 16.20.
  1. O combate se encerrará no vale de Armagedom. O Sol da Justiça já raiou (Ml 4.1-3) e toda a humanidade reconhecerá que Jesus é o Senhor, Fl 2.11. Os pecadores clamarão: Montes, caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que está assentado sobre o trono, Ap 6.15-17. Então os abutres dos céus se ajuntarão para comer a carne dos reis e dos poderosos, Ap 19.17,18; Ez 39.17-20. Israel trabalhará para limpar a sua terra e sepultar os mortos, um trabalho que levará sete meses, Ez 39.12-16. Tomarão uma presa abundante (Ez 39.10), mas todas as armas serão destruídas, Is 2.4; Mq 4.3. Os sobreviventes da luta voltarão para suas terras sabendo que Deus OPEROU E PELEJOU POR SEU POVO DE ISRAEL.

D. O JULGAMENTO DAS NAÇÕES

Antes de Jesus assumir o seu principado e iniciar o seu governo milenar, Ele julgará as nações. Lemos a este respeito sob a forma de uma parábola profética, no sermão de Jesus em Mt 25.31-46. Esse julgamento não deve ser confundido com o juízo final diante do trono branco, que terá lugar após o Milênio, Ap 20.11-15. Acerca do julgamento das nações a Bíblia fala pouco. Vejamos

  1. O tempo desse julgamento. Jesus disse que será na sua vinda em glória (Mt 25.31), ou seja, a segunda fase da vinda de Jesus, 2 Ts 1.7-10. Depois que o exército do Anticristo for vencido, Jesus se assentará no seu trono de glória. Isso se dará no lugar que a Bíblia chama “vale de Jeosafá”, Jl 3.12,14. Jesus agora é rei, pois na parábola está escrito: “O rei lhes dirá”, Mt 25.34-40.
  1. Os que serão julgados diante desse tribunal. Está escrito que todas as nações estarão nele reunidas, Mt 24.32. Somente no julgamento final, diante do trono branco, os homens responderão, como indivíduos isolados, pelos peca- dos que cometeram, 1Co 4.5. Mas agora, no julgamento das nações, a humanidade será julgada de modo coletivo. Possivelmente virão à presença de Jesus as autoridades constituídas de cada nação.
  1. Os fatos que serão julgados nesse tribunal. No julgamento final, diante do trono branco, serão julgados os pecados que se acharem escritos nos livros, Ap 20.12. Porém, no julgamento das nações não se tratará de pecados individuais, mas do modo de tratar os menores irmãos de Jesus, Mt 25.40,45. Isto se refere, certamente, aos judeus, que são os irmãos de Jesus segundo a carne, Rm 8.5; Jo 1.11. Vimos, em estudos anteriores, como os judeus sofreram horrivelmente enquanto espalhados por toda a terra.

Foram perseguidos, maltratados e assassinados! A Bíblia diz que Deus sabe quem tratou mal o seu povo,. Ji 3.3,6,7; Ez 25.6,7; Sf 1.8-18; Ob 9.15. Deus sabe que a resistência aos judeus foi na verdade oposição a Ele próprio. 2Rs 18.22,32- 35; 19.22,23. Quando Abraão representava a nação israelita, Deus prometeu abençoar os que o abençoassem, e amaldiçoar os que o amaldiçoassem, Gn 12.3. Isso Deus nunca esqueceu. E essa promessa será levada à presença de Jesus, no tribunal que julgará as nações.

  1. A sentença desse tribunal. A Bíblia não revela com detalhes a sentença que essa corte de justiça dará. Parece que decretará bênção ou maldição sobre as nações.

Após a catástrofe de. Armagedom, e o caos generalizado sobre todo o mundo, quando mais de um terço da humanidade perecerá na guerra, é evidente uma reorganização total das nações e seus limites no mapa político da terra. Certamente as nações que tiverem tratado bem aos judeus terão posição de destaque entre as demais, enquanto a maldição estará sobre as que os tiverem maltratado. A Bíblia fala de remos que foram esmiuçados, Dn 2.44. É provável que o tribunal das nações promoverá ou confirmará essas mudanças e modificações pelas quais a humanidade passará.

  1. As sentenças de condenação de morte eterna ou de absolvição para gozo eterno, de que fala a parábola em Mt 25.46, sem falta terão o seu cumprimento. Cada nação pagará pelos seus feitos, e sofrerá as conseqüências de suas obras. Todavia, não se sabe se as sentenças de condenação eterna, que forem pronunciadas no tribunal das nações, serão executadas imediatamente ou só no julgamento final diante do trono branco, Ap 20.11-15. Sabemos que não haverá ninguém no Inferno, quando o Anticristo e o falso Profeta forem ali lançados, Ap 19.20.

Quando Satanás for também lançado no mesmo lugar, mil anos mais tarde, somente o Anticristo e o falso Profeta estarão nessa prisão, e ninguém mais foi para lá enviado, Ap 20.11. Concluímos daí que os condenados no tribunal das nações, governantes que responderão por crimes de responsabilidade, não terão suas sentenças executadas imediatamente, mas no julgamento final, quando a trindade satânica receberá toda a condenação, Ap 20.15. A perspectiva profética permite-nos dissociar datas. Quando Jesus fala acerca da ressurreição dos justos e dos injustos, em Jo 5.28,29, Ele fala desse fato como um acontecimento único, embora decorressem mil anos entre um e outro acontecimento.

