Wordpress Themes

Os Dons Espirituais - Pr. Geraldo Carneiro Filho

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO 10 - DIA 07/06/2009
TÍTULO: “OS DONS ESPIRITUAIS”
TEXTO ÁUREO - I Cor 12:7
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: I Cor 12:1-11
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO

I - INTRODUÇÃO:

Os dons espirituais são dados para o proveito da Igreja inteira. Quando estão em operação, O Espírito Santo proclamará que Jesus é Senhor (I Cor 12:3).

II - OS DONS ESPIRITUAIS SÃO DE TRÊS CATEGORIAS:

Há os dons que REVELAM algo oculto ou sobrenaturalmente; são os DONS DE REVELAÇÃO: A PALAVRA DA SABEDORIA; A PALAVRA DO CONHECIMENTO e O DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS;

Há os dons que FAZEM algo; são os DONS DE PODER (PODER PARA SE FAZER ALGO SOBRENATURAL). São: DOM DA FÉ, AS OPERAÇÕES DE MILAGRES e DONS DE CURAS;

Há os dons que DIZEM algo de sobrenatural (DONS DE INSPIRAÇÃO, ou DA FALA, ou de EXPRESSÃO VOCAL ou de ELOCUÇÃO). São: A PROFECIA, A VARIEDADE DE LÍNGUAS e a INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS.

O DOM DA PALAVRA DE SABEDORIA:

É uma revelação sobrenatural pelo ESPÍRITO DE DEUS, no tocante ao plano e propósito divinos na mente e na vontade do Senhor:

(At 9:10-16 - consagração de pessoas ao ministério especial);

(At 8:26-29);

(At 11:28-30);

(At 21:10-11);

(At 27:10, 34 - assegurar proteção de Deus);

(I Rs 11:29-32 cf 12:20);

(I Rs 13:1-6);

(I Rs 14:1-18).

PALAVRA DE CONHECIMENTO OU DA CIÊNCIA:

É a revelação sobrenatural pelo Espírito Santo de certos fatos existentes na mente de Deus (pode ser coisa conhecida por pessoas em outra parte ou localidade, que é revelada aqui onde estamos):

(Apc 1:9-11; At 9:10-12; At 10:9-20);

(Jo 4:5-29);

(usada para iluminar um servo desanimado - I Rs 19:1-4, 14, 18);

(para desmascarar um hipócrita - II Rs 5:25-26);

(para advertir um rei contra o plano inimigo - II Rs 6:9-12);

(para ajudar a recuperar bens perdidos - I Sm 9:1-6, 19-20);

(para descobrir um homem escondido - I Sm 10:21-23);

Jo 1:45-51.

Observação: A diferença entre o DOM DA PALAVRA DO CONHECIMENTO e o DOM DA PALAVRA DA SABEDORIA é que a revelação que a palavra do conhecimento traz é sempre passado ou presente.

Por outro lado, a palavra da sabedoria sempre fala do futuro.

Porém, há passagens bíblicas onde nos é mostrado que muitas vezes esses dons freqüentemente operavam juntos (At 9:10-18; I Cor 15:51); (Apc 2:1-7; 2:8-11; 2:12-17; 2:18-29; 3:1-6; 3:7-13; 3:14-22).

DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS:

Este dom pode revelar ao povo de Deus cheio do Espírito a origem de qualquer manifestação sobrenatural.

Discernindo a semelhança de Deus (Gn 32:30; Ex 24:9-11; 33:17-23; Nm 12:4-8; Jz 5:13-15; 6:17-24; 9:2-6, 9-11, 21-22; II Sm 22:1, 7, 10-11; II Rs 22:19; Is 6:1-5; Ez 1:15-29; 2:9; 3:23; 8:4; 10:15-22; Am 9:1);

Discernindo o Cristo ressurreto (Apc 1:12-16; At 7:55-56);

Discernindo o Espírito Santo (Jo 1:32-34; Apc 1:4; 4:1-11);

Discernimento de espíritos demoníacos (Mc 16:9; At 16:16-18; Apc 13:1-2, 11);

Discernimento dos querubins, serafins, arcanjo, hoste de anjos - (II Rs 6:15-17; II Sm 24:15-14; Lc 1:8-13; Apc 5:2; Apc 7:1-2; 10:1, 5);

Discernimento do espírito humano com suas tendências boas ou más - (II Rs 4:8-10; 8:7-18; Ne 6:10-14; Jr 23:21-26; Mc 2:8; 12:13-15; Jo 1:47-49; 13:21-30; At 5:1-11; 8:18-24; 13:8-12);

Discernimento dos espíritos de enfermidades - (Mt 12:22; Mc 9:25; Lc 8:29; 13:11-16; Mc 2:5; Jo 5:14)

O DOM DA FÉ:

É um dom do Espírito para que o crente possa receber milagres.

O dom da fé é uma dotação sobrenatural pelo Espírito Santo, mediante a qual aquilo que o homem declara ou deseja ou o que Deus fala, acabará se cumprindo:

(Dn 3:13-30; 6:6, 16-17, 19-23 cf Hb 11:30-34 - para a proteção pessoal);

(Jz 15:18-19);

(At 12:1-6 - certeza de livramento);

(At 27:21-26 -certeza da vitória em meio a um temporal);

(At 29:1-6 - certeza da vitória depois de mordido por uma serpente);

(I Rs 17:1-6 - para sustento sobrenatural);

O Dom da Fé para ressuscitar mortos - Neste caso, TRÊS DONS OPERAM EM CONJUNTO: O DOM DA FÉ; O DOM DE OPERAÇÃO DE MILAGRES e OS DONS DE CURAS. Em primeiro lugar, na ressurreição de mortos, é necessário o DOM DA FÉ PARA CHAMAR O ESPÍRITO DA PESSOA DE VOLTA, DEPOIS DE TER DEIXADO O CORPO; Em segundo lugar, é necessário o DOM DE OPERAÇÃO DE MILAGRES para ressuscitar a pessoa; Em terceiro lugar é necessário os DONS DE CURAS , porquanto, de outra forma, a pessoa não curada voltaria, imediatamente, a morrer. Exemplos: (I Rs 17:17-24; II Rs 4:18-37; Lc 7:11-17; 8:49-56; Jo 11:33-45; At 9:36-43; At 20:7-12).

Gn 15:1-6; 17:15-22; 18:9-16; 21:1-8 - Nasceria um filho de um casal em que o homem tem 100 anos e a mulher 90 anos? Abraão creu e assim foi.

Gn 22:1-19 - Poderia alguém matar um filho e depois voltar para casa com este filho vivo? Abraão creu e assim foi.

DONS DE CURAS:

No grego original, cada vez que esse dom de poder é mencionado, tanto a expressão “DONS” quanto a expressão “CURAS” ficam no plural: DONS DE CURAS. Não existe, portanto, “o dom da cura”; “dons de cura”; “dom de curar”; etc.

Os dons de curas são dados por Deus visando a cura sobrenatural da enfermidade, sem meios naturais de qualquer origem (At 10:38; Lc 6:6-11; At 8:6-7; 28:8-10).

Não se deve entender que quem possui esse dom (ou a pessoa possuída por este dom) tenha poder de curar a todos; deve-se dar lugar à soberania de Deus e à atitude e condição espiritual do enfermo. O próprio Cristo foi limitado em Sua capacidade de operar milagres por causa da incredulidade do povo. (Mt 13:58; 2Tm 4:20 - Paulo não curou seu companheiro Trófimo).

O DOM DE OPERAÇÕES DE MILAGRES ou OPERAÇÕES PODEROSAS ou PODERES MILAGROSOS:

É um dom do Espírito dado ao crente para que este possa operar ou realizar milagres de mudanças na natureza; muda o que era natural:

É uma intervenção sobrenatural no curso usual da natureza; uma suspensão temporária da ordem costumeira, mediante o Espírito de Deus:

(Js 10:12-14);

(Jz 14:5-6; 15:14-15; 16:25-30);

(I Rs 17:12-16; 18:20-22, 41-46);

(II Rs 2:9-14; 4:1-7);

(Ex 7:10, 20-21; 8:5-6, 16-17, 20-24; 9:8-10, 22-26; 10:12-15; 22-23; 14:13-14, 21-22; 17:1-7);

(Jo 2:1-11; 6:5-14);

(At 5:1-5; 9:40; 13:4-12; 14:3; 19:10-12; 20:9-10);

(II Rs 20:8-11); (Jo 9:6-7);

(At 28:5)

DOM DE PROFECIA:

É uma expressão vocal inspirada e sobrenatural num idioma conhecido.

Pode vir de 3 fontes: Deus, homem e satanás.

Devem ser julgadas (1 Ts 5:21,22) e controladas para haver ordem no culto; um depois do outro e no máximo três em cada reunião (1 Cor 14.31).

Não devem ser desprezadas (1 Ts 5:20).

Vêm para edificação, exortação e consolação (1 Cor 14:3).

Diferente de profeta. Todo profeta profetiza. Porém, nem todo que profetiza é profeta (1 Cor 14:31) e (Ef 4:11)

Profeta é ministério dado por CRISTO; profecia é dom do ESPÍRITO SANTO.

Profeta prediz alguma coisa que ainda vai acontecer; profecia não prediz nada: ela exorta, consola e edifica (Jo 16:22; At 27:31-34).

Todos podem profetizar (1 Cor 14.31), mas poucos são chamados para serem profetas.

VARIEDADE DE LÍNGUAS ou O DOM DE LÍNGUAS:

É a expressão vocal mediante o Espírito Santo, em idiomas nunca aprendidos pela pessoa que fala, não compreendidos pela pessoa que fala, nem, necessariamente, sempre compreendidos pelos ouvintes.

Quatro tipos de línguas: Língua para oração (I Cor 14:2, 4. 14 cf Jd 20 - não sabemos pedir como convém, mas o ESPÍRITO SANTO sabe o que precisamos e ELE sabe pedir). Por isso é tão combatido o falar em línguas, pois nem Satanás entende;

Língua para interpretação (I Cor 12:30; 14:15 - nem todos têm o dom de línguas, mesmo sendo batizados. Essa linguagem pode ser interpretada pelo que fala ou por outrem);

Língua como sinal para incrédulo (I Cor 14:22 cf At 2:6 - Pode alguém ser usado para falar, por exemplo em alemão em algum lugar e uma pessoa presente ali que fala alemão entenderá tudo o que DEUS quer falar-lhe);

Gemidos inexprimíveis (Rm 8:26 - O ESPÍRITO SANTO é nosso intercessor aqui na terra. ELE leva nossa oração a JESUS CRISTO que está assentado à direita de DEUS PAI, intercedendo por nós lá no céu. O pai recebe a oração e responde de acordo com Sua vontade).

INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS: (I Cor 14:13-15, 27-28, 40)

A interpretação de línguas é a revelação sobrenatural pelo Espírito Santo do significado de uma expressão vocal em outras línguas.

Não é TRADUÇÃO das línguas, tampouco DUBLAGEM; É INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS.

Por exemplo, Quando uma pessoa fala longamente em línguas, um intérprete, ocasionalmente, dá uma interpretação bastante breve. Semelhantemente, alguém poderá dar uma expressão vocal breve em línguas, mas a interpretação poderá ser prolongada.

Isso acontece porque, a interpretação é REVELAR, SOBRENATURALMENTE, PELO ESPÍRITO DE DEUS, O SIGNIFICADO DAQUILO QUE FOI DITO EM LÍNGUAS.

Este dom não entra em operação A NÃO SER SE O DOM DE LÍNGUAS TAMBÉM TENHA ESTADO EM OPERAÇÃO.

O propósito desse dom é tornar o dom de línguas inteligível aos ouvintes, de modo que a Igreja, bem como aquele que possui o dom, possa saber o que foi dito e possa ser edificada (I Cor 14:5) ; (I Cor 14:26-28); (I Cor 14:13); (I Cor 14:18 - Não quis dizer latim, grego e hebraico, pois são línguas aprendidas e faladas no tempo de Paulo por quase todos; o que Paulo quis dizer é que orava muito em línguas e também que tinha dom de línguas).

Nós falamos sem aprender, vem de cima, vem de DEUS, não necessitamos que alguém nos ensine, podemos receber na igreja, na rua, no campo, em casa ou outro qualquer lugar, sem interferência de outrem ou por imposição de mãos de alguém.

Jesus não falava línguas estranhas, porque tudo que falava era o que Deus queria falar e as línguas são sinais da presença de DEUS em nosso meio, JESUS é DEUS.

Fontes de consulta:

Lições Bíblicas CPAD - 3° trimestre de 1988 - Comentarista: Raimundo de Oliveira

26 Lições Sobre os Dons Espirituais - K. Hagin

Publicado no blog Escola Bíblica Dominical para Todos

converter em pdf.

Comente.