E. O REI DA GLÓRIA FARÁ SOAR A PALAVRA DE SEU PODER, E OS MÁRTIRES DA GRANDE TRIBULAÇÃO RESSUSCITARÃO, Ap 20.3.

Multidões de pessoas, durante a Grande Tribulação negar-se-ão a adorar a Besta ou a imagem dela, bem como a aceitar o seu sinal. Ficarão firmes no testemunho de Jesus e na Palavra de Deus e, por isso, serão todos assassinados. Que banho de sangue! Nunca, em todos os tempos correu tanto sangue por causa do amor a Jesus. Mas apesar de morrerem sairão vencedores, Ap 15.2.

Venceram por não se curvarem à Besta. Venceram porque pelo seu testemunho obtiveram a salvação. À poderosa voz de Jesus, todos ressuscitarão,Jo 5.28.

Ressuscitarão com corpos glorificados. Que grande alegria para esses será ver Jesus e contemplar a grande multidão de salvos que foram arrebatados sobre as nuvens na vinda de Cristo! Agora esses mártires se unirão à Igreja glorificada que desceu do Céu com Jesus e, juntos, governarão a Terra por mil anos, sob a direção do Senhor.

A Grande Tribulação terá terminado. Israel estará salvo. Todos se esforçarão para apagar os rastos e as ruínas da grande catástrofe mundial. As nações sofrerão as amargas conseqüências do regime do Anticristo. Mas, nesse tempo, mais de uma terça parte da humanidade terá perecido! Jesus e sua Igreja governarão o mundo e reconstruirão as nações. O Milênio estará às portas.

F. UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS DUAS FASES DA VINDA DE JESUS

PREPARAÇÃO PARA O MILÊNIO

Um dos pontos altos da profecia é, sem dúvida, o Milênio. É um assunto controvertido sobre as profecias acerca dos acontecimentos dos últimos dias. Exatamente por isso, o nosso interesse por. ele aumenta, ao examinarmos as Escrituras.

  1. A conversão radical do povo judeu o ligará a Jesus. Já vimos que os judeus sofrerão pavorosamente quando o Anticristo atacar Jerusalém e que, nesta aflição, verão descer nas nuvens o Messias glorificado, a quem invocarão e por quem serão salvos num só dia, Zc 12.10,12.

Verão em Jesus o Salvador e o Rei Celestial que vencerá o Anticristo e as nações que estão atacando a cidade deles. Verão aquele que tem todo o poder no Céu e na Terra, seja espiritual, político ou militar. É evidente que os judeus aceitarão a Jesus como rei e governante, porque, pelas Escrituras, esperam a gloria do Messias nesse Milênio.

  1. Também as nações quererão aceitar a Jesus como governante universal. Temos denos lembrar de que Jesus iniciará seu governo ao encerrar-se a maior catástrofe da história. Os que então estiverem vivos terão em lembrança a recente batalha de Armagedom, pois viram perecer a terça parte da humanidade; viram a guerra atômica destruir as grandes metrópoles, e viram os povos arruinados.

As nações restantes lembrarão com pavor o domínio do Anticristo sobre a Terra. Compreenderão que o próprio Diabo foi o grande inspirador de todos aqueles males. Saberão da importante vitória de Jesus sobre a Besta e o falso Profeta, que foram amarrados e jogados no lago de fogo e de enxofre. Serão testemunhas do grande poder de Jesus. Certamente a humanidade então sentirá que o governo de Jesus traz benefícios a todos.

O julgamento das nações terá terminado. Os sobreviventes receberão bênçãos (Mt 25.31,46), pelo modo como trataram os “menores irmãos de Jesus”. Serão testemunhas da autoridade e da justiça do Senhor e o desejarão para governante.

O Diabo (Ap 20.1,2), aquele que poderia semear revolta e resistência contra o governo de Jesus, estará preso. Não haverá obstáculo para o Senhor. Com toda liberdade e com o consentimento dos homens, Jesus governará sobre a Terra.

Os que vão passar pela Grande Tribulação e entrar no reino milenar gozarão, é certo, de grandes privilégios espirituais e também materiais.

Segundo a revelação da Palavra, os santos que hão de ser arrebatados, e os que alcançarem a ressurreição receberão corpos glorificados e estarão em glória com o Senhor, Fl 3.21.

CONCLUSÃO

Já que a glória eterna de Cristo será manifestada no reino eterno, no Seu governo eterno, é natural que a igreja esteja presente para contemplar a glorificação de Cristo para sempre.

Evangelista Isaias Silva de Jesus

Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério Belém Em Dourados – MS

Bibliografia    

Manuel de Escatologia – Vida -J. Dwight Pentecost

Livro:- A Doutrina das Ultimas Coisas= Eurico Bergstén

Publicado no Blog do Ev. Isaías de Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *